O novo cabo das tormentas

Nos últimos anos, poucos futebolistas provenientes da África Negra conseguiram deixar a sua marca no campeonato português. No entanto, o Benfica já tem debaixo de olho um jogador com potencial suficiente para contrariar essa tendência. Com apenas 18 anos, Phakamani Mahlambi é a nova sensação do futebol sul-africano e tem despertado a cobiça de diversos clubes do futebol europeu. De acordo com a imprensa local, os encarnados lideram, juntamente com o Hamburgo, um extenso rol de interessados.

Nascido a 12 de Setembro de 1997, na cidade de Joanesburgo, Mahlambi iniciou a sua carreira futebolística na Transnet Football School of Excelente, uma associação criada em 1994 pelo antigo internacional sul-africano Neil Tovey, com o único propósito de desenvolver os futebolistas mais talentosos do país. Por lá, passaram os internacionais Steven Pienaar, Jeffrey Ntuka – entretanto já falecido, Masilo Modubi, Bryce Moon ou Bernard Parker.

Em 2013, Mahlambi captou a atenção do Bidvest Wits, que partiu de imediato para a sua contratação. Durante dois anos, o jovem jogador evoluiu na equipa de reservas do clube – sediado nos arredores de Joanesburgo. Em simultâneo com a sua chegada aos Estudantes, como são vulgarmente conhecidos, Gavin Hunt – tricampeão entre 2008 e 2010 com o SuperSport United – assumia o comando da equipa principal. Nas duas últimas temporadas, o técnico de 51 anos conduziu o Bidvest Wits a dois terceiros lugares, igualando a melhor prestação de sempre do clube na primeira divisão, conseguida em 2002/03. 

Em Agosto, com apenas 17 anos, Mahlambi estreou-se oficialmente pela equipa principal do Bidvest Wits, ante o Ajax Cape Town, na primeira jornada do campeonato. Chamado ao minuto 65, para o lugar do capitão Sibusiso Vilakasi, Mahlambi foi decisivo ao assistir o moçambicano Domingues para o segundo golo da sua equipa, que valeu um triunfo por 2-1 sobre a filial dos holandeses do Ajax. Apesar da estreia auspiciosa, este jovem só voltaria a receber a confiança de Hunt no campeonato à 8.ª jornada – mais de dois meses depois, na visita ao Orlando Pirates.

Uma série de boas exibições durante o mês de Novembro, valeram-lhe a convocatória para o Campeonato Africano das Nações de Sub-23 – o torneio de qualificação olímpico da CAF, que se disputou entre os dias 28 de Novembro e 12 de Dezembro. Apesar de não ter inscrito o seu nome na lista de marcadores, Mahlambi – o mais jovem elemento da equipa sul-africana, deslumbrou os mais diversos olheiros, que terão apontado o seu nome em letras bem visíveis. 

Na última jornada da fase de grupos, o jovem craque saltou do banco para driblar três homens da Tunísia e oferecer de bandeja o golo a Menzi Masuku, que selou a vitória e a passagem dos Bafana Bafana à fase seguinte. Depois de terem sido afastados pela Argélia nas meias-finais, os sul-africanos superiorizaram-se após a marcação das grandes penalidades ao Senegal, no jogo de atribuição do 3.º e 4.º lugar, e com a última de três vagas no Rio ainda em jogo. Mahlambi apontou o penálti decisivo mas o herói seria o guarda-redes Jody February que impediu três tentativas dos senegaleses.

Mahlambi actua preferencialmente como médio ofensivo e impressiona pela velocidade e facilidade com que se desembaraça dos seus adversários. Dono de um remate fácil, o seu treinador não hesitou em confiar-lhe o papel de ponta-de-lança e o seu rendimento disparou. Nos últimos 5 jogos, Mahlambi apontou outros tantos golos. Estes têm-se revelado de uma importância absolutamente vital para as aspirações do Bidvest Wits, que com 13 jornadas já disputadas, ocupa a liderança do campeonato sul-africano. Fundado em 1921, por um grupo de estudantes da Universidade de Witwatersrand, o emblema de Joanesburgo nunca esteve em tão boa posição para se sagrar campeão nacional pela primeira vez na sua história. 

O papel do treinador Gavin Hunt também tem sido decisivo na sua afirmação. Há precisamente 20 anos, este antigo lateral direito, no início da sua carreira como treinador, lançou na primeira equipa do Seven Stars – um dos emblemas precursores do Ajax Cape Town, um jovem com os mesmos 18 anos, um tal de Benni McCarthy, por muitos considerado o melhor futebolista sul-africano de sempre. Hoje, Hunt não tem dúvidas quando afirma que Mahlambi tem um potencial superior ao do antigo ponta-de-lança do Porto. 

Em 1488, uma frota liderada pelo navegador português Bartolomeu Dias ficou célebre por ter sido a primeira a dobrar o então denominado Cabo das Tormentas, descobrindo o caminho marítimo para a Índia. Mais de 500 anos volvidos, o Benfica, também ele português, parece ter descoberto um verdadeiro tormento para as defesas adversárias. Resta saber se Mahlambi terá de facto o potencial necessário para se tornar numa “Boa Esperança”. O futebol africano bem necessita.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): João Lains

Etiquetas: