Benfica pressiona Sporting; Pizzi destacou-se na 1.ª parte; Mitroglou (que até esteve desastrado) marcou de calcanhar; Gaitán entrou na 2.ª parte mais ainda fez a diferença

Benfica 3-1 Arouca (Pizzi 3', Mitroglou 19' e Jonas 67'; Velázquez 90'+ 1)

Perante quase 52 mil espectadores o Benfica cumpriu frente ao Arouca (3-1), colocando assim pressão no Sporting. Os encarnados, que somaram a 11.ª vitória nas últimas 12 jornadas, entraram no encontro praticamente a vencer (Pizzi marcou logo aos 3 minutos) e depois bastou uma exibição q.b. para conseguirem um resultado sem grandes sobressaltos. Mitroglou (que falhou 3 golos quando seguia isolado) ampliou de calcanhar, Jonas (19.º tento na Liga), já com o regressado Gaitán em campo (a entrada do argentino colocou um ponto final na apatia que foram os primeiros 20 minutos da 2.ª parte), também juntou o seu nome aos marcadores. Já o conjunto de Lito, que na 1.ª volta tinha derrotado o campeão nacional, com 2 erros defensivos graves deu margem aos anfitriões e depois, apesar da tentativa de reacção no inicio do 2.º tempo, não demonstrou capacidade para inverter o rumo da partida, só conseguindo reduzir nos descontos.

O jogo começa praticamente com o golo do Benfica, Sanches cabeceia uma bola para a área Jonas ganha nas alturas e aparece Pizzi, perante a passividade da defesa do Arouca, a disparar para o 1-0. Os encarnados, moralizados com o golo, continuaram a pressionar, e na sequência de um canto, depois de Lisando ganhar de cabeça, Mitroglou de calcanhar amplia o marcador. O conjunto de Lito Vidigal voltou a ser muito passivo. Aos 36' Mitroglou podia ter bisado mas, quando estava em excelente posição, cabeceou ao lado, na sequência de um cruzamento de Carcela. Depois foi Bracali a tirar um golo a Jonas depois de uma grande jogada do principal goleador da Liga. Mas o final da 1.ª parte ficou marcado essencialmente pelos desacatos numa das bancadas. Aos 50' ocorre o 1.º lance do Arouca, com Artur a obrigar Julio César a uma boa defesa. O conjunto de Lito estava melhor e aos 64' Maurides em boa posição atira por cima, quando estava sozinho no centro da área. Rui Vitória ao ver a apatia da equipa fez entrar Gaitán para o lugar de Pizzi. E passado 2 minutos o argentino fez logo a diferença ao isolar Mitroglou, Bracali ainda tirou o golo ao grego mas na recarga Jonas, que quase tirou o golo ao colega de equipa, fez o 3-0. A partida não acabou sem mais um falhanço de Mitroglou, que novamente isolado (pela 3.ª vez) falhou na cara de Bracali ao fazer um chapéu sem que a bola tenha chegado sequer à baliza. Já sem o grego em campo foi a vez de Talisca, depois de uma grande jogada de Gaitán, a ver o golo a ser negado por Bracali. Já nos descontos, aparece o golo do Arouca, com Velázquez, na sequência de um canto, a antecipar-se a Lisandro e a bater Júlio César de cabeça.

Benfica - 8.ª vitória consecutiva somando todas as competições e a liderança à condição. Os encarnados, sendo certo que se não fosse o desperdício de Mitroglou podiam ter goleado, hoje até foram felizes nos timings, entraram praticamente a ganhar, fizeram o 2-0 no 2.º remate e ampliaram quando o Arouca estava a crescer, mas é evidente que a equipa está mais confiante e agora com um reforço de luxo, devido ao regresso de Gaitán, que nos 25 minutos que esteve em campo demonstrou, com vários lances de bom nível (abriu o livro logo com uma assistência que resultou no 3-0), que está uns furos acima da concorrência. Pizzi, que esteve em todo o lado na 1.ª parte, apesar de ter caído muito de rendimento no 2.º tempo, também fez a diferença; Sendo que no geral, foi uma exibição positiva. Samaris no regresso à competição também cumpriu; Já Mitroglou foi do 80 ao 8, ao marcar um golaço de calcanhar mas depois a desperdiçar 3 situações em que seguia isolado, a juntar a isso ainda somou alguns erros técnicos.

Arouca - Calado fartou-se de repetir que o conjunto de Lito Vidigal estava a ser muito tenrinho defensivamente e essa apatia inicial (a defesa ficou a dormir nos 2 primeiros golos) tramou por completo a estratégia (entrar a perder na casa de um grande, que está super-motivado tornou a missão quase impossível). A nível individual, Bracali com várias defesas de bom nível, foi a principal figura, ao evitar uma goleada. Ivo Rodrigues ofensivamente foi sempre o mais inconformado mas a equipa só cresceu na 2.ª parte com as entradas de Zequinha e Maurides. 

Etiquetas: ,