Tudo fácil para o FC Porto; Dragões resolveram em 25 minutos e estão agora a 2 pontos do Sporting; Mexicanos estiveram em destaque, Layún bisou nas assistências, Herrera marcou e o desaparecido Corona igualou Aboubakar

União 0-4 FC Porto (Herrera 12', Brahimi 14', Corona 23' e Danilo 90'+1)

Os dragões costumam dar-se mal nas visitas à Madeira (já não venciam na Ilha desde Maio de 2013) mas desta vez a viagem foi um autêntico passeio. Com uma exibição conseguida (muito diferente da partida de Aveiro), principalmente no 1.º tempo, o FC Porto goleou o União (4-0) em jogo em atraso referente à 9.ª jornada e voltou a ficar a 2 pontos do Sporting. Os portistas tiveram uma entrada forte - a eficácia e um golo fortuito também ajudou - e aos 25 minutos já tinham os 3 pontos na mão, e nem a expulsão de Osvaldo (titular no lugar de Aboubakar) a 15 minutos do fim colocou o resultado em causa, tendo Danilo ainda ampliado nos descontos. O conjunto insular, que cedo se viu em inferioridade no marcador, ainda tentou reagir - Amilton foi sempre o elemento em maior destaque - mas não aproveitou o pouco que criou. Brahimi voltou a ser o jogador mais do FC Porto, num encontro em que os mexicanos estiveram em evidência, Herrera abriu o activo a passe de Layún (que também assistiu para o golo de Danilo), enquanto que Corona (apesar de ser apenas o 6.º jogo), num golo algo feliz (o próprio reconheceu isso), igualou os 5 golos de Aboubakar na Liga.

Quanto ao jogo, que desta vez não foi condicionado pelo nevoeira (apesar da transmissão da Sport TV ter tido algumas falhas), a primeira parte foi de sentido único. Danilo Pereira e Herrera deram os primeiros avisos ainda antes dos 10 minutos, tendo sido mesmo do mexicano o primeiro golo do encontro. Bela combinação na esquerda entre Brahimi e Layún e o lateral esquerdo serve na perfeição Herrera, que cabeceia para o fundo das redes, com a bola ainda a desviar em Joãozinho. Dois minutos volvidos e novo golo, com Brahimi a responder da melhor maneira a um cruzamento atrasado de Maxi, numa jogada que começa numa recuperação de Corona. O jogo estava de feição ao FC Porto que se instalava no meio campo adversário e pressionava alto, e foi sem surpresa que chegou ao terceiro golo. Corona fura pelo corredor direito e quando vai tentar o cruzamento para a área, esta salta num pedaço de relva, o que resulta num grande golo de chapéu a André Moreira. A partida abrandou de ritmo, mas pertenceu aos dragões a última oportunidade do 1.º tempo, com Brahimi, após bom drible curto na área (a sua especialidade) a perder no duelo frente ao guardião do União. Na 2.ª parte, o jogo, de maneira natural, devido ao resultado, foi perdendo interesse. O U. Madeira até começou melhor com Amilton (que viria a sair lesionado no decorrer do segundo tempo) e Abdullahi a terem semi-oportunidades, mas até aos últimos 15 minutos, momento em que Bruno Paixão dá vermelho direto a Pablo Osvaldo depois de considerar que a entrada fora de tempo do argentino sobre um central do União excedeu o limite de agressividade, quase não houve destaques. Curiosamente, com 10 em campo o FC Porto melhorou. Lopetegui voltou a dar minutos a Maicon (rendeu Corona), colocou Indi na esquerda e subiu Layún. E aos 88’, Maicon na cobrança de um livre lateral obrigou André Moreira a uma grande defesa. O aviso estava dado e 3 minutos depois, os azuis-e-brancos chegam mesmo ao quarto, com Danilo Pereira a responder da melhor maneira, de cabeça, a um livre lateral de Miguel Layún.

União da Madeira - Sem argumentos para mais, os insulares deram os primeiros 25 minutos e quando acordaram já tinham o jogo perdido. Praticamente não somaram oportunidades de golo, e defensivamente concederam bastante espaço. O reforço do plantel também parece não ter sido o melhor, sendo que nos próximos tempos, se os resultados não começarem a aparecer, a contestação a Norton pode aumentar. Individualmente, o guarda-redes André Moreira sai sem culpas nos golos, tendo ainda efetuado algumas boas defesas, os laterais foram dos poucos a tentar oferecer alguma qualidade no momento com bola, o meio campo, apesar de muito combativo não soube aproveitar o espaço entre-linhas do FC Porto, e o ataque, exceção feita a momentos isolados de Amilton e Élio Martins, não apareceu.

FC Porto - Vitória tranquila num jogo onde era imperial conquistar os 3 pontos para recuperar a desvantagem na tabela classificativa. Lopetegui colocou de início Corona e Osvaldo e voltou a dar a braçadeira a Herrera. E o Dragão de Ouro viria a corresponder com uma boa exibição, tendo sido mesmo dele o golo que desbloquearia o encontro. Brahimi foi o melhor enquanto esteve em campo, Corona teve muita bola, mas oscilou entre boas combinações e várias perdas de bola, Layún também voltou a dar a preponderância ofensiva do costume, assim como Maxi. Danilo, no meio campo, teve igualmente nota positiva. Pela negativa, um jogo não tão conseguido de André André, que até teve oportunidade para marcar mas sentiu-se intimidado e acabou por fazer um passe para a lateral. 

Etiquetas: ,