Ronaldo marca 4 e passa a ser o melhor de sempre na fase de grupos; Man Utd despromovido; City também coloca o Sevilha na Liga Europa; CSKA nem em 3.º

Ronaldo (que não marcava de livre desde Maio) passou a ser o jogador com mais golos de sempre da fase de grupos da Champions, com 11 tentos; Liga Europa ganha o detentor do título (Sevilha) e o milionário Man Utd, que num grupo competitivo mas muito acessível não conseguiu sequer fazer melhor que o PSV; City (que indirectamente deu uma ajuda ao Sevilha) passa em 1.º, o que pode permitir um sorteio mais favorável (pelo menos não apanha o Barcelona, que tem sido a "besta negra" nos últimos anos); Juventus e PSG são as equipas a evitar do Pote 2.

Passam em 1.º: Real Madrid, Wolfsburgo, Atlético e Man City
Passam em 2.º: Benfica, PSG, Juventus e PSV
Seguem para a Liga Europa: Sevilha, Man Utd, Galatasaray e Shakhtar
Ficam pelo caminho: Malmö, Astana, Borussia M’gladbach e CSKA Moscovo

Grupo A: PSG 2-0 Shakhtar (Lucas Moura 57’ e Zlatan Ibrahimovic 86’); Real Madrid 8-0 Malmö (Benzema 12’, 24’ e 74’; Cristiano Ronaldo 39’, 47’, 50’ e 59’; Kovacic 70’) - Benítez é acusado de ser defensivo, mas volta a ficar na história da Champions. Até hoje só uma equipa tinha vencido por 8-0 na prova milionário... o Liverpool, de Benítez, frente ao Besiktas. Agora passam a ser duas, com o Real de Benítez, a atropelar o modesto Malmö também por 8-0. Ronaldo com um póquer (um dos golos foi de livre), foi a figura do encontro, mas Benzema também brilhou com um hattrick (um dos golos teve a assistência de CR7), tendo Kovavic (que, tal como Isco, também realizou uma bela exibição) fechado o marcador; No outro jogo, o PSG apesar de ter poupado vários titulares cumpriu e com Lucas em destaque, marcou e assistiu para Ibra, chegando assim aos 13 pontos, que em outros grupos seria mais do que suficiente para passar em 1.º

Grupo B: PSV Eindhoven 2-1 CSKA Moscovo (Luuk de Jong 78’ e Pröpper 86’; Ignashevich 76’ (pen)); Wolfsburgo 3-2 Manchester United (Naldo 13’ e 84’, Vieirinha 29’; Martial 10’ e Guilavogui 82’ (pb)) - Os Red Devils precisavam de uma vitória na Alemanha para seguirem em frente e até começaram o encontro da melhor mareina, com Martial a abrir o activo logo aos 10 minutos. No entanto, o United não aguentaria por muito tempo a vantagem, situação que se repetiria posteriormente, vendo Naldo (excelente remate de primeira) igualar o marcador após livre de Rodríguez, que viria a sair lesionado pouco depois. Perto da meia hora, Draxler trocou os olhos aos defensores adversários e assistiu, brilhantemente, Vieirinha que só teve de encostar. Estava efectuada a reviravolta. A reacção inglesa não tardaria, sendo que, no fim do primeiro tempo, Lingard viu um golo ser anulado por alegado fora-de-jogo posicional de Martial. Na segunda parte houve algum equilíbrio, sendo que Guilavogui viria a ser infeliz ao introduzir uma bola na sua própria baliza. No entanto, a festa durou pouco e os Lobos voltariam a marcar, novamente por intermédio do central Naldo, num canto. Deste modo, o United cai para a Liga Europa, um duro revés para Van Gaal e os seus pupilos, vendo o PSV, que bateu o CSKA por 2-1, ocupar a 2.ª vaga de acesso aos oitavos. Dzagoev, num penalty polémico, até deu vantagem aos russos já no segundo tempo, mas os holandeses reagiram da melhor maneira, graças a golos de Luuk De Jong e Propper. Os russos ficam assim fora das competições europeias, sendo notória a quebra da turma de Slutsky nos últimos tempos.

Grupo C: Galatasaray 1-1 Astana (Selçuk Inan 64’; Twumasi 62’) - O campeão turco ainda teve de sofrer mas conseguiu o objectivo mínimo de ficar pelo menos em 3.º. Os anfitriões dominaram mas permitiram o golo do Astana já na 2.ª parte, no entanto Inan garantiu o empate passado 2 minutos e apesar do pressing do conjunto do Cazaquistão o resultado não se alterou.

Grupo D: Manchester City 4-2 Borussia Mönchengladbach (David Silva 16’, Sterling 80’ e 81’, Bony 85’; Korb 19’ e Raffael 43’); Sevilha 1-0 Juventus (Llorente 65’) - Desta vez o Man City não só cumpriu como até passou 1.º. Silva abriu o activo, o Gladbach, que atravessa um grande momento, demonstrou personalidade e reagiu muito bem ao golo sofrido, tendo consumado a reviravolta graças a golos de Korb (grande arrancada de Stindl, vulgarizando Otamendi) e Raffael. No 2.º tempo, o conjunto de Pellegrini tentou reagir, sempre sob a ameaça de contra-ataque dos alemães, e nos últimos 10 minutos consumou a reviravola. Sterling foi o herói, com dois golos no espaço de um minuto, tendo Bony fechado as contas. Para ser a equipa vencedora do grupo, o City necessitava de um desaire da Juventus e os italianos caíram no sempre dificil Ramón Sánchez Pizjuán. Llorente, antigo avançado da Vecchia Signora, deu a melhor resposta possível à dispensa de Allegri, tendo marcado o único tento da partida aos 65 minutos e assim qualificado o Sevilha (que estava dependente do resultado do Borussia) para a Liga Europa.

Etiquetas: