Sporting só acordou depois da trivela de Quaresma mas ainda foi a tempo; 10 minutos de sonho garantem apuramento e apagam uma 1.ª parte muito pobre dos leões; Defesa vacilou (dupla Oliveira-Naldo fartou-se de errar com bola, Jefferson e João Pereira cometeram muitas falhas), muito futebol de chutão, mas Slimani, Ruiz e Teo resolveram

Sporting 3-1 Beşiktaş (Slimani 67', Ruiz 72' e Teo 77'; Gomez 58')

Custou, mas o Sporting, desta vez com a melhor equipa, derrotou o Besiktas e garantiu o 2.º lugar no grupo H. Os leões voltaram a dar a 1.ª parte, foram claramente inferiores durante 65 minutos, mas mais uma vez, independentemente da qualidade do futebol, levaram a água ao moinho e garantiram a permanência na Liga Europa. Um triunfo, como na Rússia, alcançado com uma reviravolta, mas desta vez em apenas 10 minutos e numa fase em que o nível apresentado não antevia a recuperação. Mérito de Ruiz, que assistiu para o 1.º e marcou o 2.º, para a capacidade de luta de Slimani e para a categoria de Teo, que saltou do banco para dar novo ânimo a um leão que na 1.ª parte, à semelhança dos últimos jogos para a Liga, voltou a apresentar um futebol sofrível (em termos ofensivos limitou-se em chutões para a frente), sendo que desta vez a defesa sem a presença de Ewerton fartou-se de acumular erros na saída de bola (a falta de técnica de Oliveira e Naldo não ajudou, as distracções de João Pereira e Jefferson também não). No líder turco, Quaresma, que assistiu para o 1-0 com uma trivela, teve vários pormenores de bom nível, mas a equipa viveu do que Olcay Şahan foi fazendo.

Quanto ao jogo, a 1.ª parte foi praticamente toda do Besiktas. Os turcos aproveitaram os erros na saída de bola da defensiva leonina (William também comprometeu) e foram instalando-se no meio campo leonino. Quaresma e Olcay Şahan fartaram-se de desequilibrar, sendo que o turco teve nos pés uma excelente oportunidade para marcar, valeu Patrício a trava o golo quando o médio do Besiktas estava isolado. No 2.º tempo o Sporting, que nos primeiros 45 minutos não teve um lance de ataque (só se limitou a chuta para os fora-de-jogo de Slimani), mudou um pouco a atitude, mas foi o Besiktas a chegar à vantagem. Erro na saída de João Pereira, a bola chega a Quaresma que com uma trivela assiste Mario Gomez para o 1-0. Um golo, que a juntar à má exibição leonina, parece colocar o futuro dos leões na prova em causa, mas do nada, e na 1.ª oportunidade, Slimani , isolado por Ruiz, faz o empate (dá a ideia que o argelino controla mal a bola mas a hesitação de Zengin ajudou). Pouco depois o 2-1. Jogada de insistência do Sporting e Ruiz com um bom remate bate Zengin, que mais uma vez ficou mal na fotografia. Passado 5 minutos o 3-1. Assistência de Gelson, Teo com muita classe tira um defesa do caminho e dispara para o fundo da baliza. Até final, o Besiktas ainda esteve perto do 2-3 num lance em que Naldo ia marcando na própria baliza, mas o resultado não se alterou.

Sporting - 10 minutos de sonho serviram para cumprir o objectivo. Jesus, que percebe a importância 
do clube leonino estar nesta competição (os leões precisam de ganhar expressão europeia, e ao mesmo tempo esta permanência permite valorizar jogadores e talvez mais uma ou duas prendas no Natal), desta vez apostou na melhor equipa, mas o futebol voltou a ser pobre. 65 minutos paupérrimos, em que o futebol ofensivo se limitou ao chutão para a frente e com uma defesa a meter água por todos os lados; Naldo e Oliveira comprometiam sempre com bola; Jefferson parecia ter deixado a cabeça no balneário, tantos foram os erros que cometeu e João Pereira, além de não se ter dado bem com Quaresma, ainda errou de maneira fatal no 1-0; William também revelou muita lentidão quando foi chamado a intervir; Mas tudo isto se apagou com a reviravolta, e a capacidade que os leões revelaram depois do 1-1. Ruiz voltou a fazer a diferença com a sua qualidade individual; Teo regressou à competição da melhor maneira com um golaço e um festejo insólito; Slimani foi Slimani, sempre a lutar muito, tendo sido premiado com um golo; Sendo que as substituições de Jesus também resultaram; Gelson deu mais que o apagado Montero; João Mário no meio, na 2.ª parte, principalmente quando Adrien deu o lugar a Teo, acrescentou outra capacidade com bola.

Besiktas - A formação turca realizou uma exibição muito competente em Alvalade durante 65 minutos. Pressão alta, qualidade na circulação de bola, largura (alas sempre bem abertos) e alguns lances perigosos de ataque. Gomez fez o golo que poderia ter selado o apuramento, mas, num ápice, o adversário fez a reviravolta no encontro (Tolga Zengin fica muito mal nos dois primeiros golos) e a partir daí a equipa revelou algum desnorte e descontrolo emocional, ficando entregue às iniciativas de Quaresma, a melhor unidade, juntamente com  Olcay Şahan, do conjunto forasteiro.

Etiquetas: , ,