Sporting passeia antes do Clássico; Matheus e Gelson destacaram-se na estreia de Schelotto; Slimani perdulário impediu um resultado mais expressivo

Sporting 3-1 Paços de Ferreira (Aquilani 8', Gelson 52', Ruiz 72'; Christian 45+2')

O contexto não era fácil: duas derrotas nos últimos 2 jogos e antes de um Clássico mas o Sporting com uma exibição competente e convincente bateu o Paços e juntou-se ao Portimonense na liderança do grupo C da Taça da Liga. Um triunfo claro que até peca por escasso, já que o conjunto de Jesus teve oportunidades de sobra para conseguir um resultado mais expressivo (Slimani esteve em foco na 2.ª parte, mas nunca acertou nas redes do Paços). Schelotto (que foi pouco feliz nos cruzamentos) fez a estreia a titular mas os principais destaques, foram os jovens Gelson e Matheus; Ruiz, com muita classe, também fez a diferença na 2.ª parte, numa partida em que Boeck ia complicando com um "frango", e em que JJ optou por um 11 misto com elementos mais utilizados como Paulo Oliveira, Jefferson ou Adrien e outros que pouco ou nada tem jogado como André Martins (já Gauld e Geraldes nem marcaram presença no banco).

Em relação ao jogo, o Sporting entrou praticamente a vencer, graças a um bom remate de Aquilani de fora da área. Os leões dominavam o encontro, conseguiam trocar a bola sem grandes problemas na zona intermediária e, de seguida, foi Adrien a tentar a sua sorte de meia distância, mas Defendi sacudiu para o lado. Aos poucos os pacenses foram equilibrando e, num erro de Jefferson (chutou contra Barnes), o extremo, que viria a lesionar-se pouco depois, disparou ao lado, no lance mais perigoso em todo o jogo. No entanto, a turma de Jorge Jesus voltaria a dispor de boas ocasiões para marcar, mas André Martins, completamente isolado por Matheus, e o próprio extremo brasileiro permitiriam a defesa do guarda-redes adversário. Todavia, contra a corrente, os forasteiros conseguiriam empatar, através de um livre de Christian (Boeck deu um frango). Na 2.ª parte, Jesus lançou João Mário (Adrien tinha amarelo e saiu) e a agressividade ofensiva e qualidade na circulação de bola melhorou, sendo que Gelson viria a dar nova vantagem aos da casa numa saída muito rápida e aproveitando uma assistência de Jefferson. Depois foram André Martins e Paulo Oliveira a permitirem novas defesas a defendi, mas Bryan Ruiz, lançado no segundo tempo juntamente com Slimani, aumentaria o marcador, num lance de enorme requinte técnico (picou sobre o guarda-redes, tal como em Moscovo). Até final, Slimani dispôs de algumas oportunidades, mas desperdiçou clamorosamente (duas no poste, numa delas isolado, e noutra permitiu a defesa do guardião do conjunto de Jorge Simão), enquanto que Jefferson e Matheus também poderiam ter avolumado mais o resultado mas também não foram felizes.

Sporting - Um bom fecho de 2015 para os leões, numa boa exibição frente a uma das melhores equipas da I Liga. Matheus Pereira foi claramente a unidade em maior destaque, tendo exibido a sua qualidade técnica e decisão (fez uma assistência, mas poderia ter feito mais não fosse o desperdicio dos colegas) e somado uma série de bons apontamentos individuais. Por outro lado, Gelson (um golo e uma assistência) e Jefferson (outra assistência) foram cruciais no 2.º tempo pela forma como impuseram a sua velocidade, Aquilani marcou um bom golo e foi importante na gestão da posse, Ruiz fez mais um golaço "a Messi" e João Mário, que entrou na segunda parte, veio dar ainda maior critério à circulação de bola no meio-campo ofensivo. Já Boeck tem muitas culpas no golo sofrido, enquanto que Slimani foi demasiado perdulário e Schelotto, na estreia, revelou alguma falta de ritmo e pouca qualidade nos cruzamentos.

Paços de Ferreira - Exibição muito fraca, completamente distinta da protagonizada para o campeonato. Os pacenses apenas fizeram descansar Marafona, Hélder Lopes e Ricardo, mas nunca conseguiram dividir o encontro, não demonstrando a qualidade na circulação de bola que tem caracterizado o conjunto de Jorge Simão nesta temporada. O 11 apresentado foi demasiado audaz (Christian tem muitas dificuldades na transição defensiva, sentindo-se a falta de Romeu), sendo que elementos como Diogo Jota ou Bruno Moreira foram bem anulados. Ainda assim, nota positiva para Defendi (várias defesas de bom nível), Andrezinho (qualidade no último passe) e Baixinho, a única unidade do sector defensivo em evidência.

Etiquetas: , ,