Os melhores marcadores portugueses em 2015-16















Um dos maiores debates do Futebol Português centra-se na ausência de elementos capazes de marcar golos em abundância, sendo já histórica a dificuldade Nacional em gerar goleadores. Ora, neste sentido, o VM efectuou um levantamento relativo aos tentos apontados pelos jogadores Lusos até este momento da temporada, sendo a escala de Nacional as primeiras e segundas Ligas Portuguesa, Espanhola, Francesa, Italiana, Inglesa e Alemã e as primeiras Ligas dos restantes países Europeus. Assim, dentro deste Universo, são estes os melhores marcadores Portugueses da época 2015/2016:

Cristiano Ronaldo (Real Madrid) - 23 golos (11 na Liga dos Campeões, 12 na La Liga)
Hugo Vieira (Crvena Zvezda) - 14 golos ( Liga Sérvia)
André Silva (FC Porto) - 11 golos ( II Liga)
Clemente (Santa Clara) - 11 golos (10 na II Liga, 1 na Taça da Liga)
Bruno Moreira (Paços de Ferreira) - 11 golos (7 na I Liga, 4 na Taça Portugal)
Pires (Portimonense) - 10 Golos (9 na II Liga, na 1 Taça Portugal) 
Nani (Fenerbahçe) - 8 golos (6 na Liga Turca, 1 na Taça da Turquia, 1 na Europa League) 
André Claro (Vitória Setúbal) - 8 golos (7 na I liga, 1 na Taça de Portugal) 
Ricardo Barros (Leixões) - 8 golos (II Liga)
Pedró (Aves) - 8 golos (5 II Liga, 3 Taça de Portugal) 
Carlos Fortes (Sporting Braga) - 7 golos (II liga) 
Lucas João (Sheffield Wednesday) - 7 golos (5 no Championship, 2 na Taça da Liga Inglesa)
Guedes (Rio Ave) - 6 golos (3 na I Liga, 1 na Taça de Portugal, 2 Taça da Liga) 
Carlitos Oliveira (DOXA) - 6 Golos (Liga Chipre ) 
Nelson Oliveira (Nottingham Forest) - 6 golos ( Championship) 
Alexandre Guedes (Desportivo Aves) - 6 golos (5 II Liga, 1 Taça Portugal)
André Carvalhas (Portimonense) - 6 golos (2 II Liga, 4 Taça da Liga)

Da análise a esta lista, resultam uma série de conclusões. Desde logo, a mais relevante mostra-nos que os únicos jogadores Portugueses com mais de 5 golos apontados em Primeiras Ligas de países do top-15 do Ranking UEFA são Nani, André Claro, Bruno Moreira e Cristiano Ronaldo.

Este arrebatador dado é a prova inequívoca do "divórcio" do jogador Português com o golo, um síndrome antigo (quem não se lembra da célebre frase "Portugal é a melhor selecção do Mundo a jogar sem balizas") mas que atinge, hoje em dia, proporções verdadeiramente preocupantes. Não bastava a dificuldade em dispor de Pontas-de-Lança de indiscutíveis méritos, mas também, pelo menos neste momento, poucos Extremos ou Médios Lusos possuem uma forte capacidade de fazer, regularmente, balançar as redes. 

Etiquetas: