Craques do Futuro V: Kingsley Coman (1.º)

Esta rubrica destinou-se a jogadores nascidos em 1996. Os parâmetros de selecção foram os feitos dos jogadores até ao momento e, principalmente, o seu potencial e o nível (patamares em termos de projecção Mundial) que poderão atingir no futuro.

Os jovens craques não costumam ter a vida fácil quando fazem parte do plantel dos melhores clubes do mundo. À sua frente têm nomes consagrados, que, em circunstâncias normais, só largam a titularidade por lesões ou castigos. Para os miúdos subirem na hierarquia, têm forçosamente de aproveitar as oportunidades que vão tendo. Kingsley Coman, no início da época, nem nos melhores sonhos imaginaria que jogaria com tanta regularidade numa equipa como o Bayern de Munique. O francês, aos 19 anos, já passou por três dos maiores clubes do mundo (formou-se no PSG e mudou-se para a Juventus à procura de mais oportunidades), mas ter tanto protagonismo nesta equipa de Guardiola não é para qualquer um. Apesar de o potencial do médio ofensivo ser conhecido há vários anos, nunca passou de um suplente no campeão italiano e só nesta temporada explodiu definitivamente. Actuando maioritariamente sobre o lado esquerdo do ataque, embora possa ocupar qualquer posição no apoio ao ponta-de-lança e mesmo como "falso 9", Coman tem sido um dos jogadores em evidência no ataque de luxo do Bayern, contribuindo com golos, assistências e muitas arrancadas de grande nível. Explosivo, com muita qualidade técnica e com facilidade de aparecer em zonas de finalização, é um jogador que procura essencialmente o corredor central para criar desequilíbrios, estando longe de ser um extremo. O francês não perdeu a irreverência que o caracterizava, mas tem aprimorado a forma como interpreta o jogo, sendo neste aspecto que se nota de forma mais clara o "dedo" de Guardiola. Com Robben e Ribéry na fase descendente, Coman, que está apenas emprestado, já obrigou o Bayern a avançar em definitivo para a sua contratação e tem tudo para ser um dos herdeiros nas alas do campeão alemão. O francês é claramente o jogador desta geração de 1996, e como tal o melhor sub-20 do Mundo na actualidade, e considerando o potencial que apresenta não será surpreendente se for mesmo uma opção regular da França no Euro'2016, ao lado de elementos ainda muito jovens como Varane, Pogba ou Martial, o que diz bem da força da escola gaulesa.

Restante Top 20:
2.º
3.º
4.º
5.º
6.º
7.º
8.º
9.º
10.º
11.º
12.º
13.º
14.º
15.º
16.º
17.º
18.º
19.º
20.º

PS - Elementos que também podiam ter figurado neste Top: Gabriel Barbosa nova grande promessa do "aquário" do Peixe. O extremo/avançado tem assumido cada vez mais protagonismo no Santos e já mostrou potencial para se tornar um jogador bastante interessante. Mahmoud Dahoud, a principal revelação do Borussia Mönchengladbach, tem feito de "Kramer" e pegou de estaca no 11, ao lado de Xhaka, mostrando uma excelente visão de jogo. Nadiem Amiri, que vai aparecendo no Hoffenheim, também tem muita margem de progressão, podendo ser o craque que faltava depois da saída de Firmino. Kelechi Iheanacho, avançado que brilhou no Mundial sub-17 de 2013 e tem somado muitos minutos na equipa principal do Man City. 

Etiquetas: