«Há mais espaço para jogar na Champions do que nalguns jogos da II Liga»

Uma questão de contexto, para Bernardo, com o seu talento, foi mais fácil adaptar-se a um patamar mais elevado, do que seria se em vez de ter ido para o Mónaco fosse colocado numa equipa que joga para não descer. Mas isso foi uma excepção. Infelizmente em Portugal, muitos jovens que estão nas equipas B acabam por se perder, devido a estarem demasiado tempo num campeonato em que é complicado evoluir ou por os seus clubes errarem na maneira como gerem as suas carreiras, com cedências pouco pensadas. 

Bernardo Silva é um dos destaques da edição de dezembro da revista FPF 360, publicação oficial da Federação Portuguesa de Futebol. O médio do Mónaco falou da formação, da sua afirmação e do que espera para o futuro. 

Jovem português
«Foi criado durante muitos anos, no futebol português, o mito de que os jovens jogadores não estavam preparados. Sinceramente acho que é mesmo mito. Comprova-se isso com as equipas B. Benfica, Sporting e FC Porto têm miúdos que sobem dos juniores e acabam por formar das melhores equipas da segunda liga, que não é um campeonato fácil. Eles afirmam-se com relativa facilidade. Claro que precisam do seu tempo para se adaptar e ir subindo passo a passo, mas no essencial estão preparados.»

Formação e equipas B
«Quando cheguei ao Benfica, com sete anos, sentia que as condições não eram as mais indicadas. Agora saio e vejo que todos os clubes portugueses dão excelente preparação aos seus jogadores. As equipas B foram um grande passo e estão a ajudar imenso os jogadores nessa tal transição. Era um espaço que faltava.» 

Salto da II Liga para a Champions
«Fui-me adaptando aos poucos. Senti obviamente uma grande diferença, mas fui-me sentido bem. É espectacular jogar na competição mais importante de clubes. Julgo que há mais jovens preparados para o fazer se tiverem o apoio necessário. Felizmente eu tive-o e conseguir estar à altura. Se é mais fácil jogar quando se tem bola? Sim, curiosamente há mais espaço para se jogar na Champions do que nalguns jogos da II Liga. Na II Liga as equipas jogam muito fechadas, em jogo directo e são muito agressivas.

Importância do físico
«Tentar pensar e executar rápido. Se formos capazes de fazê-lo conseguimos fugir aos obstáculos físicos. A parte física é sempre importante, mas à medida que o nível vai subindo o fundamental é um jogador saber pensar o jogo e ser inteligente na abordagem. Saber as suas características e, a partir delas, o que pode e não pode fazer.

Futuro
«Quero fazer uma boa época, adorava estar no Europeu, quero fazer uma época igual ou melhor que a anterior no Mónaco e, se tudo correr bem, depois logo se vê se devo ficar, se não devo…»

Etiquetas: