NFL Semana 14 - A um passo dos playoffs

Quais são os confrontos que anseiam ver nos playoffs? E quais as equipas que devem garantir os wild-cards?

Faltam apenas três jogos para conhecermos o quadro dos playoffs. O cenário começa a compor-se, e Panthers, Patriots e Cardinals já marcaram o seu lugar com alguma tranquilidade, uma vez que já venceram as respectivas divisões. Na AFC Bengals e Broncos deverão garantir também os seus lugares, faltando saber quem vencerá a AFC South, uma vez que Texans, Colts e Jaguars ainda têm todos hipóteses. Na luta pelos wild cards, os Jets, os Steelers e os Chiefs, exactamente com o mesmo score, vão lutar taco a taco pelas duas vagas. Na NFC, falta fechar a divisão North, com os Packers neste momento com vantagem de 1 jogo sobre os Vikings, e a divisão East, com Redskins, Giants e Eagles, todos com saldo de 6 vitórias e 7 derrotas, e todos com legítimas expectativas. Para wild cards, as equipas que não vencerem as divisões acima terão vantagem, mas quem parece já ter garantido o seu lugar são os Seahawks que voltaram à sua velha forma.

Nos jogos da semana 14:
Tivemos logo a abrir na quinta feira, um jogo volátil entre os Vikings e os Cardinals. Adrian “Rushing King” Peterson abriu as hostilidades e atingiu o seu TD nº 100. Os Cardinals empataram o jogo e levaram o duelo para intervalo com o máximo de equilíbrio possível. Na segunda parte, Carson Palmer a fazer a sua época de sonho, foi distribuindo bolas por toda a gente à frente dele fossem receivers ou não, enquanto a defesa dos Cardinals, começou a massacrar Teddy Bridgewater e Adrian Peterson. Contudo os Vikings não caiam, e o jogo ia para as suas últimas duas posses empatado a 20. Palmer fez o seu trabalho, pondo o kicker dos Cards em posição de converter o 23-20, enquanto na última drive dos Vikings, Bridgewater deixou-se antecipar por Dwight Freeney para um sack decisivo. Vitória dos Cardinals que continuam com o seu fantástico percurso e são das equipas mais temidas e consistentes durante toda a época.

No domingo, o grande destaque foi inteirinho para um jogo entre duas equipas candidatas a um lugar de destaque. Os Bengals estavam muito próximos de garantir o seu lugar no playoff mas para tal tinham que vencer em casa os Steelers num jogo que seria quente…muito quente. E começou logo com um sururu, já que os Steelers (no seu habitual modo bad boys) não se esqueceram de quem enviou La´Veon Bell para o estaleiro e começaram a impor respeito. A primeira vitima foi Andy Dalton. O QB dos Bengals saiu lesionado muito cedo no jogo (estima-se que não seja grave) e obrigou à entrada de AJ McCarron que fez o seu primeiro passe para TD na carreira ao descobrir o outro AJ, o Green para equilibrar a partida. De Angelo Williams foi fazendo a diferença com 2 TD´s e a imaturidade de AJ McCarron fez o resto, já que a defesa dos Steelers aproveitou tudo o que era sobra e maus passes para capitalizar. Resultado, 33-20 para os Steelers, que estão cada vez mais ameaçadores, e a sua linha ofensiva quebrou um franchise record, de 5 jogos consecutivos a marcar mais de 30 pontos.

Quem voltou à velha forma foram os Seahawks que foram a Baltimore trucidar os Ravens por 35-6. É verdade. Depois de um inicio péssimo, depois das lesões de Marshawn Lynch e Jimmy Graham, todo o peso passou para Russell Wilson, e o QB de Seattle não defraudou. Muito pelo contrário. Segundo jogo esta época a distribuir 5 passes para TD, e um nível que ainda não se tinha visto. Aliás Russell será provavelmente o QB em melhor forma actualmente. Quem tem aproveitado é Doug Baldwin, o receiver de referência de Wilson com 3 TD, e o rookie Tyler Lockett com mais 2. Apesar da dominância, do estilo ofensivo menos assente no running game e mais fluido, e no regresso em grande da Legion of Boom, os Hawks perderam mais dois elementos fundamentais, Thomas Rawls o outro rookie sensação e Kam Chancellor.

No dos grandes derbys do Football na América, os Packers em casa venceram com alguma tranquilidade os Cowboys por 28-7. Num jogo em que o tempo de Green Bay fez das suas, o processo ofensivo dos Packers passou pelo running game, e Eddie Lacy voltou aos jogos em grande e James Starks fez o resto. Em Dallas as esperanças foram-se de vez, e convém começar a preparar a próxima época. O front office dos texanos deve apostar forte no draft sem cometer erros de julgamento desta vez. Há ainda Dez Bryant… que ainda este jogo voltou a ser confrontado com a regra do que é (ou não) uma “good catch”.

Os Patriots visitaram os Texans em Houston após duas derrotas consecutivas, num jogo em que teriam que defrontar uma das melhores defesas da liga. Contudo regressou Gronkowski… e regressou logo para ser a principal arma ofensiva e receber na end zone um passe de Brady. JJ Watt que jogou com a mão ligada, não só não conseguiu fazer mossa em Tom Brady, como as grandes figuras do encontro até foram os defensores de New England. E como sofreu Brian Hoyer (5 sacks)!!! 27-6 para os Patriots que vencem assim a sua divisão.

Nos outros jogos, o grande destaque vai para o massacre total que os Jaguars infligiram aos Colts. 51-16 foi o resultado final. O chamado 50 burger! Blake Bortles e a sua linha ofensiva recheada de talento marcaram de todas as maneiras e feitios. Aliás, marcou a linha ofensiva, a defensiva e as special teams. Deu para tudo! Como são maus estes Colts sem Andrew Luck! Mas o mais engraçado é que mesmo assim podem assegurar um lugar nos playoffs…

Os Panthers selaram a vitória na fase regular com mais uma coça. Desta feita as vítimas foram os Falcons, que depois de um início muito promissor, afundaram-se na mediocridade. Cam Newton continua a dançar e a correr, Jonathan Stewart esteve maquinal, Ted Ginn Jr é um receiver muito competente e a defesa dos Panthers é qualquer coisa de assombrosa. O resultado quase que ficou selado no primeiro quarto e a partir daí foi só gerir. Deu até para Cam descansar durante um período. Contudo o TE Greg Olsen saiu lesionado…

Os Titans e os Bucs dos QB rookies estrela Marcus Mariotta e Jameis Winston, desta feita não tiveram vida fácil. Os de Tenessee apanharam o colectivo verde de Todd Bowles com a sua defesa fortíssima que limitou os Titans a 8 pontos. Fitzpatrick é que parece rejuvenescido e mesmo quando a defesa é o ponto forte, ele continua a distribuir TD´para as suas principais armas, o perigosíssimo Brandon Marshall e o prolífico Eric Dekker. 30-8 para os Jets.

Os Bucaneers apanharam pela frente com uma conexão entre Marques Colston e Drew Brees e os super irregulares Saints venceram por 24-17.

O triunvirato que luta pela NFC East venceram todos. Os Eagles (quem diria…) venceram em casa os Bills por 23-20 num jogo que opôs as duas maiores personagens dos bancos da NFL, Chip Kelly e Rex Ryan, enquanto os Redskins venceram fora de casa pela primeira vez esta época frente aos Bears por 24-21 e já na segunda-feira os Giants foram a Miami dizer presente e despachar os Dolphins por 31-24.

Nos restantes 4 jogos, os Chiefs mantiveram a onda vitoriosa sobre os Chargers por 10-3 (sim, os Chargers fizeram apenas 3 pontos!), os Raiders conseguiram surpreender em Denver por 15-12, os Rams venceram os Lions por 21-14 (aquele jogo contra os Packers fez mossa em Detroit), e finalmente naquela que foi a meia surpresa da semana, os Browns venceram os 49’ers por 24-10.

Jogos a seguir da semana 15:
Indianapolis Colts vs Houston Texans: Jogo absolutamente decisivo para determinar o vencedor da AFC South. Quem chegar às 7 vitórias terá quase o passaporte assegurado e os Colts sem Luck, vão agarrar-se ao factor casa para ganharem vantagem sobre os Texans.
New York Giants vs Carolina Panthers: Mantendo a mesma linha de raciocínio este jogo é decisivo para os Giants. A turma de Eli Manning tem que vencer os invictos Panthers e esperar por um deslize dos Redskins em casa frente aos Bills. Mas é destes jogos que os Giants gostam, e se Cam Newton e companhia não perderem este jogo quase que garantem o 100% de vitórias.
Washington Redskins vs Buffalo Bills: Nem nos seus melhores sonhos, Jay Gruden poderia achar que iria chegar a esta fase a uma vitória caseira de garantir o lugar nos playoffs e vencer a divisão. Pela frente os Bills que ainda ambicionam lá chegar via wild card, mas para isso têm obrigatoriamente de vencer os indios. Jogo onde só a vitória interessa.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): Flávio Trindade

Etiquetas: