Bastou um ataque do União para estragar o Natal do Sporting

União da Madeira 1-0 Sporting (Danilo Dias 68')

Semana negra para o Sporting. Os leões, depois da eliminação para a Taça, foram derrotados na Madeira e correm o risco de chegar ao Clássico no 2.º lugar. Um desaire, o 1.º na Liga, que valoriza a eficácia do União, que marcou no único ataque que fez e castiga o jogo lento e previsível dos verde e brancos, que apesar do domínio, à semelhança do que tem sido esta época (salvo algumas excepções, principalmente contra o Benfica) voltaram a ter pouca qualidade no último terço. Jesus, que pelo 2.º jogo consecutivo para o campeonato voltou a sentar William, também não foi feliz nas substituições, demonstrando novamente que não tem um plano B. Sendo que este resultado além de poder permitir a ultrapassagem do FC Porto coloca o Benfica apenas a 4 pontos dos leões. Já para o conjunto insular, que teve André Moreira em grande baliza, o Natal não podia ser mais positivo, com 4 pontos conquistados frente aos "grandes" de Lisboa.

Quanto à partida, Jorge Jesus promoveu algumas alterações em relação ao jogo com o Braga, lançando Naldo, Esgaio, Gelson e Montero, mas os Leões começaram com muitas dificuldades para se aproximarem da baliza de André Moreira com perigo. O União fechava-se bem atrás, praticamente renunciando a ter posse e atacar, e o Sporting só criou perigo nos primeiros 30 minutos por Jefferson, num livre que André Moreira defendeu, e, sobretudo, por Slimani, que descaído para a esquerda da área rematou cruzado perto do poste, sendo que a oportunidade mais clara surgiu mesmo em cima do intervalo, com Montero, após cruzamento de Gelson, a disparar já quase na pequena área mas com Moreira a conseguir responder. A segunda parte começou com a mesma tónica, com o “autocarro” dos Insulares bem instalado à entrada da área e o Sporting a criar poucas situações de finalização (apenas Paulo Oliveira e Ruiz tiveram tímidas investidas de cabeça, já que a lentidão e pouca acutilância ofensivas dos visitantes impediram a criação de mais desequilíbrios), acabando por ser o União a chegar à vantagem praticamente na primeira vez que chegou à baliza de Patrício: reposição lateral na direita, a bola chega a Paulinho, que ganha a linha final no duelo com Naldo e cruza ao segundo poste, onde o recém-entrado Danilo Dias apareceu para marcar. Logo na resposta, o Sporting teve a sua melhor chance até ao momento na segunda parte, com um cabeceamento de Slimani a passar a rasar o poste direito de André Moreira. Após o golo sofrido, os Leões forçaram em busca do empate, tendo diversas oportunidades claras nos últimos minutos, nomeadamente através de Gelson, Montero, Slimani ou Tanaka, mas André Moreira foi gigante, os jogadores leoninos foram perdulários e os 3 pontos foram mesmo para a equipa de Norton de Matos.

União da Madeira - Vitória crucial na luta pela manutenção. Depois da goleada em Paços de Ferreira, os Insulares conseguem 4 pontos frente a Benfica e Sporting, e aquilo que parecia ser um desfecho traçado para Norton de Matos deve significar um importante balão de oxigénio para o técnico e para a equipa. O plano de jogo foi claro (e praticamente igual ao colocado em prática contra o Benfica), com as linhas muito baixas, muita solidariedade e ajudas defensivas e risco zero quando em posse. O União acabou por ser feliz, marcando praticamente na única aproximação à baliza contrária. Individualmente, André Moreira foi o melhor em campo, com uma série de defesas cruciais, além de ter demonstrado sempre bastante serenidade sempre que foi chamado a intervir. O quarteto defensivo esteve seguro, com destaque para Paulo Monteiro, que varreu quase sempre a sua zona, e para Paulinho, com uma acção decisiva no golo (tirou da frente Naldo e sacou um bom cruzamento). Os médios cumpriram a sua missão de cobertura e de rigor posicional, ao passo que os avançados tiveram uma missão de sacrifício, sobretudo os extremos, sempre a cobrir os laterais, tendo o herói sido Danilo, que saiu do banco para decidir o encontro.

Sporting - A pior semana da temporada, e logo numa altura crucial. Os Leões após a saída da Taça somaram a primeira derrota no campeonato, correndo o sério risco de perder a liderança da prova e de abordar o clássico da próxima jornada em desvantagem pontual. Uma vez mais os homens de JJ tiveram dificuldades para superar um bloco baixo e organizado, muita pela falta de capacidade de desequilíbrio individual e de velocidade (é normal que o treinador suspire por um "Carrillo). No único lance em que foi chamado a intervir, Rui Patrício pareceu algo lento a reagir, não conseguindo evitar o golo, ao passo que Naldo foi batido de forma demasiado fácil por Paulinho e os laterais poucas vezes incomodaram o último terço do adversário. No meio-campo, nem Adrien, nem João Mário (uma vez mais substituído muito cedo) nem Aquilani deram a qualidade necessária à posse, não conseguindo também ter chegada à área rival. Nas alas, Gelson voltou a ter muita bola mas a definir de forma horrível e Ruiz teve alguns detalhes de qualidade mas sem conseguir furar a muralha. Na frente, Montero teve alguns bons pormenores recuando um pouco mas, globalmente, pouco impacto teve, enquanto Slimani desperdiçou as melhores ocasiões de golo, nomeadamente uma, já perto do fim, dificilmente aceitável (estava quase na pequena área).

Etiquetas: , ,