12: Habemus Especialista

As bolas paradas são cada vez mais importantes no futebol, ou não fossem elas o quinto momento do jogo como alguém profetizou. Todavia, umas são mais decisivas que outras e as grandes penalidades assumem um particular destaque, uma vez que se traduzem, predominantemente, em golos. Dentro dessa lógica, Lopetegui sentiu-se lesado e lançou a questão na praça pública. Ninguém conhece o “expert” da equipa na marca dos 11 metros, dizia o basco. Acontece que esse momento não tardaria, visto que o “síndrome Tonel” voltaria a contagiar alguém. Baixinho foi o novo portador do vírus e num acto intempestivo possibilitou a Layún o primeiro tento de penalty para o FC Porto em 2015/16. O mexicano não vacilou, demonstrando que, perante tão surpreendente escolha, haviam motivos para a curiosidade da crítica. Igualmente feliz na noite do Dragão foi o compatriota Corona, que se tornou no principal artilheiro dos dragões até ao momento, superando um perdulário Aboubakar. Por outro lado, outro especialista mora na Luz. Um doutorado em finalização, de seu nome Jonas. O brasileiro aumentou a distância na lista dos melhores marcadores da Liga (lidera com 10 golos), curiosamente também num frente a frente com o guarda-redes adversário, beneficiando de dois erros despropositados dos estudantes. Ainda assim, a estrela mais cintilante da partida voltaria a ser o ainda júnior, Renato Sanches. Na sua estreia na Luz, o menino não mais esquecerá aquela noite, marcada por um golaço perto do fim. Na Madeira, o Sporting procurava recuperar a liderança perdida uns minutos antes para o rival do Norte. Adrien assinou o nome nos marcadores do jogo, mas o herói da bancada foi Rui Patrício. "Nascido nos Barreiros", o guardião da Selecção nacional segurou mais um importante triunfo pela margem mínima, numa exibição que voltou a ficar aquém do desejado. Analisando os restantes confrontos, o Braga escorregou em Moreira de Cónegos, tendo Hassan vacilado de novo na hora H, o Vitória de Guimarães colocou-se a dois pontos dos lugares europeus, voltando a vencer duas vezes consecutivas um ano depois, o Vitória Setúbal esmagou o Belenenses no Restelo e o Nacional não conseguiu segurar o triunfo na Linha, sucumbindo perante um golaço de Bonatini perto do final do encontro. Por fim, o Boavista não reagiu da melhor maneira à saída de Petit e, apesar dos protestos em torno de Jorge Ferreira, deixou três pontos em Arouca, clube que não vencia deste Agosto, enquanto que o União da Madeira deu um pontapé na crise derrotando o aflito Tondela no seu estádio, um resultado que funciona como um balão de oxigénio para Norton de Matos.

Equipa da Semana: V.Setúbal – Depois do deslize em casa com o União da Madeira, os sadinos fizeram uma viagem curta ao Restelo e trouxeram para casa os três pontos de forma categórica. Graças a este triunfo e à perda de pontos dos adversários, os pupilos de Quim Machado, que possuem o terceiro melhor ataque da Liga, em igualdade com o líder, situam-se no 6º lugar da tabela classificativa, tendo os mesmos pontos do último clube em lugar de acesso às competições europeias. Além disso, a equipa denota trabalho e demonstra rendimento exibicional, sendo de realçar a valorização que alguns jogadores, muitos deles portugueses, tem sofrido nas últimas semanas.

Equipa Desilusão: Belenenses – No fundo da semana, o conjunto de Sá Pinto. Após uma brilhante exibição em termos defensivos em Alvalade, apenas estragada por um erro infantil, os Azuis do Restelo não souberam lidar com a mobilidade do ataque do Vitória e sofreram uma derrota pesada perante os seus adeptos. A presença na Liga Europa não justifica tudo e, caso os resultados internos não melhorem (o Belém ocupa o 13º lugar, detendo a pior defesa do campeonato), é natural que a pressão aumente.

Melhor 11: Rui Patrício (Sporting), João Diogo (Marítimo), João Afonso (V.Guimarães), Zainadine (Nacional), Layún (FC Porto), Adrien Silva (Sporting), Renato Sanches (Benfica), Salvador Agra (Nacional), Ivo Rodrigues (Arouca), Suk (V.Setúbal), Henrique Dourado (V.Guimarães)

Jogador da Semana: Suk (V.Setúbal) – Depois de 6 meses de estágio em Setúbal, o sul-coreano apareceu totalmente revitalizado esta época e, ao leme de Quim Machado, volta a apresentar o melhor que se viu dele em Portugal, na altura ao serviço do Marítimo. Forte, rápido, bom tecnicamente e com bom poder de finalização, o avançado dos sadinos soma já 7 golos na Liga e, juntamente com André Claro, tem espalhado o terror nas defesas adversárias, sendo natural que o assédio de clubes com outras ambições e poderio financeiro reacenda. 

Jogador Desilusão: Aboubakar (FC Porto) – A jornada acabou por ser positiva para os Dragões, visto que obtiveram a terceira vitória numa semana, mas a verdade é que a mesma poderia ter sido estragada pelos falhanços gritantes do camaronês frente ao Paços de Ferreira. Displicente na hora de atirar à baliza, o 9 dos azuis e brancos, que desde 16 de Setembro só marcou 2 golos em todas as competições, não atravessa dias felizes e o seu treinador certamente que não estará contente com o seu rendimento.

Jogador a Seguir: Miguel Silva (V.Guimarães) – Surpresa no 11 dos vimaranenses no Bessa, manteve-se na equipa nesta jornada e demonstrou ser uma aposta por Sérgio Conceição. Numa altura em que são poucos os guarda-redes portugueses na Liga, sobretudo jovens, o guardião de 20 anos poderá marcar uma nova era na baliza do Vitória e ser mais um na calha para a lista de Rui Jorge.

Rodrigo Ferreira

Etiquetas: