Super Aubameyang teve em Ginter o "Robin" (já Hummels foi dando vida ao rival); City escorrega frente ao último; Juventus a recuperar; Dzeko e Gervinho resolvem dérbi mas Roma deve ter perdido Salah

Conjunto de Tuchel deu a ideia de que podia golear, mas erros defensivos (Hummels esteve mal nos 2 golos, Sokratis também falhou no 2.º) foram deixando o jogo em aberto e o killer instinct de Huntelaar e uma super exibição de Fahrmann quase ditavam um resultado injusto.

O Dortmund bateu o Schalke 04, por 3-2, e continua na perseguição ao Bayern. Num Derby de Ruhr recheado de oportunidades, nos anfitriões Ginter contribuiu com um golo e uma assistência, o inevitável Aubameyang também marcou e Weigl, com mais uma exibição incrível, foi um dos melhores em campo. No Schalke, Sané criou e Huntelaar bisou, ao passo que Meyer continua a desiludir. Duelo intenso e com emoção, como se esperava. A primeira parte foi bastante táctica, com Breitenreiter a montar a sua equipa no habitual 4-4-2, mas com a novidade de Di Santo fechar o lado direito e Sané juntar-se a Huntelaar na frente. A organização dos mineiros estava a anular a dinâmica habitual do Dortmund, mas uma subida de Ginter pela direita criou o desequilíbrio que resultou no primeiro golo. Cruzamento do lateral-direito e um golo improvável de Kagawa (mais um excelente jogo), com a cabeça. Pouco depois, Hummels comete um erro grave na saída de bola, Goretzka lançou Sané e o miúdo, com uma grande arrancada, ultrapassou Sokratis e ofereceu o golo a Huntelaar. O 2-1 surgiu ainda na primeira parte, e o desequilibrador foi o mesmo do primeiro golo. Ginter, num lance de bola parada, levou a equipa de Tuchel em vantagem para o intervalo. E se o Schalke esteve no jogo até final, bem pode agradecer a Fahrmann. O Dortmund entrou demolidor na segunda parte e o 3-1 surgiu cedo. Uma perda de bola dos mineiros resultou numa transição rápida e Gonzalo Castro, que fez uma partida muito interessante na ausência de Reus, assistiu Aubameyang, que relembrou o Batman. A pressão dos schwarzgelben não abrandou e obrigou o conjunto de Breitenreiter a cometer vários erros na saída de bola. Fahrmann agigantou-se e foi mantendo o Schalke no jogo, até que um erro de Hummels (falhou o corte no meio campo) e depois de Sokratis, com uma péssima abordagem a um cruzamento de Hojbjerg, permitiu que Huntelaar bisasse com grande classe. O dinamarquês, que é estranhamente suplente na equipa azul, entrou muito bem e quase fazia o empate, numa jogada em que Burki, com um toque ligeiro, levou a bola a embater no poste. Nos minuto finais, o Dortmund preocupou-se sobretudo em manter a vantagem, elevando-se Weigl a um nível assombroso. Que maturidade incrível do médio, quer a segurar a bola, quer nos processos de pressão e recuperação. A equipa da casa complicou o que parecia feito, mas a vitória não fugiria.

Villans abusaram do anti-jogo e acabaram por ser felizes, numa partida em que Fernando atirou à barra nos descontos - Não acontece muitas vezes mas o City ficou em branco na deslocação ao terreno do Aston Villa (0-0) e corre o risco de perder o 1.º lugar na Premier League. Frente ao último classificado do campeonato inglês os Citizens, mesmo sem realizarem um grande jogo, foram superiores, tiveram algumas oportunidades na 2.ª parte (Kevin de Bruyne falhou um golo relativamente fácil de calcanhar e Fernando atirou à barra, de cabeça, já nos descontos), mas nunca conseguiram ultrapassar Guzan. Mérito também dos anfitriões, que na estreia de Rémi Garde (apesar de terem  demonstraram uma boa organização defensiva num jogo que fica igualmente marcado pela falta de fair-play do Aston Villa, algo que não é habitual na Premier League. Num lance em que o City coloca a bola fora por suposta lesão de N’Zogbia, Gestede atira a bola para Hart mas de maneira a provocar o erro do guardião, que domina mal e dá canto, sendo que na bola parada o avançado até ficou perto de marcar.

A Roma confirmou o favoritismo no derby e somou a 5.ª vitória consecutiva em casa para o campeonato, apesar do dia não ter sido totalmente positivo já que Salah, sofreu uma lesão aparentemente grave no pé direito, num lance com Lulic, e pode ficar algum tempo afastado dos relvados; A Vecchia Signora, por sua vez, apesar de ter começado a perder, continua a recuperar na tabela - No jogo mais aguardado da jornada 12 da Serie A, a Roma bateu o eterno rival Lazio no Olímpico por 2-0, tendo os golos sido apontados por Dzeko, de grande penalidade, e Gervinho. Num jogo dominado pelos giallorossi, a formação de Rudi Garcia levou assim a melhor e colocou alguma pressão na Fiorentina. Já a campeã Juventus venceu fora o Empoli por 1-3. Maccarone deu vantagem à equipa da casa, mas Mandzukic, Evra e Dybala consumaram a reviravolta. Com estes 3 pontos a Vecchia Signora subiu, à condição, ao 7.º lugar, estando agora a 9 pontos da liderança. Nos restantes encontros, Frosinone e Génova empataram a 2 bolas (Blanchard e Diakité para o conjunto da casa, Pavoletti e Gakpé para os forasteiros), enquanto que Palermo e Sassuolo venceram em casa pela margem mínima. A turma de Iachini venceu o Chievo graças a um golo de Gilardino, enquanto que Sansone voltou a marcar e a oferecer os 3 pontos à sua equipa diante do Carpi.

Etiquetas: , ,