Ronaldo mal, Real é dominado, mas jogador utilitário garante oitavos-de-final; Man City também já está na próxima fase; Rooney aparece; Shakhtar goleia; Juventus empata; PSV entra na luta

PSG claramente melhor que este Real sem James, Bale e Benzema (Parisienses desperdiçaram quase uma dezena de oportunidades de golo); City está em grande, com o primeiro lugar na PL e a passagem aos Oitavos já assegurada (o que tendo em conta o passado recente e o valor do grupo é de realçar); Tudo em aberto no grupo B, mas Rooney, que não marcava há quatro jogos, deu a liderança ao United.

Grupo A: Real Madrid 1-0 PSG (Nacho 35’); Shakhtar 4-0 Malmö (Gladkiy 29’, Srna 48’ (p), Eduardo 55’ e Alex Teixeira 73’) - Vitórias locais neste grupo, com o Real a conseguir desde já o apuramento para os Oitavos e o Shakhtar a igualar o Malmo na luta pela Liga Europa. Num dos jogos grandes da noite, o Real Madrid bateu o PSG por 1-0, graças a um caricato golo de Nacho. No entanto, os visitantes foram claramente melhores, tendo desperdiçado inúmeras oportunidades no primeiro tempo e acabado o encontro a ver Di Maria (que esteve muito bem no regresso a Madrid) a acertar na barra. Face ao fraco jogo da sua equipa, os adeptos Blancos brindaram, por diversas vezes, os jogadores com assobios. Quanto ao jogo, após um início algo confuso, com vários problemas físicos (Verratti teve mesmo de sair por Rabiot), o PSG começou a criar perigo, primeiro com uma bela arrancada de Di Maria que deu a chance a Matuidi de rematar (mas o francês disparou mal) e sobretudo com dois remates de Ibra, o primeiro a rasar o poste esquerdo de Keylor e o segundo num livre com muito perigo. Os visitantes eram melhores, dominavam a posse, com os Merengues a limitarem-se a correrem atrás do esférico, incapazes de criar perigo. O Bernabéu não gostava, e à passagem da meia-hora Marcelo teve de sair lesionado (entrou Nacho), em nova lesão de um jogador importante dos Blancos. No entanto, na primeira vez que tocou na bola, o Espanhol marcou: remate de Kroos que bate num jogador do PSG, com a bola a subir imenso e, quando toda a gente achava que o esférico ia fora, Nacho chegou ao mesmo e, com Trapp fora da baliza, marcou, num dos golos mais caricatos da noite. Logo a seguir, nova chance para os Franceses, com Rabiot a rematar ao poste. Era o Real quem liderava, mas a equipa de Blanc não parava de desperdiçar ocasiões: primeiro foi David Luiz a rematar forte, e depois foi Ibra a ficar a centímetros de colocar nas redes um cruzamento de Maxwell. Já nos descontos, os locais tiveram a sua primeira boa combinação ofensiva, conseguindo trocar um bom número de passes perto da área rival pela única vez no desafio, mas Isco, com Ronaldo em boa posição, rematou de pé esquerdo para defesa de Trapp. Ainda antes do intervalo, nova oportunidade para o PSG, com Di Maria a isolar Cavani, mas o Uruguaio tentou picar sobre Keylor, o remate saiu enrolado e Varane conseguiu despejar a bola. A segunda metade começou com o PSG menos dominador do que nos primeiros 45 minutos, com a primeira situação de perigo a ser do Real, com Isco a rematar de longe para boa defesa de Trapp. Os visitantes deixaram de estar tão por cima, com os locais a deixarem de concederem tantas ocasiões de golo. De facto, só Di Maria agitava as operações (esteve perto de marcar de canto directo) sendo que, já perto do fim, Kroos, após excelente pormenor de Modric, disparou para boa defesa de Trapp. Mesmo em cima do fim, Di Maria esteve quase a fazer o empate, mas o seu livre foi à barra. Destaque para o péssimo jogo do Real (mal em quase tudo, concedendo quase uma dezena de oportunidades ao rival, sem pressionar bem e não criando quase nada no ataque), Danilo (muitas perdas de bola), Casemiro (sem controlar a sua zona de acção e com pouca qualidade com bola) e Ronaldo (não pressiona na frente, o que facilita a saída de bola do rival, e somou acções infelizes) estiveram particularmente mal, sendo que a única boa notícia para os Merengues é o facto de Nacho cumprir sempre que é chamado, e em todas as posições. Já o PSG fica com o amargo de boca de ter desperdiçado muitas ocasiões, tendo perdido num lance em que Trapp ficou muito mal na fotografia. Ibrahimovic esteve muito bem (criando perigo no remate e sempre que baixava para tocar entre-linhas), ao passo que Di Maria, no seu regresso ao Bernabéu, foi talvez o melhor em campo, oferecendo um golo a Cavani, rematando na barra e agitando sempre as operações com o seu repentismo.

Grupo B: Manchester United 1-0 CSKA Moscovo (Rooney 79’); PSV 2-0 Wolfsburgo (Locadia 55’ e De Jong 86’) - Num grupo muito equilibrado, o Manchester United conseguiu uma crucial vitória que coloca os Red Devils na liderança do grupo, com o PSV a ocupar o segundo lugar, sendo que continua tudo em aberto (as quatro equipas estão separadas por três pontos). Em Old Trafford, a equipa de Van Gaal sentiu muitas dificuldades para vergar o CSKA, mas aos 79' Carrick abre bem para Lingard, que assiste de primeira para Rooney que não falha, no seu primeiro golo na fase de grupos da Champions desta temporada. Já na Holanda, o PSV, que já havia derrotado o United em casa, bateu o Wolfsburgo por 2-0 e colocou-se em posição de qualificação para os Oitavos. Os golos só surgiram na segunda parte, primeiro com Locadia, muito bem assistido por De Jong, a fazer o primeiro golo, e depois com o próprio De Jong, já perto do fim, a marcar num belo chapéu.

Grupo D: Borussia Mönchengladbach 1-1 Juventus (Fabian Johnson 18’; Lichtsteiner 44’); Sevilha 1-3 Manchester City (Trémoulinas 25’; Sterling 8’, Fernandinho 11’ e Bony 36’) - Apuramento garantido para o Manchester City, que depois do tropeção na primeira jornada frente à Juve soma somente vitórias, sendo que a Juve também está na rota dos Oitavos (tem mais cinco pontos que o terceiro, o Sevilha). Na Alemanha, empate a um entre Borussia Monchengladbach e Juventus, tendo os homens da casa entrado a vencer, com Raffael a aproveitar um mau corte de Chiellini para servir Johnson, com o Norte-Americano a rematar cruzado para o 1-0. Em cima do intervalo, a Vecchia Signora empatou com um golaço: enorme assistência de Pogba para Liechsteneir rematar sem deixar a bola cair no chão. No segundo tempo, Hernanes foi expulso, mas o resultado não se alterou. Já em Sevilha, superioridade clara do City, que não deu hipóteses e venceu por 3-1, selando já a passagem à próxima fase. Logo aos 8', Sterling abriu o marcador num bom remate cruzado de pé esquerdo, com Fernandinho, três minutos depois a fazer o 2-0, após uma primeira tentativa de Bony na sequência de bela jogada de Sterling pela esquerda. Os Andaluzes ainda reagiram, com Trémoulinas a reduzir aos 25', mas Bony fixou o resultado final onze minutos depois, a passe de Jesus Navas.




Etiquetas: