Recital leonino na Rússia; Sporting (que não vencia fora desde 2011) goleia e fica a depender de si; Montero brilhou com um golo e duas assistências; Gelson (endiabrado) também marcou e assistiu; Ruiz consumou reviravolta com um golaço; Dupla Ewerton-Naldo deu boas indicações; Adrien novamente em destaque

Lokomotiv 2-4 Sporting (Maicon 5' e Miranchuk 86'; Montero 20', Ruiz 38', Gelson 43' e Matheus 60')

O conjunto de Jesus ligou o chip e nesta fase está a apresentar muita confiança e qualidade de jogo. Momento que permitiu ao Sporting golear na Rússia (onde nunca tinha vencido) o Lokomotiv e ficar a depender de si para continuar na Liga Europa (tem de vencer o Besiktas, caso o emblema de Moscovo derrote o Skënderbeu). Os leões, que não venciam fora nas competições europeias desde 2011 (foram 17 jogos seguidos sem somar os 3 pontos), até entraram na partida praticamente a perder mas com uma 1.ª parte de alto nível (várias oportunidades, boa circulação e movimentação, e a jogar sempre no meio campo contrário) deram a volta ao marcador e no 2.º tempo depois de um inicio tremido acabaram por controlar. Noite que valoriza ainda mais JJ, com a sua equipa a dizer presente quando estava obrigada a vencer, mas que fica marcada pela grande prestação individual de Montero (um golo e duas assistências), Gelson (um golo, o 1.º pelos leões na Europa, e uma assistência que "matou" o jogo), Ruiz (golo, bola ao poste e várias acções de bom nível), Adrien (voltou a encher o campo a jogar a médio defensivo) e da dupla Ewerton-Naldo que, ao contrário do que Oliveira e Tobias fizeram em Alvalade, secaram Niasse.

Em relação ao encontro, Montero até deixou o 1.º aviso, mas foi o Lokomotiv a adiantar-se no marcador logo aos 5 minutos, num lance onde Maicon, isolado, aproveita um passe em ressalto de Adrien para bater Boeck. No entanto, a turma de Jorge Jesus não se intimidou e assumiu as despesas do jogo impondo a sua qualidade de circulação de bola. Matheus foi o primeiro a testar Guilherme, tendo Montero empatado a partida poucos minutos depois, aproveitando um cruzamento de Esgaio que ainda esbarrou em Denisov. O conjunto verde e branco apresentava-se tranquilo em campo e Gelson por pouco não fez a reviravolta no marcador, numa excelente jogada com Matheus Pereira. Não marcou o extremo, marcou Bryan Ruiz, que, após uma tabela com Montero, finalizou "à Messi", com um remate em "colher" por cima de Guilherme. De seguida, o costa-riquenho perdoou o 3-1 num cabeceamento a rasar o poste, mas Gelson, logo depois, isolado por Montero, não vacilou e fixou o resultado ao intervalo. Na 2.ª parte, o Lokomotiv trouxe outra atitude e agressividade e esteve perto de marcar, por intermédio de Manuel Fernandes (disparou ao lado) e num lance em que Esgaio alivia para a barra da baliza leonina, tendo Ewerton evitado o pior. No entanto, quando os russos pareciam querer assumir o controlo do jogo, Gelson isolou Matheus e o jovem brasileiro finalizou com sucesso. Pouco depois Ruiz atira à barra num lance com nova participação de Montero. A partir daí, a formação leonina tentou gerir o encontro (Jesus lançou André Martins e Aquilani) e o jogo acabou por ter pouca história. Até que, Miranchuk, jogador que entrou no 2.º tempo, aproveitou a passividade leonina dentro da área, principalmente de Esgaio, e reduziu para 2-4 já perto dos 90. Slimani (que substituiu Montero) também ainda teve uma oportunidade mas o resultado não se alterou.

Sporting - Numa partida que definia parte do futuro dos leões (e sair já da Europa, depois de uma época projectada para marcar presença na Champions, era um descalabro), a equipa de Jesus (que alinhou com Marcelo Boeck; Ricardo Esgaio, Ewerton, Naldo e Jonathan; Adrien e João Mário; Gelson Martins, Matheus Pereira e Bryan Ruiz; Fredy Montero) deu uma excelente resposta em Moscovo e reabriu as possibilidades de apuramento, passando a depender o mesmo de uma vitória sobre o Besiktas em Alvalade. Uma exibição de alto nível, principalmente na 1.ª parte, tal foi o domínio e a qualidade do futebol dos leões. Individualmente, Montero foi a unidade mais, acrescentando a sua técnica em todas as suas acções, marcando um golo e contribuindo ainda com duas assistências. Gelson Martins apresentou-se sempre muito dinâmico, desequilibrou com a sua velocidade e teve um papel decisivo, com um golo que sossegou o clube leonino e uma assistência que matou o jogo; Ruiz, mais no papel de 10, também esteve mais em jogo, principalmente demonstrou que quanto mais perto da área mais perigoso é;  Por outro lado, Matheus Pereira voltou a corresponder com um golo (já é o 3.º melhor marcador da equipa esta época), apesar de ter sido a unidade menos em foco do ataque. Também as boas exibições de Adrien (errou no golo, mas fartou-se de recuperar bolas no miolo e mostrou-se sempre lúcido no momento da posse) e da dupla Naldo-Ewerton que não deu grande espaço ao poderoso Niasse, mereceram nota positiva. Já Jonathan Silva voltou a ser a unidade menos da turma de Jorge Jesus.

Lokomotiv - Bastava um empate para os russos confirmarem o apuramento, mas esta derrota obriga a um triunfo na Albânia para não dependerem de terceiros. A formação de Cherevchenko foi dominada durante o primeiro tempo e, apesar de alguma reacção na 2.ª parte, acabou por sucumbir perante a melhor exibição do adversário. Individualmente, Maicon marcou, mas foi inconsequente em praticamente todos os lances em que participou, Niasse foi bem vigiado e não conseguiu imprimir a sua velocidade, enquanto que Samedov foi o principal dínamo na etapa complementar, fazendo-se notar a sua inteligência e qualidade técnica. Manuel Fernandes também arrancou uma boa exibição, sendo o patrão da equipa, enquanto que Guilherme, apesar dos quatro golos sofridos, somou algumas boas intervenções. Por fim, em sentido inverso, o médio defensivo Tarasov, o lateral esquerdo Denisov (vai ter pesadelos com  Gelson) e os centrais sofreram bastante com a qualidade técnica e velocidade de execução dos oponentes.

Etiquetas: , ,