Portugal continua a somar; Cancelo esteve em destaque; Mané e Horta contribuíram mais para as estatísticas que na capacidade em desequilibrar; Paciência sentou André Silva

Portugal 4-0 Albânia (Ricardo Horta 43', Mané 47', Vezo 60' e Paciência 82')

Mais um jogo, mais uma vitória para os sub-21 de Portugal. Os jovens lusos, apesar dos pobres 35 minutos iniciais, não tiveram problemas em golear a Albânia, por 4-0 e somaram a 4.ª vitória, em 4 partidas, no grupo 4 de apuramento para o Euro'2017. Horta abriu o activo no 1.º tempo, Mané, Vezo e Gonçalo Paciência ampliaram na 2.ª parte, num jogo em que Rui Jorge deu a titularidade a Paciência (parece estar à frente na hierarquia em relação a André Silva) e colocou Podstawski no lugar que vinha ser preenchido por Rúben Neves.

Quanto ao encontro, até apresentou uma Albânia atrevida numa fase inicial, com os primeiros lances ofensivos a pertenceram aos visitantes, mas Bruno Varela por duas vezes, primeiro a remate de Lafiti aos 7 minutos e depois num tiro de Laçi aos 14 segurou o nulo. Só aos 33 minutos tivemos o 1.º remate de Portugal, com Bruno Fernandes a atirar um pouco ao lado. Passado 7 minutos o 1.º lance de destaque, num bom trabalho à entrada da área Gonçalo Paciência atira à barra e a partir daí o jogo mudou. Portugal cresceu, e numa iniciativa de João Cancelo, o melhor elemento da 1.ª parte, Bruno Fernandes cruza e Horta encosta para o 1-0. Logo a abrir a 2.ª parte, Mané num canto, depois de um 1.º desvio de Tobias, faz o 2-0 e a partida ficou resolvida. Em vantagem os jovens lusos mandaram no encontro, foram criando oportunidades, mas Rony, Gonçalo Paciência de cabeça e Mané, quando estava em excelente posição, desperdiçaram. No entanto, em mais um canto, Vezo, assistido, por Mané, fez o 3-0, e deu mais expressão ao resultado. Com o 3-0 o jogo continuou na mesma toada, apesar de as oportunidades terem diminuído, mesmo assim ainda deu para consumar a goleada, numa excelente jogada colectiva. Chico Ramos abre na direita para Cancelo, que com um excelente cruzamento deixa Gonçalo a só ter de encostar para o 4-0.

Rui Jorge alinhou com: Bruno Varela; João Cancelo, Tobias Figueiredo, Rúben Vezo e Rafa Soares; Tomás Podstawski, Rony Lopes e Bruno Fernandes - Cap; Carlos Mané, Gonçalo Paciência e Ricardo Horta - Mudam os jogadores, mas a selecção nacional não pára de vencer. Sem Neves, Guedes e Bruma uma das dúvidas era perceber qual seria o médio defensivo (a opção recaiu em Podstawski), a outra era a composição do trio de ataque. Neste capítulo a principal nota foi a titularidade de Paciência, que sentou André Silva, e foi acompanhado por Mané e Horta, curiosamente 3 jogadores que até tem sido suplentes nos seus clubes. Veremos se em Israel haverá uma consolidação desta hierarquia ou se foi apenas algo ocasional.

Portugal - O adversário entrou atrevido mas nunca apresentou argumentos para contrariar o maior poderio dos lusos, mesmo assim a 1.ª parte evidenciou alguma falta de capacidade no momento ofensivo. Mané e Horta foram inconsequentes nas suas acções, pouco deram ao jogo, e sem surpresa o 2.º, apesar de até ter inaugurado o marcador, saiu ao intervalo. A 2.ª parte, no entanto, já foi diferente, os comandados de Rui Jorge melhoraram com as substituições (Ramos entrou bem) e apresentaram outra dinâmica ofensiva. A nível individual, Cancelo foi por larga margem o principal destaque. O lateral (que neste jogo assumiu praticamente o papel de extremo tal a dinâmica que deu no seu corredor) foi o único a remar contra a maré no 1.º tempo, com várias iniciativas de grande nível, e esteve sempre muito em jogo, tendo contribuído para 2 golos; Quem também tentou justificar a titularidade foi Gonçalo Paciência, claramente o elemento mais do ataque. O avançado da Académica além do golo, foi sempre dos elementos mais interventivos, apesar de muitas vezes estar desacompanhado, e tanto a jogar com os apoios como através de acções individuais conseguiu fazer a diferença; No meio campo, também houve bem mais Bruno Fernandes que Rony e Podstawski. 

Etiquetas: