Muito mais Di María do que Neymar mas Argentina continua sem vencer

Se Neymar contava com este jogo para somar pontos para a Bola de Ouro, o objectivo falhou. O brasileiro pouco se mostrou, foi facilmente anulado e não fez a diferença; Já Dí Maria (claramente o melhor em campo) voltou aos tempos da última época no Real. Sempre em jogo, sempre ligado à electricidade, fartou-se de desequilibrar, tanto com jogadas individuais, como através de passes (vários de trivela).

Deu empate a 1 o Superclássico da América do Sul, entre Argentina e Brasil. A Albiceleste foi melhor durante grande parte do encontro, mas baixou o rendimento na segunda parte, e isso foi fatal perante uma Canarinha que melhorou no segundo tempo. Lavezzi inaugurou o marcador, mas Lucas Lima, que tem sido apontado ao FC Porto, deixou tudo na mesma. Com este resultado, o Brasil (que pelo pouco que jogou foi claramente a equipa que mais sorriu no final) é 5.º na fase de apuramento para o Mundial, com 4 pontos em 3 jogos, já a Argentina está apenas em 8.º, com 2 empates e uma derrota. Quanto ao jogo, Roncaglia, logo aos 2 minutos, testou Alisson (guardião do Internacional) num cruzamento-remate, pouco depois Di María passa por David Luiz mas remata ao lado e já aos 23', na sequência de uma grande jogada coletiva, Banega remata por cima. A formação de Tata Martino estava melhor e foi com naturalidade que chegou à vantagem. Perda de bola de Lucas Lima ainda no meio campo ofensivo, Di María conduz e liberta para Higuaín (David Luiz fica a ver) e o avançado do Nápoles serve na perfeição Lavezzi que não desperdiça na cara do guardião brasileiro. O Brasil não demorou a reagir, mas apenas com semi-oportunidades de Ricardo Oliveira, David Luiz e Lucas Lima (pelo meio Funes Mori ainda cabeceou ao lado num cruzamento de Rojo). O segundo tempo não trouxe tanto futebol, a Argentina tentou mais controlar o encontro (contrariamente ao primeiro período, onde até foi o Escrete a ter mais bola) e o Brasil, mesmo tendo melhorado não testou muito Romero. Mesmo assim, voltou a começar melhor a equipa da casa e Banega a dois tempos, depois de uma excelente combinação de Otamendi (um fenómeno na antecipação... e hoje subiu muito bem ao ataque) com Higuaín, acertou no poste. No entanto, seriam os Canarinhos a mandar nos próximos minutos com Neymar a rematar colocado ao lado e passados 5 minutos, Lucas Lima, numa recarga de uma bola na trave de Douglas Costa (de cabeça após cruzamento de trivela de Dani Alves), fez o empate no Monumental. Os 20 minutos seguintes não foram ricos em oportunidades de golo e o jogo baixou de ritmo, principalmente pela formação de Dunga que parecia satisfeita com a divisão de pontos. Até final, houve remates de Neymar e Douglas Costa para o Brasil e dois de Rojo (um a passe de Biglia, o outro de Dybala), mas o grande destaque vai para David Luiz que conseguiu ser expulso em apenas 1 minuto por acumulação de amarelos. Tata apostou em: Romero, Roncaglia, Otamendi, Funes Mori e Rojo; Mascherano, Biglia e Banega; Di Maria, Lavezzi e Higuaín; e o meio campo deu uma boa resposta, tendo controlado quase sempre o encontro, a dupla de centrais também esteve em destaque; No Brasil, Dunga sentou Douglas Costa e lançou Alisson, Dani Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Lucas Lima e Willian; Neymar e R. Oliveira. Sendo que os destaques positivos foram poucos; David Luiz foi expulso de maneira infantil, o meio campo perdeu o duelo, e à excepção de um ou outro pormenor de Willian, o ataque também denotou alguma inércia.

Etiquetas: ,