Melhor 11 da I Liga até ao momento

Ao fim de 10 jornadas, já é possível fazer um primeiro balanço sobre a principal divisão do futebol português, apresentando aquele que tem sido o melhor 11 até à data. O Sporting segue em primeiro lugar, mas a equipa que oferece mais elementos (quatro) é o FC Porto, enquanto que o Benfica contribui, tal como os verde e brancos, com dois elementos. Num campeonato onde fica a sensação de que a verdadeira competição ainda está para chegar, existiram já momentos que podem ser determinantes no que à luta pelo título diz respeito, nomeadamente a primeira vitória de Lopetegui diante do Benfica ou a surpreendente vitória por 3-0 dos leões na casa do grande rival. Por outro lado, nota para a boa campanha do Braga até ao momento, com particular destaque para o empate no Dragão. Rio Ave e Vitória de Setúbal também têm agradado, sendo um jogador do conjunto de Pedro Martins a excepção numa equipa dominada pelos quatro primeiros classificados do último campeonato.

Melhor 11 da Liga 2015/16 nas primeiras 10 jornadas:

Guarda-Redes: Kritciuk (Braga) – O conjunto orientado por Paulo Fonseca é, actualmente, uma das melhores defesas do campeonato, a par do FC Porto, tendo consentido apenas 4 golos aos seus adversários. Na baliza mora um cubo de gelo russo que muito tem contribuído para esse registo. Kritciuk tem brindado os seus adeptos com brilhantes exibições, tendo sido crucial em algumas partidas, nomeadamente nas deslocações à Madeira, a Guimarães e, sobretudo, no Dragão.
Lateral Direito: Maxi Pereira (FC Porto) – A expectativa em torno do uruguaio era enorme à partida e até ao momento o antigo jogador do Benfica não tem desiludido. Conhecido pela sua abnegação admirável, Maxi tem sido Maxi e, além disso, tem feito esquecer Danilo e acrescentado qualidade aos azuis e brancos no último terço do terreno, formando com Layún a dupla de laterais com mais assistências na Europa.
Centrais: Maicon e Marcano (FC Porto) – Apesar de muitos verem neste sector dos azuis e brancos uma lacuna, o eixo defensivo dos dragões tem correspondido perfeitamente às exigências, formando ambos uma dupla de betão e mantendo a baliza do Dragão inviolável. O brasileiro vinha sendo o melhor central da Liga até se ter lesionado, tendo ainda acrescentado golos (dois) às boas exibições. Já Marcano, que também já marcou, consolida-se cada vez mais como um dos melhores do campeonato na sua posição, estando a subir de produção de jornada para jornada, ao ponto de já poder ter merecido um olhar por parte de Del Bosque.
Lateral Esquerdo: Marvin Zeegelaar (Rio Ave) – A fechar o sector defensivo, uma das revelações da Liga até ao momento. Antigo jogador do Ajax, o holandês tem brilhado pelo corredor esquerdo dos vilacondenses e ajudado na boa campanha da turma de Pedro Martins, seja a lateral ou a extremo. Alto, possante e rápido, o polivalente jogador do Rio Ave parece, aos 25 anos, pronto para ser testado a um nível mais elevado.
Médio Defensivo: Vukcevic (Braga) – Na posição 6, a revelação do campeonato até ao momento. E novamente proveniente dos bracarenses. O montegrino, depois de alguns anos na sombra, conquistou o seu espaço com Paulo Fonseca (e na sua selecção) e tem demonstrado muita qualidade. Alto, forte na ocupação do espaço, na recuperação de bola e no passe, o médio de 23 anos, que também já apontou dois golos, tem captado a atenção de olheiros de vários clubes de nomeada do Velho Continente, sendo que António Salvador já fixou o preço: 15 milhões de euros. 
Médio Centro: André André (FC Porto) – No miolo do terreno um elemento que, tendo em conta a concorrência interna, ninguém no início da temporada daria como hipótese provável. Filho de uma antiga glória dos dragões, André chegou de Guimarães e não tardou a encarnar a nova pele. Dotado de um espírito guerreiro que, por vezes, faltou na última época, uma leitura de jogo assinalável e uma polivalência que muito agrada a Lopetegui, já que lhe oferece uma panóplia de soluções considerável, o português tem sido o médio mais consistente dos vice-campeões nacionais. O ponto alto deu-se no clássico frente ao Benfica, onde apontou o golo da vitória dos azuis e brancos.
Médio Direito: João Mário (Sporting) – No corredor direito, um falso ala. Tecnicamente muito evoluído e com perfeita noção do espaço, Jesus tem utilizado o médio formado em Alcochete na faixa, embora actue quase permanentemente em zonas interiores. Perfeito a gerir os tempos do jogo, forte no passe e na decisão, o jogador lançado por Marco Silva na equipa principal tem sido uma espécie de patrão na equipa leonina, tendo esse protagonismo sido exacerbado no derby da Luz. 
Médio Esquerdo: Nico Gaitán (Benfica) – O melhor jogador do campeonato. Numa temporada de mudanças na Luz, o argentino não se tem ressentido e continua a brilhar pelos relvados portugueses e a fazer os seus adeptos sonharem. Talentoso, dotado de uma visão de jogo extraordinária e muito forte tecnicamente, o 10 das águias tem sido uma dor de cabeça constante para os adversários, sendo até ao momento o jogador com mais assistências na Liga (7). 
Segundo Avançado: Jonas (Benfica) – O melhor marcador da prova até à data, tendo ouvido o eco do seu nome por oito ocasiões neste campeonato. Acusado de render pouco nos jogos grandes, o brasileiro continua a marcar em quase todas as partidas e com isso a contribuir para o sucesso dos comandados de Rui Vitória. Tecnicamente evoluído, de remate fácil e com um instinto matador, o antigo avançado do Valência parece estar com muita vontade de arrecadar o título de artilheiro da Liga.
Ponta de Lança: Slimani (Sporting) – Na frente de ataque, o bombardeiro de serviço dos leões. Apesar das lacunas técnicas, o argelino compensa com a sua entrega e poder de finalização, algo que já lhe permitiu disparar com sucesso por sete vezes neste campeonato, sendo de destacar o golo apontado nos descontos diante do Arouca na última jornada e a sua exibição no Estádio da Luz. Peça fundamental no modelo de jogo de Jorge Jesus, tanto ofensivamente como defensivamente, Slimani está igualmente na luta pela bota de ouro do campeonato. 

Rodrigo Ferreira

Etiquetas: