«Jogadores africanos só vêem o lado bom da profissão: dinheiro fácil, mulheres, carros... e tem tendência a afrouxar»; Jovens portistas felizes em Israel

Exibição muito pobre dos jovens portistas, que foram quase sempre inferiores ao conjunto israelita. Pela positiva a técnica e visão de jogo de Moreto Cassamá e a grande exibição do guarda-redes (ainda com a idade de juvenil) Diogo Costa que, apesar de ter ficado mal na fotografia no golo, garantiu os 3 pontos com várias defesas de bom nível. 

O FC Porto garantiu a 2.ª vitória na Youth League ao vencer o Maccabi, em Israel, por 2-1. Michael Morais e Rui Pedro apontaram os golos portistas. Com este resultado o conjunto de Folha assumiu o 2.º lugar no grupo G com 7 pontos. Um triunfo feliz que não corresponde ao que foi o jogo, e que começou logo com o 1-0, com Michael Morais, num lance algo fortuito, a abrir o marcador aos 15 minutos, depois de Diogo Costa ter salvo o golo dos israelitas na fase inicial. Rui Pedro, com uma bela finalização, a responder bem a um cruzamento de Fernando Fonseca aos 40', ampliou, novamente sem o FC Porto ter feito pouco isso, Mas mesmo assim o Maccabi, com um remate de Altman, à entrada da área, num lance em que Diogo Costa é mal batido, ainda conseguiu reduzir. Na 2.ª parte, os anfitriões foram dominando (boa circulação de bola), mas Diogo Costa apareceu para segurar a vantagem no marcador. Nos últimos 5 minutos até foi o FC Porto a ter a oportunidade para ampliar, mas Ruben Macedo (isolado atirou muito ao lado) e Madi Queta (remate ao poste), não conseguiram alterar o resultado.

Concorda? - Yaya Touré, médio do Man City, considera que não há mais jogadores africanos no Top por serem pouco ambiciosos e terem tendência a afrouxar. «Os africanos têm tendência a afrouxar. Vivem no seu próprio mundo. Acreditam que fizeram isso, são os melhores, os mais fortes. Mas não percebem que têm ainda mais montanhas para escalar até chegar ao topo. Infelizmente, muitos só vêem o lado bom desta profissão: o dinheiro fácil, as mulheres, as festas, os grandes carros e as roupas bonitas. Desistem muito rápido da ideia de ser melhores jogadores», disse o melhor jogador africano nos últimos 4 anos, acrescentando: «Muitos ficam felizes com pouco. Mandam dinheiro para casa e estão salvos pelos próximos anos. Qual é o ponto de sofrer? Tenho a sensação de que eles se proíbem a eles próprios de sonhar alto. Acreditam que o alto nível não é para eles».

Etiquetas: