FC Porto é o sétimo clube com mais estrangeiros na Europa

Enquanto não se apostar realmente na formação este quadro não irá mudar muito nos últimos anos. Os clubes nacionais continuam a comprar às "paletes" todos os anos (curiosamente os portistas esta época até apostaram mais no jogador luso), e sem espaço para o jogador nacional se afirmar é complicado inverter esta tendência. Sendo certo que o cenário, pelo menos para Benfica e FC Porto já foi pior (chegaram a disputar clássicos sem portugueses no 11). 

O FC Porto apresenta uma percentagem de estrangeiros a rondar os 79,2 por cento. De acordo com o estudo do Observatório do Futebol, contabilizando as primeiras divisões dos 31 campeonatos do velho continente, só os eslovenos do Zavrc (88%), Roma (85,2%), Chelsea (83,3%), Inter Milão (81,5%), Fiorentina (81,5%) e Udinese (79,3%) apresentam mais estrangeiros nos seus plantéis. 

Em Portugal, o Estoril é o segundo clube com maior número de estrangeiros, com 73,1 por cento, seguindo-se o Benfica (70,4 por cento), SC Braga (70,4%) e o Boavista (61,5%) fecha o top-5. O Sporting surge na sexta posição, com 58,6 por cento de jogadores não nacionais. Sem surpresa, o Belenenses é o emblema mais luso do nosso campeonato, com apenas 3,8 por cento de estrangeiros no seu plantel.

Mas nem tudo é negativo, a tendência a nível geral pelo menos parece estar a mudar. Segundo o CIES, a I Liga tem neste momento 50,9% de jogadores estrangeiros, o "melhor" resultado dos últimos 7 anos (na época passada registava 52,9% de elementos não nacionais). Neste capítulo, Chipre apresenta o campeonato com mais estrangeiros na Europa, cerca de 66,4%. Seguido da Premier League (59.9%) e Série A (56.5%). A liga com menos estrangeiros é a da Sérvia, com apenas 15,7%.

Etiquetas: