FC Porto continua a somar; O lado direito criou e o esquerdo finalizou; Tello desequilibrou com um golo e uma assistência, numa noite não para Aboubakar; Layun e Maxi também estiveram em destaque

Maccabi Tel Aviv 1-3 FC Porto (Zahavi 75'; Tello 19', André André 49' e Layún 72')

A equipa de Lopetegui não facilitou e continua a somar pontos e milhões na Champions. Uma vitória por 3-1 em Israel que deixa o FC Porto (10 pontos) com pé e meio nos oitavos, sendo que um empate frente ao D. Kiev na próxima jornada chega para garantir o apuramento. Perante um Maccabi que jogou no risco - uma equipa que adotou a postura de "não temos nada a perder" - os azuis e brancos aproveitaram e demonstraram que são claramente superiores: não fosse algum desperdício, Aboubakar esteve em noite não ao nível da finalização, o resultado até podia ter sido mais expressivo. Tello, com um tento e uma assistência, foi a unidade em maior destaque, mas André André também juntou o seu nome ao marcador e aos passes para golo, num jogo em que os 3 lances que deram golo começaram no lado direito e foram finalizados no lado esquerdo.

Quanto à partida, o Maccabi até entrou disposto a testar Casillas, com Tal Ben Haim II em evidência, mas depressa o FC Porto (que teve Evandro no meio campo e André na ala... Imbula ficou no banco) tomou conta da partida. Aboubakar, aos 11', deu o primeiro aviso, mas Rajkovic defendeu para canto... que viria a originar mais uma oportunidade para o camaronês, na recarga de um remate de fora de área de Layún defendido para a frente. Ben Haim foi tentando remar contra a maré, com ações a solo, mas viriam mesmo a ser os dragões a desbloquear o encontro, com Tello, na esquerda, a não desperdiçar um grande passe de André André, fazendo o 1-0 (o espanhol isolou-se, pareceu adiantar muito a bola mas ainda chegou a tempo de bater Rajković). Os azuis-e-brancos estavam por cima do encontro e Danilo lança Tello com um passe espetacular, o espanhol serve de bandeja Aboubakar, mas o avançado dispara, escandalosamente, ao poste, naquela que seria a derradeira chance de golo antes do descanso. O Maccabi aproveitou logo para fazer duas alterações ao intervalo, mas o segundo tempo viria a ser mais do mesmo. Evandro, quando tinha Aboubakar em boa posição, tentou avolumar o resultado, mas só 2 minutos volvidos este viria a ser desfeito. Danilo e Maxi envolvem-se muito bem pela direita e o uruguaio cruza para André André antecipar-se ao defesa contrário e fazer o 2-0 de cabeça. Lopetegui aproveitou para lançar Herrera, numa fase em que o jogo ficou mais pausado, mas aos 72' o FC Porto iria fazer mesmo o terceiro e por um mexicano. Tello lança Layún e o lateral esquerdo puxa para dentro (claramente um movimento-tipo do ex-América) batendo Rajkovic. Pouco depois, golo de honra para o conjunto israelita, com Zahavi a reduzir a diferença na cobrança de uma grande penalidade algo forçada por suposta falta de Maxi. Varela rendeu o destacado Tello, e o conjunto da Invicta viria a ter mais uma grande oportunidade para voltar a marcar, mas Aboubakar, em dia não, voltou a acertar nos ferros. Até final, destaque para a entrada de Imbula apenas aos 89' para o lugar de André André.

Destaques:

FC Porto - Vitória justa que premeia a melhor equipa, num resultado que, com outra eficácia, podia ter sido mais expressivo. Lopetegui deixou Imbula no banco e, na ausência de Brahimi, "deu" as alas ofensivas a André André e Tello... e ambos aproveitaram a oportunidade. O espanhol, com a sua velocidade, foi talvez o melhor em campo e ainda juntou aos desequilíbrios, um golo e uma assistência (que podiam ser duas se Aboubakar não tem acertado no poste). Já o português fez mais um jogo na senda do que tem feito esta temporada, oferecendo à equipa o que ela precisa no momento exato. Fez mais um golo e um passe para outro. Danilo no meio campo também esteve imperial, tendo se destacado inclusive mais que Ruben Neves ao nível do passe e presença no momento ofensivo. Destaque ainda para Layún que mostrou toda a sua qualidade no último terço, tendo feito mesmo o golo ao pé (do outro lado, Maxi ofereceu um golo) e para Aboubakar, que apesar de ter estado em dia não pelo que falhou (duas bolas nos postes, remates por cima e uma bomba que Rajkovic atirou para canto) deu muito à equipa recebendo quase sempre bem de costas e ainda se mostrou disponível para roubar bolas.

Maccabi Tel Aviv - Muito esforço, uma clara atitude de apostar tudo neste jogo para conseguir o 1.º triunfo, mas a equipa não tem argumentos para se bater com outros clubes numa competição tão prestigiosa como esta. Os destaques são quase nulos, já que à exceção de algumas transições bem sucedidas, os israelitas pouco futebol apresentaram, mas os do costume (Zahavi e Ben Haim II) aproveitaram para marcar a diferença.

Etiquetas: ,