FC Porto comprou Danilo por 2,8 ME... ao Portimonense; André André custou 1,5 M, Victor García 1,8 ME

André André até ver foi uma pechincha, já Imbula e Corona, por culpa das opções de Lopetegui (o francês não tem jogado onde rende mais - a 2.º médio - enquanto que o mexicano foi encostado depois de um arranque em grande), ainda não justificaram. Os negócios Danilo e Victor García são estranhos, ou talvez normais considerando a política seguida pelos azuis e brancos.

O lucro consolidado do FC Porto – Futebol, SAD caiu 28 por cento no primeiro trimestre do exercício de 2015/16, face ao período homólogo da época anterior, somando 9,6 milhões de euros, divulgou hoje o clube. Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o FC Porto reporta uma quebra de quase quatro milhões de euros nos proveitos operacionais (excluindo proveitos com passes de jogadores). O clube atribui a quebra “à diminuição das receitas de participação na UEFA Champions League, dado o prémio de participação na edição de 2015/16 ter sido contabilizado nas contas de 2014/15, quando o acesso foi garantido”. As rúbricas relacionadas com passes de jogadores, que têm sempre um peso bastante considerável, apresentam um saldo de 19,6 milhões de euros, um valor semelhante ao obtido no período homólogo. A contribuir para este valor destaca-se a alienação dos direitos desportivos do atleta brasileiro Alex Sandro para a Juventus, por 26 milhões de euros. Os resultados operacionais do FC Porto registam uma diminuição de 17,8 milhões de euros para 13,6 milhões de euros. Em 30 de setembro de 2015, o capital do grupo atingiu os 93,4 milhões de euros, o que, de acordo com o comunicado, “reflete uma estrutura patrimonial robusta”, tendo contribuído para este valor a incorporação do resultado líquido obtido no período (10,3 milhões de euros). O ativo líquido cresceu 52,4 milhões de euros, face a 30 de junho de 2015, atingindo um montante global de 411,7 milhões de euros, fundamentalmente pelo aumento do valor contabilístico do plantel. O passivo total do FC Porto – Futebol, SAD cresceu neste período 42,1 milhões de euros, situando-se agora nos 318,2 milhões de euros. “No entanto, a dívida financeira líquida desce 1,9 milhões face a 30 de junho de 2015”, refere o comunicado.

No que diz respeito às aquisições no último Defeso, fica confirmado, como tinha adiantado o Football Leaks, que Danilo Pereira chegou ao Dragão via Portimonense... a troco de 2,8 milhões de euros (por 80% do passe). André André custou 1,5 ME, Imbula 20 ME, Corona 10,5 ME por apenas 70% do passe, enquanto que o lateral Victor García (que chega proveniente da Northfields Sports, B.V.) obrigou a um investimento de 1,8 ME por 50% do passe.

Etiquetas: