Estrelinha de Wenger; Klopp sofre 1.ª derrota; Neymar "à Bola de Ouro"

Sem Messi, Neymar (que está a jogar ao nível de um "Bola de Ouro") assumiu as rédeas da equipa, e tem-no feito de uma forma sensacional: o Brasileiro carrega a equipa às costas, marca, assiste, e os Culés agarram-se a ele para irem ganhando os encontros - O Barcelona cumpriu com a sua obrigação e, na jornada antes do Clássico frente ao Real Madrid, bateu o Villarreal por 3-0, em mais um desafio em que Suàrez e, sobretudo, Neymar foram os destaques. O Submarino Amarelo entrou em Camp Nou muito organizado, fechando bem os caminhos para a sua baliza, com o Barça a ter muitas dificuldades para criar perigo. A equipa procurava muito Neymar, que era o único que ia agitando as operações, com Munir a voltar a não justificar a aposta (muito apagado). Assim, os Culés praticamente não assustaram Areola (a melhor oportunidade surgiu numa transição, com Mathieu a rematar para boa defesa do guardião), com a grande ocasião do primeiro tempo a surgir em cima do intervalo, com Samu, isolado, a rematar com Bravo a fazer uma excelente mancha. A segunda parte começou com a melhor ocasião até ao momento para os Blaugrana, quando Dani Alves rematou ao segundo poste para uma bela parada de Areola. Até que sobre a hora de jogo, o Barça inaugurou o marcador: Busquets intercepta um passe na saída de bola dos visitantes e assiste imediatamente Neymar, que recebe e remata para o fundo das redes. O jogo estava desbloqueado para os campeões da liga e, já depois de Iniesta ter desperdiçado na cara de Areola, Munir ganhou uma grande penalidade que Suàrez não desperdiçou. Quando o encontro já estava num ritmo mais baixo, surgiu o momento mais estético da noite, com Neymar a receber um passe de Suàrez, fazer um pequeno chapéu sobre o seu adversário e, sem deixar a bola cair, disparar para o 3-0 final.

Spurs foram superiores durante 75 minutos, o meio campo de Pochettino, com Dier, Dembele e Alli, mandou na partida (muito forte na pressão e no momento com bola), ataque (Lamela a bom nível, Kane sempre perigoso) esteve endiabrado e só a ineficácia a juntar a uma enorme parada de Cech colocou o conjunto de Wenger no jogo - Continua ao rubro a disputa pelo 1.º lugar da Premier League. Num jogo em que podia assumir a liderança isolada, fruto do nulo do City, o Arsenal falhou mas até pode ficar satisfeito, já que o empate (1-1) frente ao rival Tottenham, por aquilo que foi a partida, até acaba por ser um resultado positivo. Com esta igualdade, os Gunners continuam a dividir o 1.º lugar com o City, estando o Leicester apenas a 1 ponto e o Man Utd a 2. Quanto ao jogo, muito mais Tottenham, que a jogar em casa do grande rival, foi melhor durante uma grande fase da partida, tendo chegado ao golo na 1.ª parte por intermédio de Kane. No princípio do 2.º tempo, Giroud, em 2 lances de bola parada (ambos cobrados por Ozil), esteve perto de empatar, mas continuava a ser dos Spurs o domínio do jogo. O conjunto de Pochettino ia tendo muita bola no meio campo adversário, controlava e desperdiça. Kane por duas vezes e Eriksen, estiveram perto de marcar, sendo que Alderweireld  num canto também viu Cech negar-lhe o golo com uma defesa incrível. E como quem não marca sofre, os Spurs acabaram mesmo por permitir o empate, com Gibbs, que tinha acabado de entrar, a responder da melhor maneira a um cruzamento de Ozil aos 77 minutos. Na fase final, os Gunners aproveitaram o momento e até acabaram por cima, mas Gibbs e Giroud, por duas vezes, não conseguiram consumar a reviravolta. Na equipa de Wenger, destaque para as más exibições de Alexis (muito apagado) e Cazorla (substituído ao intervalo), já Ozil, mesmo não tendo sido brilhante, esteve nos melhores lances ofensivos dos Gunners, não sendo por acaso que foram quase todos na sequência de bolas paradas.

O treinador alemão tinha 3 vitórias e 3 empates no comando técnico dos Reds - E ao 7.º jogo Klopp perdeu. O Liverpool foi surpreendido, em casa, pelo Crystal Palace (1-2) e caiu para o 10.º lugar. Os Reds, que até vinham de uma fase positiva, foram surpreendidos com um golo de Bolasie aos 21 minutos mas ainda conseguiram empatar em cima do intervalo por Coutinho, no entanto, na 2.ª parte, depois de algum desperdício de parte a parte, Dann, aos 82 minutos, consumou a surpresa, em mais um lance em que a defesa dos anfitriões foi muito passiva (já tinha demonstrado alguma falta de concentração no 1-0).

Etiquetas: ,