Contra o Luxemburgo são todos bons, ou talvez não; Vieirinha foi dos poucos destaques positivos; Anthony Lopes segurou o nulo; André André marcou; Lucas João pouco acrescentou

Luxemburgo 0-2 Portugal (André André 31' e Nani 88')

Este Portugal já não "esmaga"! O importante é vencer, mas pedia-se mais a uma selecção que está neste momento no 4.º lugar do Ranking FIFA. Mesmo frente a um modesto Luxemburgo (apenas 146.º no Ranking Mundial), o conjunto de Fernando Santos esteve muito longe de encantar - a 2.ª parte foi particularmente pobre -, mas ao menos conseguiu fechar 2015 com uma vitória (2-0) por mais do que 1 golo, algo que não acontecia desde os 5-1 à Rep. Irlanda, em Junho de 2014. André André estreou-se a marcar por Portugal, Nani fechou o marcador em cima dos 90 depois de um 2.º tempo em que os lusos pouco fizeram para dar mais expressão ao resultado. O seleccionador fez alinhar: Anthony Lopes; Vieirinha, José Fonte, Luís Neto e Raphael Guerreiro; André, Danilo e Rúben Neves; Bernardo Silva, Lucas João e Rafa.

Quanto ao jogo, Portugal começou bem, a criar oportunidades, com Rafa e Bernardo em destaque, mas aos 25 minutos até pertenceu ao Luxemburgo o lance de golo mais flagrante. Numa jogada colectiva, Bensi isolado vê Anthony Lopes tirar-lhe o golo com uma grande defesa, o lance segue, mas Gerson à entrada da área remata um pouco ao lado quando estava em excelente posição. A selecção nacional respondeu, mas Rafa, depois de um grande passe de Neves, isolado, rematou ao lado, quando já tinha passado pelo guarda-redes luxemburguês. Pouco depois o 1-0. Bernardo transporta, mete em Vieirinha que cruza para o remate certeiro de André André. Bernardo a seguir esteve perto de ampliar mas permitiu a defesa de Joubert. Também Martins, com um belo remate, ficou à beira do 1-1, mas a bola saiu um pouco ao lado. Em cima do intervalo, um daqueles lances caricatos. Numa bela jogada entre Bernardo e Rafa, o jogador do Sp. Braga assiste Lucas João mas o avançado com a baliza escancarada atira ao lado. A 2.ª parte, no entanto, foi diferente, o ritmo baixou muito (Vieirinha foi dos poucos a oferecer alguma dinâmica), Bernardo Silva ainda desperdiçou o 2-0, depois de uma boa jogada de André André, mas os lances de destaque foram quase nulos. Nem as entradas de Nani, Guedes, João Mário e William mudaram a toada do jogo. Até que Guedes com um belo remate, fora da área, agita, Joubert ainda defende, mas a bola sobra para a entrada da área, tendo o Luxemburgo anulado o lance com uma falta. No livre, Nani, com um remate rasteiro faz o 2-0 no dia em que completou 29 anos. O jogo acaba com uma boa oportunidade para Portugal, mas Nélson Oliveira, bem assistido por João Mário, permite a defesa a Joubert.

Portugal - Fernando Santos mudou praticamente todo o 11 em relação à partida frente à Rússia, a excepção foi André André, mas nem contra um adversário acessível o nível de jogo melhorou. A equipa continua a revelar alguma inércia no momento ofensivo, tem dificuldades em criar oportunidades e de fazer posse no meio campo contrário. A nível individual também poucos jogadores ganharam pontos. Vieirinha (a lateral direito) foi dos poucos a fazer a diferença; Anthony Lopes, com uma bela defesa, evitou o golo quando ainda estava 0-0 e André André foi dos mais activos com bola, apesar de nem sempre ter definido bem; Rúben Neves no meio campo teve 2/3 bons passes, mas não funcionou como pivot como acontece no FC Porto; Já Bernardo Silva, que continua a ser utilizado como ala, esteve particularmente desinspirado; Guerreiro, na esquerda, também não deu a profundidade que lhe é característica, e na frente Lucas João, à semelhança do que aconteceu com Éder, Hugo Almeida ou Nélson Oliveira, também pouco fez. Pouca bola, pouca capacidade em segurar, e na única vez que apareceu para finalizar falhou um golo cantado. 

Etiquetas: