Nuno responde à crise com uma "Manita"; Bayern volta a golear

NES salva o lugar, por agora. Clube Che, com Alcácer e Parejo em destaque, aproveitou quase tudo o que criou. Cancelo foi titular a extremo, Vezo esteve seguro na defesa, André Gomes foi menos preponderante que é habitual.

Era visto como o derradeiro teste para Nuno, mas o seu Valencia respondeu da melhor maneira a este momento negativo (não só pelos resultados, mas igualmente pela fraca qualidade das exibições) ao golear, em Vigo, o Celta, por 5-1. Alcácer e Parejo bisaram, Mustafi fechou o marcador, num jogo em que os golos apareceram sempre no momento certo. Frente ao actual 3.º classificado da La Liga, e uma equipa que já tinha vergado o Barça, os Che inauguram o marcador por Alcacér (bela assistência de Parejo), o que à partida podia dar alguma tranquilidade ao conjunto de Nuno mas o Celta apertou, fez o empate, esteve perto de fazer o 2-1 várias vezes (chegou mesmo a fazê-lo mas o árbitro optou por não dar uma lei da vantagem, numa situação em que Fuego faz uma falta à entrada da área), no entanto em cima do intervalo Parejo, com um belo livre, fez o 2-1. Na 2.ª parte, se os anfitriões vinham com a ideia de dar a volta ao marcador cedo ficaram numa situação ainda mais complicada com Alcacér a fazer o 3-1 no minuto 46. O Celta mesmo assim não desistiu, ainda testou Jaume algumas vezes, mas Parejo, aos 64 minutos bisou e sentenciou a partida. Passado 15 minutos Mustafi também marcou e selou o marcador.

O Bayern está imparável, mas, tendo em conta a forma dos adversários (o Wolfsburgo este ano, sem De Bruyne, aumentou a distância em vez de a diminuir; e o Leverkusen continua irregular), até a meio gás a equipa de Guardiola passearia na Bundesliga - Mais um jogo, mais uma goleada. O Estugarda é a vítima mais recente do "comboio" de Munique, tendo sido atropelado por 4-0. O resultado ficou fechado na primeira parte, com golos de Robben, Douglas Costa, Müller (que juntou duas assistências) e Lewandowski. O Wolfsburgo, terceiro classificado à partida para esta jornada, perdeu por 2-0 em Mainz (De Blasis e Malli), tendo sido castigado pela expulsão prematura de Julian Draxler. Já o Leverkusen continua a fazer uma época muito abaixo das expectativas e perdeu em casa com o Colónia, por 2-1. O central Maroh foi o herói improvável dos forasteiros, assinando o bis que valeu a vitória. Chicharito ainda reduziu, mas a expulsão de Papadopoulos condicionou a equipa de Schmidt, que tem urgentemente de juntar os resultados a este futebol ofensivo que não tem dado frutos. O Ingolstadt interrompeu o ciclo de vitórias do Gladbach (eram 6 consecutivas), ao conseguir o nulo no Borussia Park (os recém-promovidos até estiveram mais perto de vencer). O mesmo resultado aconteceu no Hoffenheim-Frankfurt, apesar de serem duas equipas que costumam consentir muitos golos. 

Etiquetas: ,