Assim é complicado Nuno: Valencia não fez um remate; Roma tropeça, Juventus cada vez mais próxima dos da frente

Pouco visto. Apesar do forte investimento no plantel, o clube Che conseguiu a proeza de sair do Ramón Sanchéz Pizjuan sem fazer um remate. É certo que a expulsão de Cancelo não ajudou, e a equipa voltou a sentir falta do lesionado André Gomes, mas não ser fácil a dupla Peter Lim/Jorge Mendes segurar Nuno. Os valencianos continuam a jogar mal e estão apenas no 9.º lugar da La Liga.

Foi só 1 mas podiam ter sido mais. Com um golo de Escudero o Sevilha agravou a crise do Valencia e subiu à 10.ª posição do campeonato espanhol. Encontro totalmente dominado pelos andaluzes. Llorente foi o primeiro a deixar o aviso, tendo disparado com perigo ao lado da baliza de Ryan num primeiro round (Vitolo chegou atrasado) e permitido a defesa do  guardião australiano de seguida na sequência de um canto. Pouco depois, Aderlan Santos evitou o golo de Konoplyanka com um corte providencial após cruzamento de Mariano que muito atacou neste encontro. Pelo meio João Cancelo foi expulso (3 dos 4 defesas do conjunto de NES viram o amarelo antes dos 20 minutos), após esbarrar com o braço na cara de Escudero. A tarefa do 4.º classificado da Liga na última temporada complicar-se-ia e, logo a abrir o segundo tempo, quando Escudero colocou alguma justiça no marcador, atirando para o fundo das redes após um excelente cruzamento de trivela de Banega. Esperava-se alguma reacção dos forasteiros (Nuno lançou Feghouli, isto depois de Vezo ter entrado para lateral direito após o intervalo), mas o bloco não conseguia subir perante a pressão do meio-campo da turma de Unai Emery. O número de remates ia subindo, mas a pontaria não estava afinada, tendo N'Zonzi atirado no por cima quando se encontrava em excelente posição na área. Pouco depois, Javi Fuego também viu o 2.º amarelo, deixando a sua equipa com 9 elementos em campo e, tirando uma falta disparatada de Reyes no último minuto no jogo que poderia ter permitido ao Valência criar um lance de perigo, a partida não teve mais história. Destaque, no Sevilha, para as exibições de Mariano (muita profundidade pelo corredor direito), do trio Krychowiak-N'Zonzi-Banega(grande assistência e uma série de pormenores de um jogador altamente dotado tecnicamente), que se superiorizou claramente na zona intermediária tanto ao nível da pressão, como da ocupação do espaço e da gestão da posse de bola, e, por fim, para Vitolo que deu muitas dores de cabeça à defensiva adversária com as suas movimentações. Por outro lado, Llorente esteve perdulário, Escudero foi o homem do encontro e secou Enzo (alinhou sobre a direita) e Konoplyanka, pese alguns bons momentos, abusou do individualismo. Em relação ao Valência, que nem um remate fez à baliza, Ryan foi a melhor unidade, tendo correspondido ao grande trabalho que teve durante todo o encontro (os 90 minutos foram passados no meio-campo do conjunto Che), enquanto que Aderlan Santos foi a melhor unidade da defesa. Por outro lado, Cancelo, com duas faltas irreflectidas, tornou a missão mais complicada para os seus companheiros, Álcacer esteve sempre numa ilha, o meio-campo foi engolido e os alas Enzo e Mina (a surpresa no 11 de NES) passaram ao lado do encontro.

Vecchia Signora somou a 4.ª vitória consecutiva (5.ª nos últimos 6 jogos); Niang aparece no Milan; Diogo Figueiras marca; Lazio em queda; Mas jornada só anima amanhã com o Nápoles-Inter (a Fiorentina pode ser a principal beneficiada) - A Juventus está, provisoriamente, a 6 pontos da liderança da Série A, em virtude da vitória dos homens de Allegri na deslocação ao terreno do Palermo por 3-0. Mandzukic, a responder a um cruzamento de Dybala, abriu o marcador, tendo Sturaro e Zaza ampliado perto do fim. Quem também venceu foi o AC Milan, e de forma clara, já que os Rossoneri golearam a Sampdoria por 4-1. Niang bisou e Luiz Adriano e Bonaventura também marcaram, sendo que o melhor que a Samp fez foi reduzir de grande penalidade por Éder. Já a Roma tropeçou em casa, tendo os Giallorossi sido vergados pelo Atalanta por 2-0.  Aos 40 minutos, Digne ofereceu a bola a Gomez e este finalizou com muita classe, tendo German Denis fixado o resultado final aos 82’, na conversão de uma grande penalidade cometida por Maicon. A outra equipa de Roma, a Lazio, também perdeu, continuando em queda (perdeu 4 dos últimos 5 jogos) tendo sido vergada na deslocação ao terreno do Empoli (com Mário Rui os 90 minutos em campo) por 1-0, graças a um excelente golpe de cabeça de Tonelli logo aos 5 minutos, na sequência de um canto da direita. Já a Udinese, com Bruno Fernandes desde os 63 minutos em campo, foi a Verona bater o Chievo por 3-2. O Frosinone afundou ainda mais o Hellas Verona (que está em último), vencendo por 3-2, o Carpi superiorizou-se ao  Génova por 2-1 (o golo do Génova foi do Português Diogo Figueiras) e o Torino ganhou ao Bologna 2-0.

Etiquetas: ,