Arsenal esmagado em Munique; Pardo coloca Marco Silva a um empate dos oitavos; Willian salva Mourinho; Nuno cada vez mais criticado; Villas-Boas já está nos oitavos; Roma e Barcelona mais perto da próxima fase

Bayern atropelou o Arsenal, o que beneficiou Marco Silva, que viu o seu Olympiacos dar a volta, estando muito perto de um apuramento notável; Já os restantes treinadores Portugueses tiveram sortes distintas, isto porque AVB (já apurado) continua a fazer uma Champions imaculada, ao passo que Mourinho viu Willian salvá-lo de outro resultado embaraçoso já perto do fim e Nuno vai de mal a pior, perdendo com mais uma péssima exibição. No Barça, a dupla Neymar-Suàrez vai correspondendo à ausência de Messi.

Grupo E: Barcelona 3-0 BATE (Neymar 30’ (p) e 83’, Suárez 60’); Roma 3-2 Bayer Leverkusen (Salah 2’, Dzeko 29’ e Pjanic 81 (p); Mehmedi 46’ e Chicharito Hernández 51’) - O Barcelona, como era esperado, está praticamente na fase seguinte, tendo a Roma, ao vencer outro emocionante embate frente ao Leverkusen, alcançado o segundo lugar do grupo. No entanto, continua tudo em aberto, já que os Italianos somam cinco pontos e os Alemães quatro, sendo que até o BATE tem aspirações, visto que conta três pontos no seu pecúlio. No Camp Nou, o Barça cumpriu com o esperado, batendo o BATE por 3-0, em nova partida em que a dupla Suàrez-Neymar, na ausência de Messi, esteve em destaque. No entanto, Luis Enrique voltou a ter más notícias, visto que Rakitic saiu lesionado aos 20 minutos, entrando Munir para o seu lugar, o que impediu que o técnico dos Culés testasse durante mais tempo a opção de jogar com quatro médios (Busquets, Rakitic, Iniesta e Sergi Roberto) atrás de Neymar e Suàrez. Aos 30 minutos, o recém-entrado Munir sofreu uma grande penalidade que Neymar não desperdiçou, tendo os campeões da Europa fixado o resultado final na segunda parte, primeiro com Suàrez a marcar a passe de Neymar e depois com Neymar, a passe de Suàrez, a bisar e estabelecer o resultado final. Para além do excelente final da dupla Neymar-Suàrez, destaque para o grande momento de forma de Sergio Busquets. No outro encontro do grupo, a Roma deu um passo importante rumo aos Oitavos, alcançando a sua primeira vitória na fase de grupos, batendo o Bayer Leverkusen por 3-2. Logo aos 2’, Salah, muito bem isolado por Dzeko, inaugurou o marcador, tendo o próprio Dzeko, aos 29’, feito o segundo. Mas na segunda parte, em apenas cinco minutos, os Alemães empataram, primeiro por Mehmedi, logo aos 46’, e cinco minutos depois por Chicharito, num remate cruzado dentro da área, fazendo assim o Mexicano o seu quarto golo na prova. No entanto, aos 81’, Pjanic dispôs de uma grande penalidade e não desperdiçou, estabelecendo o 3-2 final.

Grupo F: Bayern Munique 5-1 Arsenal (Lewandowski 10’, Müller 29’ e 89’, Alaba 44’ e Robben 55’; Giroud 69’); Olympiacos 2-1 Dinamo Zagreb (Pardo 65’ e 90’; Hodzic 21’) - Jornada positiva para Marco Silva, que, num grupo extremamente complicado, soma já nove pontos e fica, assim, a apenas um empate de conseguir o apuramento para os Oitavos-de-Final, tendo beneficiado da "ajuda" que o Bayern não havia dado na jornada anterior. Com efeito, no Allianz Arena, o Bayern não deu hipóteses ao Arsenal, atropelando o conjunto de Wenger por 5-1, num encontro que ao intervalo já estava praticamente decidido, já que o marcador mostrava um claro 3-0. Os Alemães foram claramente superiores, com os Ingleses, durante largos periodos do jogo, a limitarem-se a defender junto da área, sem conseguirem contrariar o enorme poderio dos Bávaros (impressionante avalanche de futebol). Robert Lewandowski abriu o marcador aos 10 minutos , finalizando de cabeça um cruzamento de Thiago. A equipa de Pep Guardiola dominava as operações, instalava-se no campo dos Londrinos, e Muller, num resalto após um mau remate de Coman a cruzamento de Lahm, voltou a bater Cech. Se as coisas já estavam difíceis para os Gunners, ficaram praticamente impossíveis em cima do intervalo, quando Alaba marcou um golaço de fora da área. Na segunda parte, Guardiola lançou Robben para o lugar de Coman e, na primeira vez que tocou na bola, o Holandês voador respondeu da melhor forma a um cruzamento de Alaba para o 4-0. O melhor que os Ingleses conseguiram foi reduzir, através de um bom remate de Giroud dentro da área aos 69'. Mas nos últimos minutos os locais voltaram a acelerar, e já depois de Robben e Muller terem falhado na cara de Cech, Muller, após uma grande arrancada de Douglas Costa, fez o 5-1 final. Já em Atenas, o Olympiacos de Marco Silva deu um passo de gigante para a qualificação, ao bater o Dinamo Zagreb por 2-1, num encontro em que os Gregos tiveram de dar a volta ao marcador, já que os Croatas (com Eduardo, Gonçalo Santos e Paulo Machado no onze), aos 21', viram Hodzic, de cabeça, fazer o primeiro golo do encontro. Mas na segunda parte Marco Silva, já depois de Eduardo ter defendido uma grande penalidade, Pardo, que havia entrado para o lugar de Hernani, fez o empate aos 65', num bom tiro cruzado de pé esquerdo, tendo o ex-Braga assumido-se como herói ao dar a vitória aos gregos já em cima dos 90 minutos.

Grupo G: Chelsea 2-1 Dinamo Kiev (Dragovic 34’ (pb) e Willian 83’; Dragovic 78’) - Naquele que era um autêntico "match point" para Mourinho, tal é o actual momento do Chelsea, os Blues, com muitas dificuldades, conseguiram bater o Dinamo Kiev, estando assim mais perto de passar à fase seguinte da prova. O treinador Português voltou a deixar Hazard no banco, e aos 34 minutos Dragovic desviou um cruzamento da direita para a sua própria baliza. Mas na segunda parte o defesa redimiu-se, aproveitando uma má saída de Begovic a um canto para fazer o empate, o qual não foi o resultado final porque aos 83' Willian, cada vez mais um especialista nos livres, fez um golaço e deu os três pontos aos Blues.

Grupo H: Gent 1-0 Valencia (Kums 49’ (p)); Lyon 0-2 Zenit (Dzyuba 25’ e 57’) - Mais um dia negativo para Nuno Espírito Santo, cada vez mais contestado em Valência (os Ché apresentam um futebol de um nível medíocre), tendo a sua equipa sido derrotada pelo Gent por 1-0 (ainda assim continua em boa posição para chegar à próxima fase). O único golo da partida surgiu aos 49', através de uma grande penalidade cobrada por Kums. André Gomes e Cancelo entraram na segunda parte, mas não evitaram a derrota, sendo que os Espanhóis raramente incomodaram o último reduto Belga. Já o Zenit de Villas-Boas está imparável na Champions, somando a quarta vitória em quatro encontros, desta feita frente ao Lyon. Em França, os Russos adiantaram-se aos 25', com Hulk a fugir pela direita e a oferecer o golo a Dzyuba, tendo a mesma dupla fabricado o segundo golo dos Russos, quando o Brasileiro isolou o Russo para este não perdoar na cara de Anthony Lopes.