A nova "Besta" da NBA

Inicio de uma nova Era? Ou Cousins, irmãos Gasol, Horford, Okafor, Towns, DeAndre Jordan, Vucevic e Gobert vão evitar que o rótulo de melhor “Center” da actualidade tenha sempre o mesmo dono?

As primeiras semanas da NBA deixaram os espectadores de “água na boca”: Stephen Curry quer voltar a ser o rei da temporada regular, Westbrook e Durant entraram com tudo, James Harden, depois de três jogos de fraca qualidade, voltou ao estado normal e Paul George regressou com força depois da grave lesão. Contudo, ninguém tem feito números estratosféricos como Andre Drummond.

Na história da NBA sempre existiram “Postes” (“Center”) dominadores, como Russell (na defesa), Chamberlain (máquina ofensiva), Abdul-Jabbar ou Olajuwon (estes dois eram exímios em ambos os lados do court). Nos últimos anos, Shaquille O´Neal não tinha concorrente à altura e depois passou o testemunho a Dwight Howard. Depois das lesões de D-12, Joakim Noah (na defesa), Marc Gasol e mais recentemente Cousins (falta cabeça) ganharam protagonismo, mas agora temos uma nova espécie de predador na área restritiva. Nada que não estivéssemos à espera, pois Andre Drummond ainda antes do Draft de 2012 era considerado como o rival n.º 1 de Anthony Davis, contudo, foi apenas selecionado no lugar número 9, pelos Detroit Pistons.

O “Center” de 2m11 metros e 127 kg tem dominado este arranque de temporada, com números “Chamberlianos”, daqueles só vistos nos anos 60 ou 70 (Moses Malone, nos anos 80, e Dennis Rodman nos anos 90, foram as excepções nestas fases) e juntou-se mesmo a Wilt Chamberlain e Kareem Abdul-Jabbar como os únicos jogadores com três jogos com 20 pts e 20 reb nos primeiros seis da temporada (fez um 20-20, 25-29 e 29-27). O bom arranque dos Pistons em muito se deve ao jovem Poste, que com 122 ressaltos nos primeiros seis jogos, fez o melhor arranque desde Dennis Rodman em 1993, com 120. Nestes primeiros sete jogos da temporada, Drummond somou 7 duplos-duplos, com uma média de 19.4 pontos por jogo, 19.6 ressaltos por jogo, 1.9 desarmes de lançamento por jogo, 1.9 roubos de bola por jogo e 53% de eficácia no lançamento.

O jogador dos Pistons não se limita a dominar na sua área restritiva, onde já conquistou 89 ressaltos (líder da NBA), mas também na área contrária, com uns impressionantes 48 ressaltos ofensivos (6.9 por jogo), a apenas 4 da pior equipa nesse aspecto, os Pelicans. Falta ainda melhorar os seus “post-moves” (precisa de umas aulas com Olajuwon) e de acertar na linha de lance livre (40% de eficácia nesta temporada) para se tornar num jogador ainda mais temível, mas os indicadores são excelentes.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): Sérgio M.

Etiquetas: