10 certezas que ficam da goleada do Barça ao Real

Num dos clássicos mais marcantes dos últimos anos, o Barcelona humilhou o Real Madrid, em pleno Santiago Bernabéu, vencendo por claros 4-0. Numa partida anormalmente desnivelada, na qual os Culés marcaram uma superioridade pouco comum entre dois conjuntos de ambições semelhantes, várias conclusões podem ser retiradas em virtude do que se passou dentro das quatro linhas. Assim, o Visão de Mercado aponta 10 certezas que ficaram do 'El Clásico'.

1 - Barcelona domina mesmo sem contar com Messi durante 2 meses e da proibição de inscrever Arda e Vidal - Nos últimos anos o Barça tem, quase sempre, dominado o futebol Espanhol. As 5 ligas conquistadas nas últimas 7 edições são a prova dessa superioridade. No entanto, o plantel emagrecido com que os Catalães encararam a Liga deste ano, sem os reforços Arda Turan e Aleix Vidal, bem como a ausência de Messi desde o final de Setembro, a juntar às lesões de Alves, Rafinha ou Vermaelen, podiam fazer crer que esta seria a oportunidade ideal para o Real Madrid conseguir ganhar uma boa vantagem pontual, tendo em vista a conquista de um campeonato que lhe tem escapado (só o venceu uma vez nos últimos 7 anos). No entanto, as adversidades não travaram a equipa de Luis Enrique, que conta já com uma boa almofada de 6 pontos de vantagem para o grande rival.
2 - Ronaldo vai começar a ser responsabilizado pelas derrotas - O rendimento do português (e não é de hoje, nem desta época, nem dos últimos 2 anos) está longe de quem se considera ser o Melhor do Mundo e o próprio Bernabéu, que assobiou o ainda Bola de Ouro no clássico, parece estar farto. A juntar à sua ausência no momento sem bola, também continua a acrescentar pouco ou nada quando se pede que desequilibre ou se dê ao jogo. Sendo certo que se ficar mais uma época sem conquistar a La Liga a sua permanência em Madrid (apenas 1 campeonato em 7 anos) estará em causa.
3 - Benítez demonstrou medo dos adeptos e um treinador que não pensa por si dificilmente tem futuro (ainda para mais quando os resultados e exibições não ajudam) - O técnico espanhol chegou a Chamartín supostamente para dar à equipa a disciplina e a ordem que tantas vezes faltou com Ancelotti. Benítez vinha colocando sempre Casemiro como titular, mas no dia mais importante cedeu à pressão dos adeptos e colocou o onze das estrelas (o de Ancelotti), dando sinais de que pode não ter a personalidade para o banco de um dos maiores clubes do mundo.
4 - Iniesta é um fenómeno, o maior talento puro na história de Espanha, mas daqui a uns dias volta a ser ignorado - O médio do Barcelona é isto há anos. Um dos maiores mágicos que este desporto conheceu e no "El Clásico" foi a grande figura, tendo mesmo sido ovacionado pelo Bernabéu. No entanto, continua a ser ignorado quando se fala dos melhores do Mundo e como não marca golos depois de passar o momento destas partidas cai novamente no esquecimento.
5 - Onde é que estava este Sergi Roberto? - Uma das maiores revelações da época no futebol Europeu. O médio, apesar do talento que apresentou durante a formação, nunca tinha convencido, mas, perante a lesão de Dani Alves e a falta de alternativas dentro do plantel, foi uma solução de recurso para jogar como lateral direito, e a verdade é que entrou na equipa para não mais sair. Aproveitou a confiança que boas exibições na defesa lhe deram para ganhar um lugar mais à frente, seja no tridente do meio-campo ou como falso extremo, e a verdade é que Sergi, com a sua inteligência táctica e capacidade de passe (jogador "à Barça), é o melhor reforço inesperado para Luis Enrique.
6 - O FC Porto e Portugal não são o Real e a La Liga - Danilo chegou a Espanha por muitos milhões de Euros, graças a uma muito bem sucedida passagem pelo FC Porto. Mas a verdade é que o Brasileiro, que sempre que está em boas condições físicas tem sido a aposta de Benítez, tem sido uma sombra do que foi em Portugal: facilmente batido a defender (Konoplyanka e Neymar brincaram com ele), não tem igualmente mostrado a capacidade ofensiva que o caracterizou no nosso país, não chegando com qualidade ao último terço do campo (e falhando passes e recepções fáceis que podem fazer crer num nervosismo de quem pode não estar preparado para uma camisola tão pesada).
7 - Varane é o jogador perfeito mas por enquanto ainda é um central imperfeito - Apresentou-se ao mundo justamente num clássico contra o Barça, mas mostrou ao mundo que ainda não é o central perfeito precisamente contra os Culés. Ninguém duvida que o Francês tem tudo para marcar uma época, quer fisicamente (alto e forte no jogo aéreo, mas muito veloz e de passada larga) quer tecnicamente (qualidade na saída de bola e até na condução), mas a partida de ontem deixou a nu várias fragilidades, ao nível da agressividade, posicionamento e mesmo mentalmente, com um nervosismo pouco justificável (já tem muitas dezenas de jogos no top).
8 - O que Rafa fez a Kroos? - Médio fantástico, culto tacticamente (já jogou a 6, a 8 e a 10), elegante, com uma capacidade de remate e de passe invulgar, o campeão do Mundo desde a chegada de Rafa Benítez que parece outro. Como se de um momento para o outro tivesse desaprendido, o Alemão é totalmente irrelevante no decorrer das partidas, sem capacidade para colaborar na circulação como gosta e sabe, talvez porque não se sente cómodo com o papel que lhe tem sido atribuído (pode não ver com bons olhos ter de andar a correr por 2 ou por 3).
9 - Neymar já calou os críticos - "Marca e finta muito mas é no Brasil", era esta a ideia de a maior parte dos europeus em relação ao ex-craque do Santos. Passado 2 anos e meio já poucos duvidam que o canarinho é um fenómeno e que tem fortes possibilidades de figurar no pódio da Bola de Ouro nos próximos anos. O extremo/avançado, que já na época passada se fartou de facturar (inclusive foi o melhor marcador da Champions, este ano dissipou todas as dúvidas, assumindo as rédeas da equipa na ausência de Messi de forma impressionante. Neymar finta, conduz, assiste, marca e parece cada vez mais claro que, mais tarde ou mais cedo, irá assumir um papel de destaque no futebol mundial.
10 - O futebol é um negócio - O desporto-rei tornou-se numa indústria, num negócio, que procura procurar e potenciar todas as fontes de receitas. Barcelona e Real Madrid são duas marcas poderosas, com seguidores em todo o mundo, que passam o Verão em digressões para seduzir público na América ou na Ásia. Nesta linha, chamou a atenção as imagens que iam aparecendo na transmissão de pessoas a ver o jogo nos EUA, na Tailândia ou em Singapura, num claro piscar de olho para os mercados com mais dinheiro e que muito contribuem para o poderio destes dois colossos.

Pedro Barata

Etiquetas: ,