União-Benfica adiado; Empate no Merseyside Derby; Mónaco volta a escorregar; Valencia derrotado; Nibali salva a época

Uma contrariedade para as duas equipas: os insulares certamente preferiam jogar hoje, para beneficiar do desgaste do adversário (a partida com o Atlético foi exigente); as águias, por sua vez, vão ficar com um calendário ainda mais apertado.

O duelo entre o União da Madeira e o Benfica foi adiado devido ao nevoeiro. O jogo estava marcado para as 16 horas mas nem teve inicio e agora os clubes vão definir uma nova data.

Três portugueses no 11 do clube Che - Depois de duas vitórias consecutivas, o Valencia volta a ser derrotado após perder por 3-1 frente ao Athletic na visita ao País Basco. Nuno, face às ausências de Gayá e Abdennour, apostou em Orban e Vezo, lançando de igual modo Cancelo e André Gomes como vem sendo hábito na equipa Che.  Quanto ao jogo, a aposta foi sempre em baixar o bloco e tentar explorar o momento da transição, contando com Negredo para segurar jogo (raramente o conseguiu), Bakkali para desequilibrar (1º parte de bom nível) e André Gomes com a função de transportar e ligar os sectores da equipa (a melhor unidade do encontro no lado do Valência). O primeiro golo surgiu contra a corrente do jogo (grande execução de Parejo após livre directo), mas a vantagem durou pouco. Laporte, na sequência dum pontapé de canto, repôs a igualdade e, já no segundo tempo, Susaeta operou a reviravolta (deu a sensação que Cancelo e Jaume podiam ter feito mais). Em desvantagem, Nuno lançou Alcácer e De Paul para os lugares de Negredo e Bakkali, mas nem isso deu à equipa um novo alento, já que foram raros os momentos em que o Valência esteve permanentemente no meio campo adversário. Até ao final, quem aproveitou para alagar o resultado foi o Athletic por intermédio de Aduriz, beneficiando de uma perda de bola em zona comprometedora de Javi Fuego (longe da segurança da época passada). Do lado de Valverde, vitória importante e que lhe permite respirar melhor, saindo, desta forma, da zona de despromoção. Nota para as exibições de Aduriz (os anos parecem passar-lhe ao lado) e para Beñat que esteve sempre em alta rotação.

Coentrão e Bernardo foram titulares, João Moutinho jogou os últimos 19 minutos, enquanto Ricardo Carvalho e Ivan Cavaleiro não saíram do banco de suplentes - O Mónaco voltou a escorregar em casa ao não ir além do empate a 1 frente ao Rennes. Os monegascos, que somaram o 3.º empate consecutivo (em todas as competições), estiveram a perder (golo de Doucouré) mas Wallace empatou.

É o 6.º empate nos últimos 7 Merseyside Derby - Para não fugir à regra, ninguém se ficou a rir na Terra dos Beatles. O Liverpool foi a casa do vizinho empatar a 1, resultado que não tranquiliza Rodgers. O duelo foi equilibrado, com os Reds a terem alguma superioridade nos primeiros 45 minutos, tendo mesmo chegado a vantagem por Ings, mas Lukaku empatou passado poucos minutos e na 2.ª parte sem ser algumas picardias o jogo teve poucos pontos de interesse.

Astana termina a época em grande (junta à Vuelta um Monumento); Vencedor do Tour de 2014 depois de um ano complicado conquista uma das principais provas do ciclismo Mundial - Vincenzo Nibali venceu o Giro da Lombardia, a última prova Monumento do Ano. O campeão italiano, da Astana, que tinha protagonizado um episódio pouco feliz na Vuelta, demonstrou ser o ciclista mais forte neste final de época (vinha de 5 Top 5 nas últimas 6 provas em que participou) e aproveitou a sua capacidade nas descidas para chegar isolado à meta (atacou depois da penúltima dificuldade e ninguém o conseguiu acompanhar). Daniel Moreno fez 2.º e Pinot completou o pódio. Valverde foi 4.º e Diego Rosa (que, à semelhança de toda a equipa da Astana, se fartou de trabalhar) completou o top 5. Rui Costa, que na época passada tinha conseguido um excelente 3.º lugar, este ano ficou cedo fora da luta.

Etiquetas: , , , , ,