«Temos um treinador que acredita no trabalho dos jogadores, tenham eles 30 anos ou apenas 18»

Concorda com a postura de Vieira? É preferível ignorar que alimentar (ou era necessária uma resposta clara sobre o que se tem passado)? A verdade é que Pinto da Costa também ignorou BdC e depois no timing certo desviou duas das principais promessas do Sporting. Sobre Rui Vitória, só no final da época se podem fazer as contas mas é verdade que pelo menos a nível Europeu as águias este ano tem tudo para fazer melhor (a questão da formação está um pouco mal explicada já que Jesus teve elencos com qualidade individual que impedia a entrada de elementos da cantera, sendo que mesmo assim ainda deu espaço a André Gomes, Ivan e deu oportunidade a jovens como Coentrão e Almeida).

O presidente do Benfica recusou comentar as suspeitas lançadas pelo homólogo do Sporting em relação à arbitragem mas garantiu que o assunto irá ser tratado nos «locais próprios». Luís Filipe Vieira, apesar de ter ignorado Bruno de Carvalho, aproveitou a inauguração da Casa do Benfica Algueirão, em Mem Martins, para mandar mais uma indirecta a Jorge Jesus. «Assumimos este ano – como todos sabem – uma opção difícil, uma opção de mudança, uma aposta clara na formação do Seixal e num treinador que acredita na competência e no trabalho dos jogadores, tenham eles 30 anos ou apenas 18. Fizemos esta mudança por convicção, sabendo o risco, sabendo que o caminho não seria fácil, mas sabendo também que o nosso futuro deve passar por aí. O nosso trajeto na Champions League revelou que estamos a dar passos seguros, revelou que contamos com um grupo unido e motivado, e revelou um treinador que assume a dimensão europeia do Benfica, um treinador sem medo e decidido a levar o Benfica ao tri. Chegamos aqui de forma planeada, depois de um período – longo – em que foi necessário recuperar a credibilidade do Clube, e de um outro período em que foi necessário um forte investimento – em que a construção e o desenvolvimento do Caixa Futebol Campus se inclui. Agora, estamos no tempo de apostar nos talentos gerados no Seixal, num modelo que equilibra a competitividade desportiva com a redução do nosso endividamento. De um modelo que dá oportunidades aos nossos jovens de trabalharem e crescerem junto da equipa principal». Sobre a polémica proporcionada por Bruno de Carvalho, Vieira salientou: «Recuperar a credibilidade do Benfica demorou anos, foi uma dura batalha. Não contem comigo para voltar atrás no tempo. Também sei que tenho o dever de defender de forma intransigente o bom nome do clube. Podem ter a certeza que assim será, mas nos locais próprios. Quero deixar um apelo aos adeptos do Benfica: que ignorem o ruído porque, ao contrário do que alguns pensam, o ruído não beneficia ninguém. Falemos de nós e preocupemo-nos apenas com o Benfica.»

(em actualização)

Etiquetas: