Surpresa na convocatória de Rui Vitória; Diogo Jota volta a brilhar; Tiago Pires eliminado; Nova Zelândia treme mas não cai

Qual deve ser o 11 de RV? A derrota em Istambul pode proporcionar um novo ciclo no que diz respeito à equipa titular. A única certeza é que Carcela, por enquanto, não conta mesmo. 

Renato Sanches, médio que apesar de ainda ter a idade de júnior já é presença habitual na equipa B há época e meia, é a principal novidade na lista de convocados do Benfica para `derby´ com o Sporting, no Estádio da Luz. Também Nuno Santos volta a estar na convocatória de Rui Vitória, já Mehdi Carcela, que tinha ficado na bancada frente ao Galatasaray, agora nem na lista. Convocados: Guarda-redes: Ederson e Júlio César; Defesas: Lisandro López, Luisão, Eliseu, Sílvio e Jardel; Médios: Fejsa, Samaris, Gaitán, Pizzi, Talisca, Victor Andrade, André Almeida, Nuno Santos e Renato Sanches; Avançados: Gonçalo Guedes, Raúl, Jonas e Mitroglou.

Marafona foi o melhor em campo, o guardião encheu a baliza; Diogo Jota (mais uma vez) fez a diferença na frente - O Paços de Ferreira subiu, à condição, ao 4.º lugar da I Liga, depois de bater, na Madeira, o Marítimo, por 2-0. Os jovens Barnes Osei e Diogo Jota apontaram os golos dos pacenses. Com um estilo de jogo oposto ao de Paulo Fonseca, a verdade é que Jorge Simão tem levado a água ao seu moinho, com uma equipa muito consistente e rápida nas transições; Marafona brilhou para Fernando Santos, Barnes Osei aproveitou bem a oportunidade e Diogo Jota voltou a fazer a diferença na frente (marcou, ganhou um penalti que João Silva desperdiçou e ainda teve várias jogadas de bom nível); do lado do Marítimo, nota para a falta de competência da defesa e para a displicência de Marega, que o levou a ser substituído por um médio, numa altura em que os insulares já perdiam por 2-0.

Ainda não foi desta que Saca chegou à 3.ª ronda - No 2.º dia de competição em Peniche, foram apenas realizados 7 heats da 2.ª ronda, mas os que ocorreram serviram para colocar fora da rota do título os australianos Owen Wright e Julian Wilson, respectivamente 3.º e 4.º classificados do ranking 2015. Já Tiago Pires voltou a cair na etapa portuguesa do calendário Mundial ao ser eliminado por Adriano de Souza (12.43 contra 6.17), brasileiro que continua a pressionar Mick Fanning pelo título de campeão do Mundo, e neste capítulo os portugueses Vasco Ribeiro e Frederico Morais poderão ter uma palavra a dizer na decisão do título, pois vão defrontar o australiano e o brasileiro na 3.ª ronda.

Mais complicado do que se previa, os All Blacks até chegaram ao intervalo a perder, mas não é por acaso que estavam frente-a-frente os últimos 2 campeões do Mundo - A Nova Zelândia bateu a África do Sul por 20-18 e garantiu a presença na final de um Campeonato do Mundo de Rugby pela 2.ª vez consecutiva (13 vitórias consecutivas em Mundiais). A partida esteve longe de ser espectacular, mas foi emocionante até ao apito final. As 80 mil pessoas que esgotaram Twickenham assistiram a uma primeira parte marcada por inúmeros erros defensivos dos neo-zelandeses, que permitiram a Handre Pollard pontuar por 4 vezes após penalidade (12 pontos). O melhor que os All-Blacks conseguiram foi um ensaio por Kaino, logo aos 5 minutos, tendo o mesmo jogador levado amarelo (suspensão de 10 minutos) em cima do intervalo. O 12-7 ao intervalo, valorizava a defensiva dos Springboks, que brilhou no 1.º tempo. Mas os 15 minutos iniciais da 2.ª parte viriam a ser fatais para a África do Sul, primeiro com um drop-goal de Daniel Carter, seguido de um ensaio de Barrett (acabado de entrar) e de um cartão amarelo para Bryan Habana (o resultado passou para 12-17). Pollard (15-17), Carter (15-20) e Lambie (18-20) marcaram três pontapés de penalidade, mas nos últimos 10 minutos a partida esteve quase sempre no meio campo sul-africano. Destaque negativo para as 13 faltas cometidas pelos All-Blacks (7 no seu meio campo), que poderiam ter pesado no resultado final e para a dificuldade os sul-africanos em penetrar no meio campo neo-zelandês.

Etiquetas: , , ,