Sporting perdulário deixa 2 pontos na Turquia; Leões dominaram durante 50 minutos mas pecaram na finalização (Téo falhou 3 golos cantados); Jesus voltou a rodar a equipa; Matheus foi titular; Ruiz (que jogou no meio) esteve em destaque na 1.ª parte; Mas entrada de Adrien coincidiu com a pior fase dos verde e brancos

Imagem: Facebook Sporting
Beşiktaş 1-1 Sporting (Gökhan Töre 61'; Bryan Ruiz 16')

O Sporting empatou, em Istambul, com o Besiktas, e está agora em 3.º lugar no Grupo H da Liga Europa com 1 ponto. Resultado que não é negativo - os leões se cumprirem com o Skënderbeu entram na luta pela passagem à próxima fase - mas que deixa um sabor amargo, tal foi o domínio e principalmente desperdício do emblema luso nos primeiros 50 minutos. Téo, com 3 falhanços na cara do guardião turco, esteve em evidência neste capítulo. Jesus, que voltou a mudar bastante o 11 (lançou Jonathan Silva, Tobias, William, Aquilani, Matheus Pereira e Mané) também não foi feliz com as substituições - a entrada de Adrien, aos 55 minutos, encolheu o leão.

O encontro começou com os Leões a tomarem mais a iniciativa, com William a procurar assumir a saída de bola e Ruiz, na zona central, a aparecer com qualidade no jogo. Nos primeiros minutos, o Besiktas só apareceu no ataque  num remate por cima de Quaresma, ao passo que o Sporting teve uma enorme oportunidade, quando Teo não conseguiu bater Zengin após bela jogada de Ruiz. Os Leões estavam melhor na partida e abriram mesmo o marcador aos 16 minutos, quando, após bom entendimento da frente de ataque, Matheus Pereira cruza para Brian Ruiz, à entrada da área, rematar forte para o golo. Pouco depois, aos 22', William falha um passe no início de construção e Gokhan Tore remata perto do poste esquerdo de Rui Patrício. Mas os Turcos não conseguiam incomodar o guardião Português (Quaresma, por exemplo, estava a ser metido no bolso por João Pereira), sendo mesmo os homens de Alvalade que estiveram mais perto do segundo golo, primeiro por Ruiz, que de novo de fora da área rematou perto da baliza, e depois por Teo, que após brilhante passe de William voltou a ser perdulário frente a Zengin. A segunda parte iniciou-se com a mesma tónica perdulária, já que aos 50' Carlos Mané tem um arranque fantástico, percorrendo dezenas de metros para servir Teo que voltou a perder o duelo com o guardião rival. Mas quem não marca, sofre, e a máxima voltou a aplicar-se, já que aos 60 minutos Sosa assistiu de calcanhar Gokhan Tore, com este a bater Patrício para fazer o 1-1. Após o empate, os Portugueses baixaram o rendimento (a troca de Matheus por Adrien também não melhorou  a equipa), passando a estar mais permeáveis aos Turcos (que tiveram várias transições de perigo, sobretudo com ações individuais de condução de bola, algo estranho tendo em conta a presença simultânea de William, Adrien e Aquilani em campo) e sem criar tanto perigo. Ainda assim, aos 75', Ruiz esteve perto do golo, sendo que, na resposta Ozyakup, em boa posição, podia ter feito melhor. Aos 85', foi Hutchinson que, já dentro da área, disparou para Patrício encaixar. Mesmo no final, Gelson, após cruzamento de Jonathan Silva, podia ter marcado, mas o empate não se desfez.

Beşiktaş  - Deu para perceber por que Quaresma tem sido suplente na liga, o português teve pouca influência no jogo turco e na maior parte dos lances foi anulado por Silva e João Pereira, o que diz bem da sua prestação. Mario Gomez, outra das referências da equipa, também foi presa fácil para Tobias e Naldo, e sem ser através das iniciativas de Gökhan Töre, o futebol dos turcos foi quase sempre previsível. A virtude esteve no banco, já que a entrada de Oğuzhan Özyakup revolucionou o jogo.

Sporting - Dois pontos perdidos. Os leões são melhores que o Besiktas e foram superiores durante mais do que uma parte, tendo tido oportunidades mais do que suficientes para garantir a vitória. Faltou um Téo (que teve mérito nas acções que criou) mais eficaz, mas também outra capacidade de reacção a partir do banco - Jesus falhou nas substituições e nunca conseguiu atenuar o menor fulgor físico que a sua equipa (principalmente na zona do meio campo) apresentou na 2.ª parte. Mas nem tudo foi negativo para o clube leonino, Matheus, na estreia a titular, demonstrou que pode ser uma solução (à semelhança do que estava a fazer Carrillo aparece bem na zona central, e esteve bastante interventivo), e Ruiz deu uma boa resposta a jogar numa zona central, apesar de só render durante 25/30 minutos. Pela negativa a exibição de Mané, incrível como é quase sempre inconsequente no momento com bola. Para acertar uma acção individual, já desperdiçou 10. Gélson (que falhou uma boa oportunidade para ser herói no último minuto) também sofre do mesmo problema. Defensivamente, João Pereira sofreu com Tore, mas a dupla Tobias-Naldo cumpriu, excepção para a fase em que William e Aquilani, talvez devido ao desgaste físico, deixaram uma auto-estrada no meio campo leonino. 

Etiquetas: ,