Sp. Braga continua a perder jogadores mas já está isolado com 6 pontos; Liverpool volta a escorregar; Vítor Pereira continua sem vencer; Mónaco empata com o Tottenham; Dortmund também só consegue 1 ponto; Schalke goleia; Lazio bate St-Étienne; Villarreal cumpre; Marselha perde

Fonseca voltou a ficar sem um defesa (Arghus) na 1.ª parte (contra o Vitória tinha perdido 2) mas, com a derrota do Marselha em casa, tudo o que não for a passagem à próxima fase será uma surpresa; Hassan marcou um golaço; Rafa (os golos deram-lhe confiança) parece estar de volta ao nível de 2013-14; Djavan é uma locomotiva no corredor esquerdo (embalado é dos laterais mais complicados de anular em Portugal).

Dois jogos, duas vitórias. O Sp. Braga assumiu a liderança isolada do grupo F ao bater o Groningen, por 1-0. Ahmed Hassan, numa grande jogada, logo aos 5 minutos, apontou o único golo da partida. Bom jogo dos minhotos (18 remates contra 6, sendo que os adversários não fizeram um remate à baliza de Matheus), que dominaram por completo a primeira meia-hora, fase em que podiam e deviam ter ampliado o marcador. Rui Fonte chegou a atirar ao poste. O treinador do clube holandês ainda na 1.ª parte fez entrar Larsen e com isso equilibrou um pouco o encontro. Dez minutos depois o central Arghus também se lesionou e Fonseca foi forçado a adaptar Mauro ao centro da defesa, mas, apesar de na 2.ª parte a partida ter sido mais dividia, o domínio e principalmente controlo dos minhotos foi claro. O jogo acaba com um falhanlo incrível do Sp. Braga com Goiano, numa situação em que o guardião contrário foi à área minhota tentar a sua sorte num canto, a ficar com o meio campo todo livre, numa situação de 4 para 1, ainda ultrapassa o único defesa que tinha pela frente mas perde muito tempo e permite a intercepção quando a baliza estava aberta.

Vítor Pereira ainda não venceu na Europa; Rodgers pode voltar a ser apertado; Di Santo foi o jogador da noite com um hattrick; Golaços de Higuain e Baptistão - Na 2.ª jornada da fase de grupos da Liga Europa o Fenerbahçe não foi além de um empate a 2 no Celtic Park. Com Bruno Alves, Meireles, Nani e Fabiano a fazerem os 90 minutos, começou melhor o Celtic já que Grifiths e Commons colocaram os escoceses com dois golos de vantagem. Mas a resposta não iria tardar, já que Fernandão (que entrou aos 40 minutos) viria a empatar a contenda com golos aos 43’ (enorme falha de Ambrose) e 48’ (excelente cabeçada a um canto de Nani). Também o Liverpool desilidiu e empatou a uma bola, em pleno Anfield Road, frente ao modesto Sion. Lallana voltou a marcar para a Liga Europa, mas Assifuah, bem lançado por Kouassi, fez o impensável e ofereceu um ponto à formação de Didier Tholot. Encontro que fica marcado pelo domínio dos Reds (aliás, o guardião Vanins foi o melhor em campo), mas que penaliza Rodgers que só colocou Coutinho em campo já depois da hora de jogo (o brasileiro entrou bem), e deverá continuar a ser contestado nos próximos dias. Destaque também para mais uma vitória do Nápoles, desta feita no terreno do Legia de Varsóvia. Num jogo de sentido único, Mertens e Higuaín (que entrou já aos 77’ e marcou um golaço) fizeram os golos. Já o Schalke (que atravessa um bom momento) não teve problemas na receção ao Asteras Tripolis e goleou os gregos por 4-0. Di Santo, com um hat-trick, foi o homem do jogo, Huntelaar também marcou, mas esta formação de Breitenreiter vai dando nas vistas pela qualidade do seu meio campo, em particular Geis, Sané e Goretzka (ainda que Hojbjerg tenha estado em destaque no jogo de hoje). O Villarreal deu sequência ao que tem vindo a fazer em Espanha e venceu, no El Madrigal, o Viktoria Plzen (completamente inofensivos) por 1-0. Léo Baptistão, numa arrancada portentosa, fez o único golo do encontro. Num jogo entre candidatos à vitória final, Mónaco e Tottenham dividiram pontos no Principado com um empate a uma bola. Lamela, na recarga de um remate, fez o primeiro do encontro, sendo que até final da primeira parte o resultado não se viria a alterar. Aos 60 minutos, momento chave no encontro, com a entrada de El Shaarawy para o lugar de Lemar, já que o italiano viria a dar o empate a Jardim, apresentando ainda muita qualidade no tempo em que esteve em campo (tem claramente que ser titular). Coentrão (voltou a estar bem na esquerda), Moutinho (o melhor a meio campo), Carvalho (deu o lugar a Dirar quando o resultado não estava favorável) e Bernardo (apareceu a espaços) foram titulares nos monegascos. O Dortmund, depois de vitórias e vitórias a fio, voltou a empatar (3.º consecutivo), desta vez no terreno do PAOK, a uma bola, mas manteve o primeiro lugar do grupo. Mak, aos 34’, fulminou Weidenfeller e fez o 1-0 para os gregos, mas na segunda parte Gonzalo Castro, num golo fortuito (o objetivo era lançar um colega de equipa) fez o empate final. Num encontro com poucos remates mas muitos golos, a Lazio derrotou, no Olímpico de Roma, o Saint-Étienne por 3-2 e juntou-se ao Dnipro na liderança do grupo G. Onazi, Hoedt (de calcanhar) e Biglia marcaram para os laziale, enquanto que Sall e Monnet-Paquet reduziram para os franceses. E já que se fala em derrota de franceses, o Marselha não fez melhor e saiu derrotado na receção ao Liberec, deixando o Sp. Braga isolado na liderança com mais 3 pontos que os adversários de hoje (só o Groningen ainda não somou qualquer ponto). A equipa de Míchel, que se tem apresentado extremamente irregular, massacrou (33-5 em remates, 65% de posse), mas nunca conseguiu ultrapassar um gigante (em todos os aspetos) Koubek na baliza. Já no minuto 84’, o lateral direito Coufal gelou o Vélodrome marcando o único golo da partida. De resto, destaque para as vitórias de Basileia (do grupo do Belenenses... 2-0 frente ao Lech Poznan) e de Lokomotiv (do grupo do Sporting... pelos mesmos 2-0, mas na receção ao Skenderbeu), para Viktor Fischer que fez mais um golo (quarto nos últimos 5 encontros) e parece querer confirmar o enorme potencial que sempre apresentou e para os dois Zivkovic do Partizan. O extremo, que foi/é muito associado ao Benfica), bisou e marcou o seu 3.º golo em dois jogos, já o guarda-redes só não defendeu a excelente combinação entre Bobadilla (que acabaria por finalizar) e Altintop, numa partida em que o Augsburgo fez 30 remates.

Etiquetas: ,