Real teve a liderança na mão, mas arrancada de Jackson deixou tudo na mesma; Navas foi a figura, Ronaldo voltou a estar encolhido

Mais equilíbrio no topo da La Liga era impossível. O Villarreal, apesar de ter perdido (1-0 contra o Levante), continua em 1.º, com o Real, Barça e Celta a apenas 1 ponto, já os colchoneros estão 3. Mas os grandes de Madrid continuam sem fazer o suficiente para aproveitar os deslizes do Barça. O clássico foi pobre, teve poucas oportunidades de golos e voltou a contar com um Ronaldo encolhido, sem conseguir fazer a diferença e a esconder-se constantemente dos duelos com Juanfran (incrível como raramente tenta acções de 1 contra 1); ao contrário de Benzema, que além do golo se fartou de ganhar faltas, sendo que a sua substituição (Benitez errou ao tirar o francês) coincidiu com o golo do Atlético. Mas a nível individual a figura foi Navas, que defendeu um penalti e tirou o 2-1 a Jackson com uma grande parada em cima do minuto 90. 

Empate a 1 entre Atlético e Real no dérbi de Madrid, resultado que indirectamente beneficia o Barcelona. Benzema, aos 9 minutos, com uma grande cabeçada, colocou os merengues na frente, mas Vietto, beneficiando de uma grande arrancada de Jackson, empatou para os anfitriões perto do fim. Resultado que deixa quase tudo na mesma na frente e que até se ajusta ao que foi o clássico (o Atlético mesmo com a falta de ideias a nível ofensivo ainda desperdiçou um penalti), apesar de ficar a ideia que os Blancos, pela maneira como chegaram a ter o jogo controlado, perderam 2 pontos e assim a oportunidade de subirem ao 1.º lugar da La liga. Quanto ao encontro, começou praticamente com o golo de Benzema, Griezmann na 1.ª parte, na marca de grande penalidade (falta de Ramos sobre Tiago) teve a oportunidade para empatar mas Navas defendeu e o jogo foi desenrolando sem grandes oportunidades, mas sempre com a ideia que estava dominado pelo Real. Nos últimos minutos, Jackson com uma grande arrancada na esquerda ultrapassa Arbeloa e assiste Vietto para o 1-1 final, pouco depois Cha Cha Cha ainda teve a oportunidade de ampliar, mas o resultado não se alterou.

Atlético -  Mais um jogo sem Jackson de início, mas em que o Colombiano entrou para decidir o resultado final. Simeone optou por Torres na equipa inicial, mas o espanhol foi uma sombra durante o período em que esteve em campo, não conseguindo ser útil para aproveitar as costas da última linha do Real. Ainda assim, a habitual agressividade da equipa fez-se valer, mesmo que o Atlético pareça estar longe dos melhores momentos do conjunto de Simeone. A título individual, excelente jogo dos laterais (Filipe Luís e  Juanfran), Gabi e Tiago na habitual toada (o Português até ganhou um penalty), mas as entradas de Vietto, Jackson e Carrasco mudaram por completo o rumo do jogo.

Real - Encontro que parecia aparentemente controlado, mas que acabou por trair a estratégia de Benítez. O Espanhol optou por um meio campo menos criativo e mais direccionado para a recuperação (Casemiro, Kroos e Modric) e a opção até surtiu efeito durante grande parte da partida (forçou a saída de Óliver que pouco conseguiu criar). O problema esteve nos segundos 45 minutos, especialmente após as mexidas de Simeone e a saída por lesão de Carvajal que retirou profundidade ao corredor direito. A entrada de Bale ainda tentou colmatar isso, mas a equipa foi incapaz de segurar o jogo durante grande parte do 2.º tempo. Individualmente, Ronaldo esteve grande parte do encontro dado à marcação dos centrais sem procurar desequilibrar a partir dos corredores; Modric foi o responsável pelos bons períodos dos Merengues; Casemiro fez uma excelente exibição e conseguiu equilibrar a agressividade no sector intermédio, mas Ramos e Arbeloa tiveram jogos infelizes com alguns erros que Navas ainda conseguiu remediar.

Etiquetas: