O primeiro "Ser Humano" a fazer 50 golos na Era moderna?

A "educação futebolística" de todos aqueles que contam hoje menos de 40/50 anos foi feita sabendo que, antes do seu nascimento (ou pelo menos da chegada a uma idade em que a razão já permitie entender o fenómeno desportivo), houve uma época em que nomes como Peyroteo protagonizaram façanhas goleadoras impressionantes, marcando a um ritmo superior a um golo por jogo, algo que, durante décadas, pouco ou nada foi visto. Até que, recentemente, surgiram dois "extra-terrestres" que mudaram toda a lógica reinante. Com efeito, Cristiano Ronaldo vai numa sequência de 5 épocas a marcar mais de 50 golos (2 delas com 60 ou mais tentos), enquanto que Messi superou essa fasquia em 4 das últimas 5 temporadas (tendo feito balançar as redes por 60 vezes numa época e por 73 noutra). Estes dois monstros têm deixado para trás toda a concorrência (algo que se reflete em vitórias repartidas nas últimas 7 edições da Bola de Ouro), sendo que, no capítulo estritamente goleador, grandes figuras dos últimos tempos como Zlatan Ibrahimovic, Didier Drogba, Samuel Eto´o, Robin Van Persie, Kun Aguero nunca atingiram a fasquia dos 50 golos num ano desportivo (aliás, somente o Sueco conseguiu, por uma vez, alcançar a fasquia dos 40). Mesmo recuando uma geração, Ronaldo Fenómeno só por uma vez apontou mais de 4 dezenas de golos, sendo que Henry, por exemplo, nunca o conseguiu fazer.

No entanto, nesta temporada pela primeira vez na Era Moderna um "ser humano" parece capaz de chegar aos 50 golos numa só época. Trata-se de Robert Lewandowski. O Polaco está num momento sublime, tendo feito 15 golos nas últimas 6 partidas disputadas numa fase que teve como ponto mais alto a Manita aplicado ao Wolfsburgo. Avançado super completo, Lewa domina uma imensidão de registos, deste o jogo de costas para a baliza, combinando com os apoios frontais (não sendo por isso peixe fora de água no jogo de Pep), passando pela movimentação de ruptura (o que dá uma dimensão diferente ao futebol Bávaro), pelo remate colocado com ambas as pernas e culminando numa invulgar técnica e potência no cabeceamento, como se viu no passada desafio pela Polónia (ao serviço da qual tem demonstrado que o peso de ser o líder solitário de uma equipa não lhe causa qualquer desconforto). 

Com 22 golos já marcados esta época entre clube e selecção (a título de exemplo, Messi - agora lesionado - leva 6, mais 3 em particulares pela selecção, ao passo que CR7 soma 10), Lewandowski, talvez o jogador mais em forma no futebol mundial neste momento, possui legítimas aspirações de chegar a marcas que, no futebol moderno, só os dois jogadores que têm marcado os últimos anos atingiram.

Pedro Barata

Etiquetas: