O melhor 11 para Fàbregas (Ronaldo fica de fora); China vende direitos de TV por 1,14 mil milhões de euros

Concorda com as escolhas? A presença de Marquinhos é duplamente curiosa, já que, apesar do seu enorme potencial (seria titular em todas as equipas do Mundo menos em duas), não é indiscutível no PSG e nunca coincidiu com o espanhol. No meio campo também surpreende que tenha valorizado mais Pogba e Verratti em detrimento de Thiago ou Busquets. 

Numa entrevista à revista "Match of the Day" o espanhol Cesc Fàbregas nomeou aquele que é o seu 11 de eleição na actualidade. O médio do Chelsea escolheu Thibaut Courtois para a baliza, na defesa colocou o colega de equipa Azpilicueta, o austríaco Alaba, o ex-companheiro Piqué e o jovem Marquinhos do PSG, já no meio campo juntou ao seu nome a Pogba e Verratti, na frente nomeou Messi, Hazard e Luis Suárez. Curiosamente não apontou Ronaldo, nem qualquer jogador do Real. Questionado pelo motivo de não ter incluído jogadores britânicos no 11, respondeu: "Nenhum jogador britânico? A sério! Nem me tinha apercebido, garanto. Há vários jogadores que podia ter nomeado, como o Rooney, Stones, Cahill, Bale, Barkley, mas mesmo assim este era o meu 11", disse o ex-Barça. Sobre o actual momento do Chelsea, o espanhol  acredita que será possível reconquistar o título, apesar de o clube liderado por José Mourinho estar apenas no 15.º lugar. "Tenho a certeza de que ainda podemos vencer a liga. Temos apenas de recuperar a nossa confiança de volta, ganhar alguns jogos e depois vamos ver o que acontece. Na Premier League toda a gente pode perder pontos para toda a gente", disse o médio.

A Federação quer aproveitar esta enorme injecção de capital para transformar o futebol numa potência - Dia histórico no futebol chinês. A companhia China Sports Media adquiriu os direitos de transmissão das próximas 5 épocas do campeonato chinês por  1,14 mil milhões de euros, um valor 30 vezes superior ao do último acordo. Este contrato representa receitas anuais de 230 milhões de euros, uma soma muito superior aos 7,1 ME pagos em 2015, na época que termina este fim-de-semana. E sendo certo que esta quantia ainda está longe dos 6,9 mil milhões da Premier League já se aproxima da maior parte das ligas europeias de topo.

Etiquetas: