Nulo no jogo mais esperado da noite; Atlético goleia; De Bruyne resolve nos descontos; Juventus escorrega; Wolfsburgo lidera grupo B; Martial volta a marcar; Malmö afunda Shakhtar

Ronaldo e Ibrahimovic não fizeram a diferença e o esperado embate entre PSG e Real acabou por não ter história; Numa noite sem vitórias fora, destaque para o empate do Mönchengladbach (em grande desde que despediu Favre) no terreno do vice-campeão europeu; Martial também deu 1 ponto ao Man Utd em Moscovo; Já o Sevilha esteve perto de empatar com o líder da Premier League mas De Bruyne, nos descontos, numa transição, colocou os Citizens no 2.º lugar do grupo D; Já o Atlético não teve problemas em golear um poupado Astana, que só colocou 15 jogadores na ficha de jogo; Quem continua sem pontuar é o Shakhtar, que foi derrotado na Suécia pelo modesto Malmö.

Grupo A: Malmö 1-0 Shakhtar (Rosenberg 17’); PSG 0-0 Real Madrid - No jogo grande do dia, PSG e Real Madrid acabaram por se anular, empatando a 0 num encontro com poucas oportunidades de golo. A equipa da casa foi tendo mais bola, mas foi o Real quem dispôs das melhores oportunidades, quase sempre por intermédio de Ronaldo, que no entanto foi sempre infeliz perante a presença de Kevin Trapp. Aurier esteve em destaque na primeira parte, fortíssimo nos duelos, subindo igualmente bem pelo corredor (talvez o lateral direito mais em foco esta época), do lado do Real, Ramos esteve em destaque no segundo tempo, assim como Casemiro que tem aproveitado bem os minutos que Rafa Benítez lhe tem dado. Já Danilo anulou quem lhe apareceu à frente e rubricou também ele uma boa exibição. No outro jogo, o Malmö somou os primeiros três pontos na competição ao vencer, em casa, o Shakhtar por uma bola a zero (os ucranianos ainda não conquistaram qualquer ponto). Markus Rosenberg, no seguimento de uma excelente jogada de entendimento com o lateral esquerdo Konate, apontou o único golo do encontro, ainda que Pyatov tenha defendido uma grande penalidade de Djurdjic.

Grupo B: CSKA Moscovo 1-1 Manchester United (Doumbia 15’; Martial 65’); Wolfsburgo 2-0 PSV Eindhoven (Bas Dost 46’ e Kruse 57’) - Num duelo com poucas situações de golo, ninguém levou a melhor no Arena Khimki. CSKA e Man Utd empataram a 1, tendo Doumbia (na recarga de um penálti de Eremenko que De Gea defendeu) adiado os moscovitas na primeira parte, cabendo a Martial (que tem jogado descaído sobre a esquerda) o golo do empate, após bom cruzamento de Valencia. Já o Wolfsburgo não sentiu grandes problemas na receção ao PSV e venceu por 2-0. Bas Dost, aos 46', numa insistência, fez o primeiro, Max Kruse adiantou aos 57 num cabeceamento após passe de Caligiuri, e o melhor (ou pior) que os holandeses conseguiram fazer foi falhar um castigo máximo já nos descontos por intermédio de Locadia. Nota ainda para Vieirinha que entrou aos 73' para extremo direito.

Grupo C: Atlético Madrid 4-0 Astana (Saúl Ñíguez 23’, Jackson Martínez 29’, Óliver Torres 63’ e Dedechko 89’ p.b.) - Vitória esperada e esclarecedora do Atl. Madrid sobre o Astana. Os Colchoneros foram bastante superiores ao longo do encontro e à passagem da meia hora de jogo já venciam por 2-0. Primeiro foi Saúl Ñíguez num toque de habilidade após passe de Ferreira-Carrasco (talvez o melhor em campo), para depois Jackson, num golo algo fortuito, finalmente voltar aos golos. Na segunda parte, a toada manteve-se e Óliver, a passe de Gabi que conduziu a bola durante largos metros, finalizou com classe. Os minutos aproximavam-se do final, mas ainda houve tempo para mais um golo... ou melhor, um auto-golo de Dedechko.

Grupo D: Juventus 0-0 Borussia Mönchengladbach; Manchester City 2-1 Sevilha (Rami 36’ (pb) e De Bruyne 90+1’; Konoplyanka 30’) - A Juventus bem tentou (22 remates contra 4), mas não esteve inspirada na finalização (apenas dois remates enquadrados) e não foi além de um nulo, no Juventus Stadium, contra o Borussia Monchengladbach. Num encontro em que Pogba e Marchisio se superiorizaram no meio campo e Alex Sandro esteve em bom plano na esquerda, ninguém levou a melhor, mesmo que os alemães pouco ou nada tenham tentado visar a baliza do espetador Buffon. Já o City carimbou uma importante vitória na receção ao Sevilha e isolou-se no segundo lugar com mais 3 pontos que o adversário de hoje e a 1 do vice-campeão europeu. A turma andaluz ainda esteve em vantagem quando, aos 30 minutos, Konoplyanka bateu Joe Hart, mas Bony (a meias com Rami) e principalmente De Bruyne (excelente trabalho já nos descontos) ofereceram a vitória a Pellegrini.

Etiquetas: