«Não é importante se sou, ou não, cabeça de cartaz»

Sem Ronaldo qual é a principal figura de Portugal?

Bernardo Silva foi um dos destaques na vitória de Portugal frente à Dinamarca. Na antevisão da partida com a Sérvia o jovem disse que se sente confortável tanto a médio ofensivo como a extremo, mas prefere desvalorizar quando dizem que é a referência entre os jovens que estão a aparecer na selecção. "É verdade que estão a surgir muito bons jogadores portugueses, agora se sou cabeça de cartaz ou não, isso não tem importância para mim, não me diz nada. Quero seguir o percurso natural e dar o melhor para continuar a estar aqui e ajudar a Seleção atingir os seus objetivos", afirmou o médio do Monaco. Sobre a posição a que prefere jogar, Bernardo Silva destacou: "Fiz a formação como médio ofensivo, a jogar no meio, mas no Monaco faço 80 a 90 por cento dos jogos na linha, pelo que estou habituado às duas posições, que pedem diferentes abordagens. Na linha tento fazer mais golos e assistências, e no meio estou mais na organização de jogo e na transição da defesa para o ataque." Já questionado se o seu antigo clube, o Benfica, aposta na formação, preferiu não comentar: "Estou ao serviço da seleção, não estou para comentar se o Benfica está a apostar ou não na formação. Nélson Semedo é um excelente jogador e um amigo com quem joguei no Benfica. Espero que tudo lhe corra bem e fico contente que esteja aqui."

Etiquetas: