Moutinho volta a resolver com um golaço e garante Pote 1; Portugal faz sete em sete, apesar de a Sérvia ter sido superior; Defesa, com Semedo a titular, fraquejou, meio campo também foi insuficiente, mas eficácia (mais uma vez) fez a diferença

Sérvia 1 - 2 Portugal (Tosic 65'; Nani 5', João Moutinho 78')

Em mais um jogo em que o resultado foi melhor que a exibição (esta Selecção de Fernando Santos, ao contrário do que é normal nas selecções nacionais, tem sido altamente eficaz, marcando em quase todas as ocasiões de golo), Portugal bateu a Sérvia por 2-1, garantido a sétima vitória em sete jogos de qualificação sob o comando do técnico que substituiu Paulo Bento. A equipa das Quinas fez alinhar muitos jogadores que não têm sido primeiras escolhas, sendo que, apesar do domínio da equipa da casa, obteve o triunfo apesar da escassez de destaques individuais (Rui Patrício foi a unidade mais em evidência, sendo que a entrada de Moutinho também acabou por ser decisiva). Com esta vitória, os Lusos asseguram a presença no Pote 1 do sorteio dos grupos do Europeu de França.

O jogo começou com uma dupla situação de algum perigo para a baliza de Rui Patrício, mas a resposta de Portugal foi o mais contundente possível, com um golo logo aos 5 minutos: após Bruno Alves despejar um lançamento longo dos Sérvios, a bola chega a Danny que ludibria muito bem Mitrovic e remata para defesa de Stojkovic, com o ressalto a beneficiar Nani que não teve problemas em abrir o marcador. Apesar do início agitado, a partida entrou numa toada muito morna, sem situações junto das balizas. A Sérvia procurava assumir a iniciativa da construção mas fazia-o de forma pouco fluída, ao passo que a equipa das Quinas adoptava uma postura mais expectante, mantendo-se organizada.  A primeira  ocasião em que a equipa da casa incomodou Rui Patrício foi pouco depois da meia hora, com um remate forte de Tosic que o guardião do Sporting encaixou, tendo este momento dado o mote para uns minutos de maior pressão da Sérvia, com Ljajic, após tabela com Mitrovic, a disparar forte para defesa de Patrício. Já quanto a Portugal, a única aproximação à baliza rival foi perto do intervalo, mas Veloso rematou mal. Ao intervalo Neto entrou para o lugar de Bruno Alves, sendo que logo no início do segundo tempo Ljajic, servido por Kolarov, rematou perto do poste esquerdo, tendo Portugal respondido com um tiro muito perigoso de Quaresma. Até que aos 65', a Sérvia chegou ao merecido empate, com Tosic (o melhor em campo), após novo cruzamento de Kolarov, a rematar de pé esquerdo, dentro da área, sem chance para Patrício. Portugal estava cada vez mais encolhido face ao domínio do opositor, tendo Rui Patrício evitado com o pé que Mitrovic desse vantagem à Sérvia. Apesar da superioridade dos locais, foi Portugal a fazer o 2-1, com Eliseu a ganhar a bola a Tosic e a servir João Moutinho, que de fora da área marcou um grande golo ao ex-companheiro Stojkovic. Ao golo seguiram-se momentos quentes, primeiro com Kolarov (já no banco) a ser expulso e depois com Matic a ver igualmente o cartão vermelho e a deixar a sua equipa reduzida a 10. Estas contrariedades travaram o assédio da Sérvia, com Portugal a ter mais espaço e Nani, aos 85', a ficar muito perto do golo. Em cima do fim, Éder quase aproveita uma falha defensiva para ampliar a vantagem, mas o resultado não se alterou.

Destaques:

Portugal - Uma vitória com os ingredientes que já são habituais nesta Era Fernando Santos - domínio do adversário, futebol de pobre qualidade, mas eficácia quase absoluta na finalização que vale o triunfo. Com muitas mexidas (Rui Patrício, Nelson Semedo, Bruno Alves, José Fonte, Eliseu, Danilo, Miguel Veloso, André André, Quaresma, Nani e Danny formaram o onze), Rui Patrício foi decisivo para o triunfo, com excelentes intervenções que seguraram os três pontos. Na defesa, Eliseu protagonizou uma boa exibição, com intervenções positivas e com o roubo de bola e passe no golo de Moutinho, ao passo que Nélson Semedo não teve uma estreia isenta de percalços. O lateral, sendo certo que apanhou várias situações de 2 contra 1, foi ultrapassado em várias situações e foram do seu lado os melhores lances da Sérvia. O meio-campo apresentou um fraco rendimento, sem argumentos na construção e na posse. André André pouco se notou no momento com bola, Danilo esteve menos capaz no momento defensivo e Veloso falhou onde é até é mais forte, no passe e decisão. Um sector que teve claramente uma cara nova com a entrada de Moutinho, que fez um golaço e voltou a ser o herói. Na frente, Danny só se viu no lance do primeiro golo (no qual faz um excelente trabalho), Nani marcou mas só apareceu no fim, quando havia espaço e Quaresma também pouco acrescentou.

Sérvia - Uma equipa com jogadores de qualidade, que com outro contexto/mentalidade poderia ter sucesso, mas que se perde em picardias e descontrolo emocionais (hoje num minuto Matic e Kolarov são expulsos). A equipa esteve por cima, criou ocasiões, mas Rui Patrício e a eficácia portuguesa deitaram tudo a perder. Stojkovic pouco trabalho teve e nada podia fazer nos golos (no primeiro ainda defendeu o remate de Danny), sendo que Kolarov foi um perigo no lado esquerdo, criando muitos problemas para Portugal e servindo Tadic no golo. Matic deu sequência ao mau arranque no Chelsea, apresentado-se muito conflituoso e sendo expulso de forma infantil, enquanto Tosic foi o melhor em campo, fazendo notar a sua técnica e capacidade de drible e transporte, culminado a boa exibição com um golo.