"Manita" do Leão; Jesus meteu 10 "reservas" a pensar no dérbi mas Montero e Matheus demonstraram que querem pertencer ao grupo dos titulares

Sporting 5-1 Skënderbeu (Aquilani 38' g.p., Montero 42' g.p., Matheus 64' e 77', Tobias 69'; Jashanica 89')

Tudo demasiado fácil para os leões. O Sporting não teve grandes problemas em golear (5-1) um ingénuo Skënderbeu (2 penaltis e uma expulsão infantil logo aos 22 minutos) e relançou assim a corrida à próxima fase da Liga Europa. Uma "manita" que traduz a superioridade do clube leonino, mesmo com uma equipa menos utilizada - Jesus apostou em Patrício; Esgaio, Ewerton, Tobias Figueiredo, Jonathan Silva; Aquilani, Paulista; Matheus Pereira, André Martins, Mané e Montero; dando assim a entender, que à excepção de RP vai ter um 11 completamente diferente no dérbi com o Benfica - apesar de Matheus (bisou e teve vários pormenores de grande nível) e Montero (sofreu 2 penaltis e ainda somou ao golo uma assistência) terem "complicado" as contas do treinador do Sporting.

Partida praticamente de sentido único, os albaneses na 1.ª parte só fizeram um remate através de um livre (boa defesa de Patrício), e não fosse alguma ineficácia o resultado até podia ser mais expressivo (mesmo sem o Sporting ter sido avassalador). Aos 16 minutos Montero isolado por Matheus passa pelo guardião contrário mas perde algum tempo e vê Vangjeli a tirar-lhe o golo com um corte em cima da linha, na recarga André Martins, em boa posição, também não fez melhor e atirou contra um defesa albanês. E a partir dos 22', o jogo ainda ficou mais simples para o clube leonino, quando Salihi, que já tinha amarelo, num canto, tenta marcar golo com a mão e vê o vermelho. Em superioridade o Sporting dominou ainda mais, e na sequência de 2 penaltis, ambos cometidos sobre Montero, chegou ao intervalo a vencer por 2-0 (primeiro foi Aquilani a marcar, depois Jesus deu autorização a Montero para também juntar o nome aos marcadores). Em vantagem o Sporting foi criando oportunidades (Mané e Matheus desperdiçaram as melhores) e com naturalidade engordou o resultado.  Primeiro Matheus, de cabeça, aproveita uma má saída de Shehi para fazer o 3-0. Depois foi Tobias, também de cabeça a responder bem a um livre de Montero, tendo novamente Matheus Pereira, com um excelente remate de primeira, após cruzamento de Esgaio, a colocar o marcador nos 5-0. O melhor que o Skënderbeu - que na 2.ª parte teve uma boa oportunidade, para fazer o 1-2, mas Progni, numa transição, com a baliza escancarada atira ao lado - conseguiu, foi reduzir já em cima dos 90 reduzir por Jashanica na sequência de um canto.

Sporting - Jogo com pouca história, tendo a expulsão no conjunto albanês facilitado ainda mais a tarefa à turma de Jorge Jesus. Mesmo com um 11 revolucionário (apenas Patrício é certo para o clássico, sendo que Esgaio e Ewerton poderão ser opções... veremos é se as boas exibições de hoje de elementos como Matheus e Montero baralham as contas de JJ), o clube leonino mostrou sempre uma superioridade clara a todos os níveis, destacando-se André Martins no 1.º tempo, Montero (a melhor unidade em toda a partida, ganhou dois penaltys e foi decisivo no resultado final), Matheus (continua na senda dos golos) e Jonathan Silva (melhor do que Esgaio no momento atacante e ainda somou uma assistência). Para além disso, e apesar do adversário não ser a melhor oposição para avaliar, a dupla de centrais (Ewerton-Tobias) hoje apresentada parece oferecer mais à equipa do Sporting, seja na saída de bola e na 1.ª fase de construção, seja nos confrontos físicos e duelos aéreos. Nota ainda para as entradas Gelson, William e Slimani que parecem colocar o jovem extremo no lote dos titulares.

Skënderbeu  - O conjunto de Josa nunca pareceu ter argumentos para fazer frente ao Sporting, mas a ingénua expulsão de Salihi veio retirar todas as hipóteses à equipa de disputar o jogo. Foram raras as vezes em que chegaram à baliza de Patrício e quando o fizeram desperdiçaram de forma clara a oportunidade. Fica a confirmação de que é a pior equipa deste grupo e que o melhor a que pode aspirar é roubar pontos nos jogos disputados no seu reduto. A nível individual Berisha foi sempre o mais inconformado. 

Etiquetas: ,