Gonçalo Guedes brilha pelos sub-21; Bruno Fernandes, Gelson e Rúben Neves também estiveram em destaque

Grécia 0-4 Portugal (Gonçalo Guedes 45', Gelson Martins 50', Cancelo 86' e Gonçalo Paciência 90')

Mais uma vitória para os sub-21 de Portugal. Os comandados de Rui Jorge consolidaram o 1.º lugar no Grupo 4 de qualificação para o Europeu da categoria ao irem à Grécia golear por 4-0. Resultado, que até podia ter sido mais expressivo (o guardião Barkas foi o melhor em campo), frente aquele que na teoria era o adversário mais complicado, que diz bem do passeio que vai ser para a selecção nacional esta fase de apuramento. Gonçalo Guedes, com um golo e duas assistências, foi a unidade em maior evidência na equipa das Quinas, mas Rúben Neves e Bruno Fernandes, no meio campo (2 elementos com muita qualidade técnica), e Gélson (foram as suas arrancadas que terminaram com a monotonia dos primeiros 35 minutos), a espaços, também tiveram nota positiva.

Quanto ao encontro, desde cedo, até pela postura da Grécia, ficou claro qual era a melhor equipa, mas os primeiros 30 minutos foram pobres. Poucos lances ofensivos, os gregos até tiveram o primeiro devido a um lapso de Ié, que o próprio defesa acabou por resolver, mas a partir de uma jogada de Gelson, que com a sua velocidade desequilibrou na esquerda tendo Bruno Fernandes permitido uma das muitas defesas a Barkas, o jogo mudou e acabou por sorrir a Portugal, que no último minuto da primeira parte chegou ao golo por intermédio de Guedes, com o extremo, que hoje jogou como falso avançado, a entrar na área e a rematar cruzado. Com o golo o 2.º tempo foi completamente diferente, só tendo dado Portugal. Guedes logo aos 5 minutos, com um grande trabalho na direita, ofereceu o 2-0 a Gelson. Depois Horta e Chico Ramos, ambos isolados, em situações, diferentes permitiram a defesa a Barkas, guardião que também desviou um bom remate de Bruno Fernandes. Mas portugal estava por cima e sem dificuldade ampliou o marcador. Primeiro numa arrancada de Cancelo, com Guedes a deixar o lateral na cara do golo tendo o jogador do Valencia driblado com categoria um opositor antes de fuzilar para o 3-0. E depois, já nos descontos, foi o suplente Gonçalo Paciência, assistido por Iuri, a fazer o resultado final.

Grécia - Os gregos até podem lutar pelo 2.º lugar, mas a nível individual demonstraram estar num nível muito abaixo de Portugal (parecem ter também inferiores à Hungria). A excelente exibição do guarda-redes Barkas impediu uma derrota ainda mais expressiva, sendo que na 1.ª parte Mavrias ainda conseguiu dar a ideia que o jogo podia ser equilibrado, algo que não se verificou.

Portugal - Apuramento praticamente na mão, apesar de ainda só terem sido disputados 3 jogos. A equipa das Quinas, que até teve alguma sorte pela maneira como chegou à vantagem em cima do intervalo, deu espectáculo na 2.ª parte e com tantas soluções à disposição do seleccionador, a juntar à facilidade que vai ser esta qualificação, nada impede Fernando Santos de "pescar" neste elenco.

Rui Jorge alinhou com: Bruno Varela, João Cancelo, Tobias Figueiredo, Edgar Ié, Rafa, Rúben Neves, Rony Lopes, Bruno Fernandes – Cap., Ricardo Horta, Gonçalo Guedes e Gelson Martins - O seleccionador optou por mudar todo o trio de ataque e os 3 acabaram por dar uma boa resposta. Guedes, a jogar a falso 9, no seu estilo sempre prático e eficiente, com um golo e duas assistências, foi o melhor jogador português, Gelson teve algumas iniciativas interessantes e marcou, Horta somou uma assistência, sendo que também esteve perto de facturar. No meio campo, Neves e Bruno Fernandes foram dominando com a sua técnica individual, apesar de Rony ter estado apagado. Já o sector defensivo praticamente não foi testado, tendo dado para Cancelo demonstrar a sua qualidade já perto do fim com um belo golo.

Etiquetas: