Portugal só superado pela Argentina, Alemanha e Bélgica; Belenenses não merecia um resultado tão pesado

Domínio claro dos Viola, com uma enorme percentagem de posse de bola, mas não foi uma noite feliz para o conjunto de Sá Pinto: sofre o 1.º golo, depois de ter conseguido um lance perigoso, o 2.º é na sequência de um desvio, o 3.º um auto-golo e o 4.º em fora-de-jogo.

O Belenenses foi goleado pela Fiorentina (0-4) na 2.ª jornada do grupo I da Liga Europa. Os azuis até partiam na frente antes do encontro de hoje, já que tinham somado 1 ponto na Polónia e a Fiorentina tinha perdido frente ao Basileia, mas o que se viu hoje no Restelo não deixou dúvidas quanto à superioridade do conjunto italiano. Logo aos 18 minutos (um minuto antes Luís Leal por pouco não desviou um livre de Carlos Martins), Bernardeschi, na recarga de um remate, fez o primeiro e já no fim de um 1.º tempo completamente dominado pela turma de Paulo Sousa, Babacar fez o 2-0 (com um remate fora da área que ainda bateu em Geraldes antes de entrar, complicando assim o trabalho de Ventura) oferecendo uma vantagem mais confortável na ida para o descanso. Na segunda parte o Belenenses apareceu mais confiante e disposto a criar oportunidades (Kuca teve a melhor, mas depois de ter deixado 2 defesas para trás, já na área dos Viola, rematou contra Sepe), mas voltariam a ser os Fiore a marcar, desta vez num auto-golo de Tonel. O encontro avançava para o final, com o líder do Calcio sempre a apresentar muita qualidade na circulação de bola e, outra vez no final de uma parte (desta vez a segunda), novo golo, agora por intermédio de Rossi (apesar de estar em posição de fora-de-jogo), depois de ser lançado por Badelj. Um resultado algo penalizador pelos golos algo fortuitos, mas que não deixa qualquer dúvida pelo que se passou em campo, em especial na primeira metade do encontro. O esquema tático da Fiorentina, com 3 centrais (com excelente saída... especialmente Marcos Alonso que mostra qualidade em todo o lado) e 5 médios sempre dispostos a oferecer linha de passe para ter bola foi o principal destaque da partida, não sendo de estranhar os fantásticos 90% no acerto de passe. Mario Suárez foi o principal motor da equipa a meio campo, Benardeschi marcou e espalhou técnica na esquerda, Rossi e Babacar, na frente, foram uma dor de cabeça para Tonel e Gonçalo Brandão, mas globalmente foi uma excelente exibição de toda a equipa. Do lado do Belenenses, Carlos Martins foi dos poucos a conseguir ter bola, Kuca a espaços também tentou mostrar alguma coisa, assim como André Sousa que fez o que pôde a meio campo.

Parece claro que Portugal não tem a selecção mais forte do Mundo, nem que Gales é melhor que equipas como a França, Itália, Croácia, Inglaterra ou Holanda, mas o Ranking é este e não se pode ignorar. Recordamos que por exemplo no Mundial 2014 permitiu à Suíça ser cabeça de série - Portugal subiu ao quarto lugar do ranking FIFA na atualização de outubro da classificação hoje revelada pelo organismo que tutela o futebol mundial. No topo continua a Argentina (1419 pontos), sendo agora secundada pela Alemanha (1401), que subiu um lugar, por troca com a agora terceira classificada, a Bélgica (1387). Destaque ainda para a presença do País de Gales no 8.º lugar. Holanda (14.º), Itália (17.º) e França (22.º) estão por exemplo atrás da Áustria (11.ª) e Roménia (13.ª).

Etiquetas: , , , ,