A visão de Olivier Bonamici sobre o debate entre Bruno de Carvalho e P. Guerra

Hoje em dia imparcial é aquele que tem uma opinião que vai de encontro ao que nós pensamos, quem manifesta uma visão diferente, ou até um voto (como se viu nas legislativas), é logo apelidado de parcial, vendido ou até burro (e depois os outros é que são anti-democráticos). Mas nós também podemos dizer que as pessoas verdadeiramente inteligentes e que pensam por si sabem onde é que está a isenção, talvez por isso o Visão de Mercado é de longe o blog mais consultado em Portugal.

Bruno de Carvalho participou no programa "Prolongamento" da TVI24 com os comentadores residentes Pedro Guerra (Benfica), Manuel Serrão (FC Porto) e Eduardo Barroso (Sporting). A ideia era o líder dos leões explicar alguns temas que tem marcado a actualidade leonina mas o programa acabou por resultar num bate-boca constante entre BdC e Pedro Guerra. Um espectáculo degradante que hoje tem dominado as conversas. Neste sentido, e como sabemos que o adepto de futebol está cada vez mais sensível, deixamos a visão do conhecido jornalista Olivier Bonamici sobre o que aconteceu ontem na TVi24:

"Não me importa fazer parte de uma minoria, mas a maioria nem sempre tem razão!
Porque confesso que ainda estou em estado de choque após o debate que vi ontem à noite na TVI.
Inacreditavel como costumo dizer.
Nem me vou pronunciar sobre o que ouvi, porque aliás não tenho os conhecimentos necessários para tal.
Só me vou pronunciar sobre a forma.
Senti ontem à noite o ódio, exactamente a ideia contrária que eu defendo do desporto.
E vou morrer com as minhas ideias.
Por 1 milhão de euros por mês, eu nem era capaz participar numa coisa dessa.
A TVI deve ter batido recordes de audiência ontem à noite, mas a que custo?
Um dia, vai haver (e já houve) mortes por causa deste clima de ódio.
Porque após essas conversas, há consequencias nas bancadas, como é lógico.
Por isso, eu prescindo, enquanto jornalista, de uma audiencia brutal e de um ordenado brutal, para fazer o que eu mais gosto: partilhar a minha paixão, sem ódio.
Ontem, fiquei mesmo triste por este pais que tanto amo", escreveu o francês na sua página do Facebook