10 verdades que ficam do Benfica-Sporting

O dérbi deu continuidade ao que foi o jogo jogado fora das quatro linhas. O Sporting nas últimas semanas teve sempre a iniciativa e no dia decisivo também controlou dentro de campo. Um leão forte, organizado que foi particularmente eficaz na defesa e ataque, frente a um Benfica apático, sem soluções e que parece estar a atravessar um momento de alguma inércia. O resultado, 0-3, esse foi histórico e pode ser importante no desfecho do campeonato, pela moral que vai dar ao conjunto leonino e desgaste que irá proporcionar a Rui Vitória. Mas fugindo à futurologia, ficam 10 verdades sobre o Benfica-Sporting:

Só dá Jesus - A maneira categórica como Jorge Jesus regressou à Luz reforçou ainda mais a cotação do técnico leonino. Longe vão os tempos em que o VM era criticado por colocar JJ entre os 15 melhores do Mundo. Hoje, Portugal parece rendido às qualidades técnicas e tácticas do ex-Benfica;
Dérbis e Clássicos não combinam com Jonas - Em 5 jogos frente aos 2 grandes rivais (até podiam ser 6 mas na época passada no Dragão nem saiu do banco) o avançado brasileiro ainda não conseguiu marcar e além da ausência de golos parece não conseguir fazer a diferença. Frente ao FC Porto esta época foi a unidade menos do ataque, e contra o Sporting esteve sempre desastrado nas suas acções;
Benfica teve um mau planeamento de época (ou está em ano de transição e não foi afirmado "publicamente"?) - Rui Vitória vai ser sempre o principal visado pelos desaires, e o que conseguiu em Madrid em caso de deslize frente ao Galatasaray na Luz ou contra o Sporting para a Taça será rapidamente esquecido, mas é o único culpado? A verdade é que os reforços, apesar de terem sido mais de uma dezena, não estão a produzir, e sem ser Mitroglou (ou Raúl Jiménez), nem tem servido para sair do banco. No dérbi só Jímenez era uma cara nova em relação ao plantel da época passada. E é cada vez mais notória a ausência de um bom 8, mesmo nas laterais não há soluções totalmente válidas;
João Mário está a tornar-se uma espécie de anti-Benfica - O médio já tinha sido o melhor em campo na Supertaça e no dérbi para o campeonato, com a sua classe, voltou a fazer a diferença. Incrível a maneira como define sempre bem. Gaitán tem a fama de mágico, mas quem escondeu e fez o que quis da bola na Luz foi o jovem internacional português.
Afinal Luisão tem Bilhete de Identidade - Depois de uma época brilhante, em que foi um dos principais jogadores em Portugal, o central começa a denotar o peso da idade. Esta temporada os seus 34 anos parecem estar a pesar, tem acumulado erros e contra o Sporting foi um dos piores em campo. Errou no golo de Slimani, revelou fragilidades em alguns momentos, e, sendo certo que a má organização defensiva do Benfica não ajuda, a verdade é não tem sido o patrão que a equipa precisava;
4-4-2 não é para todos - Rui Vitória tentou dar continuidade ao trabalho de Jesus, mas isto não é só querer. Esta táctica obriga a defender melhor e principalmente com menos jogadores e as águias estão longe de a executarem na perfeição;
"Não há fome que não dê em fartura" - O Sporting não começou a época a jogar ao nível do que se esperava e talvez ainda esteja longe do patamar que Jesus pretende - contra o Benfica houve essencialmente muito eficácia - mas com ou sem rolo compressor a verdade é que os leões estão numa sequência de 17 golos marcados em apenas 4 jogos, e a tendência é para melhorar.
Sílvio e Fejsa não são opções "a sério" - É indiscutível que a 100% podem ser mais-valias, já o demonstraram no passado, mas um candidato ao título não pode entrar sempre "manco" para os jogos. E tanto o lateral como o médio estão longe de apresentar o nível físico e competitivo necessário para dar uma resposta à altura das exigências;
Experiência - Este elenco leonino sem Nani e Carrillo até é individualmente inferior ao da época passada, mas em compensação é muito mais experiente. Os leões foram sempre emocionalmente superiores, souberam controlar a partida e isso também se deve à maneira como Teo, Ruiz, entre outros, geriram a posse e não deixaram que o jogo se desequilibrasse.
O futebol é feito pelos adeptos e esses são bem mais importantes que os presidentes/dirigentes - Apesar de um ou outro episódio, situações normais neste tipo de duelos, os simpatizantes das duas equipas demonstraram que em Portugal também se vive este desporto com paixão e respeito. 

Etiquetas: ,