Super-Marco Silva derruba Wenger; Lewandowski marca mais 3; Reviravolta do Barcelona; D. Kiev junta-se ao FC Porto; BATE surpreende a Roma; Zenit cumpre; Golaço de Feghouli dá margem a Nuno

Que grande vitória de Marco Silva, talvez a melhor na carreira (não é fácil vencer no Emirates para qualquer equipa e as portuguesas até têm saído de lá goleadas). O Olympiacos foi a Inglaterra derrubar o Arsenal, por 3-2 (Pardo foi a principal figura dos gregos), e assumiu o 2.º lugar do grupo F. Os Gunners até vinham de uma goleada no terreno do Leicester, mas caíram perante o campeão grego e ficam numa situação complicada na Liga dos Campeões. No outro jogo deste grupo, Lewandowski continuou em "God Mode" e somou mais um hat-trick. Mas os maiores destaques da noite vão para a vitória do BATE sobre a Roma (os bielorrussos estiveram a ganhar por 3-0) e para a reviravolta em 2 minutos do Barça, que esteve a perder durante muito tempo com o Leverkusen. Para os portugueses, a noite foi positiva, com AVB e Nuno a somarem vitórias importantes. 

Grupo E: Barcelona 2-1 Leverkusen (Sergi Roberto e Suárez; Papadopoulos); BATE 3-2 Roma (Mladenovic x2 e Stasevic; Gervinho e Torosidis) - No primeiro desafio sem Messi, o Barça teve de suar muito para levar de vencida a bem orientada equipa de Roger Schmidt. Os alemães saíram cedo na frente em Camp Nou, com Çalhanoglu a cobrar um livre para o golo de Papadopoulos. Com Sandro Ramírez no trio ofensivo juntamente com Suárez e Neymar, a turma de Luis Enrique foi à procura da reviravolta mas ela só aconteceu nos últimos 10 minutos. Primeiro foi Sergi Roberto, talvez a maior revelação da temporada, a fazer o empate, para depois Suárez, com um golaço, dar a vitória aos catalães. Na Bielorrússia aconteceu uma das surpresas da jornada, com a equipa da casa a bater a favorita Roma. A entrada dos caseiros surpreendeu os italianos e o resultado rapidamente chegou aos 3-0, com que ambos os conjuntos saíram para o intervalo. Na segunda metade, surgiu uma reacção natural da turma de Rudi Garcia, mas os golos de Torosidis e Gervinho acabaram por ser insuficientes.

Grupo F: Bayern Munique 5-0 Dinamo Zagreb (Douglas Costa 13’, Lewandwoski 21’ 28’ e 55’, Gotze 25’); Arsenal 2-3 Olympiacos (Walcott 35’, Alexis Sánchez 65’; Pardo 33’, Ospina (pb) 40’ e Finnbogason 66’) - Depois da surpreendente vitória frente ao Arsenal, o D.Zagreb (com Paulo Machado e Eduardo a titulares e Gonçalo a saltar do banco) caiu na real e foi goleado na Alemanha. Douglas Costa continua em grande e inaugurou o marcador, mas o homem do jogo foi Lewandowski, que assinou um hat-trick e soma 10 golos em 3 jogos. Incrível fase do polaco. Em Londres, o Arsenal voltou a marcar passo e, tendo em conta que terá o Bayern nas duas próximas jornadas, terá vida difícil para chegar aos oitavos. Quem ganhou muitas possibilidades foi o Olympiacos, que arrancou um espectacular triunfo no Emirates. O ex-Braga Pardo, com um golo e uma assistência para o islandês Finnbogasson, foi a grande figura do encontro, sendo que Ospina meteu uma bola na própria baliza e deu uma ajuda. Num jogo de parada e resposta, Walcott e Sánchez marcaram para a equipa de Wenger, que sofreu logo a seguir a ter chegado ao empate.

Grupo G: Maccabi Tel-Aviv 0-2 Dinamo Kiev (Yarmolenko 4’ e Júnior Moraes 50’) - A vitória dos ucranianos confirma aquilo que se esperava: será uma luta a três pelo apuramento. Sem grandes dificuldades, o Dínamo, com Antunes e Veloso a titulares, foi vencer a Israel por 2-0, com um golo do craque Yarmolenko logo a abrir e outro do brasileiro Júnior Moraes no começo da segunda parte. Estão em igualdade com o Porto na liderança do grupo.

Grupo H: Lyon 0-1 Valencia (Feghouli 42’); Zenit 2-1 Gent (Dzyuba 35’ e Shatov 67’; Matton 56’) - Não podia ser melhor a noite para os portugueses. Em Lyon, o Valência foi feliz mas levou de vencida a equipa da casa graças a um grande golo de Feghouli. O conjunto de Fournier merecia outro resultado, mas a equipa de Nuno, com Cancelo a titular, conseguiu segurar a vantagem. Na Rússia, o Zenit teve mais dificuldades do que seria de esperar perante os belgas, mas somou os 3 pontos que o colocam na liderança isolada do grupo. O goleador Dzyuba, em boa forma, deu vantagem à turma de AVB, mas Matton recolocou o Gent no encontro. Shatov, pouco depois, tranquilizou o técnico português, dando a vitória por 2-1.

Etiquetas: