Ronaldo já é o jogador com mais golos de penalti na história da Champions; Equipas de Manchester entram mal; Buffon travou o City; Shaw partiu a perna; Sevilha beneficia de 3 penaltis; Draxler factura; Griezmann bisa; Di Maria e Cavani resolvem

CR7, que bateu o recorde de golos de penalti na Champions (11, mais 1 que Figo e Van Nistelrooy), já está só a 3 golos de ultrapassar Raúl como melhor marcador dos Merengues, mas Benítez estará bastante preocupado com a gravidade das lesões de Bale, Varane e Ramos, que tiveram todos de ser substituídos. Os Espanhóis fizeram o pleno, com o Sevilha a acentuar o mau arranque do Monchengladbach e o Atlético, com Griezmann em grande, a vencer em Istambul. O City não superou o muro Buffon e ainda viu Morata a marcar pelo 4.º jogo consecutivo na prova milionária (duas vezes ao Real, Barça e hoje em Manchester), o que pode complicar as contas num grupo forte. Numa má noite para os Ingleses, o United perdeu e viu Shaw lesionar-se gravemente. Já Di María estreou-se a marcar pelo PSG, tendo Draxler dado a vitória ao Wolfsburgo.

Grupo A: Real Madrid 4-0 Shakthar Donetsk (Benzema 30' e Ronaldo 55' (p), 63' (p), 81'); PSG 2-0 Malmo (Di María 4' e Cavani 61') - O Real Madrid iniciou a sua participação na Liga dos Campeões da melhor forma, batendo os ucranianos do Shakthar por 4-0. Os Madridistas entraram fortes na partida, com Bale, de calcanhar, e Benzema, após bom passe de Ronaldo, a desperdiçaram a chance de inaugurar o marcador, algo que viria a suceder à passagem da meia-hora, com Benzema a aproveitar uma falha de Pyatov. Logo a seguir, Bale saiu lesionado (entrou Kovacic), tendo também Varane sido substituído ao intervalo por lesão, tal como Ramos pouco depois. No início da segunda parte, a tarefa ficou facilitada para os Merengues quando Stepanenko foi expulso, antes de Ronaldo marcar 2 golos de grande penalidade (o primeiro é inexistente) e um de cabeça, na recarga a um disparo de Marcelo. Em Paris, o PSG também cumpriu com o esperado e bateu o Malmo por 2-0. Logo aos 4', Di María arrancou pela direita e fez um belo golo, num disparo cruzado. Aos 61', foi Cavani a ampliar a vantagem e selar o resultado final.

Grupo B: PSV 2-1 Manchester United (Moreno 45'+2 e Narsingh 57'); Wolfsburgo 1-0 CSKA ( Draxler 40') - Mais um revés para Louis Van Gaal, já que o seu Manchester United perdeu na primeira jornada da Champions. No terreno do PSV, Luke Shaw teve uma grave lesão aos 24 minutos, na sequência de uma entrada de Moreno, antes de Depay dar vantagem aos Red Devils, marcando um belo golo frente ao seu antigo clube. Mas em cima do intervalo Moreno, que vai ter muitas dores de cabeça nos próximos tempos, igualou e, aos 57', Narsingh deu mesmo a volta ao marcador. Já na Alemanha, o Wolsburgo bateu o CSKA por 1-0, com o único golo a ser marcado por Draxler, que assim começa a justificar o dinheiro.

Grupo C: Galatasaray 0-2 Atlético Madrid (Griezmann 18' e 25') - Jogo resolvido cedo com um bis de Griezmann, o que deixa já o Atlético em boa posição para passar o grupo onde também está o Benfica. Apesar de jogar em casa o Galatasaray quase não criou perigo, num encontro em que Simeone apostou em Siqueira, Saúl Ñíguez, Vietto e Jackson no 11 titular.

Grupo D: Manchester City 1-2 Juventus (Chiellini 57' p.b.; Mandzukic 70' e Morata 81'); Sevilha 3-0 Borussia Mönchengladbach (Gameiro 47' (p), Banega 66' (p) e Konoplyanka 84') -
No jogo grande da 1.ª jornada da Champions levou a melhor a Juventus e logo no terreno do líder isolado da Premier League. A partida foi equilibrada, e apesar dos Citizens terem tido mais e melhores oportunidades de golo um super-Buffon travou quase tudo (Sterling que o diga), menos um golo caricato de Chiellini (dá ideia que Kompany faz falta), e depois na sequência de uma bela jogada Morata garantiu os 3 pontos. Nota para a boa exibição de Cuadrado, já Kevin de Bruyne, que entrou apenas na 2.ª parte, esteve algo tímido (na esquerda não rende tanto como no meio); No outro encontro o vencedor da Liga Europa aumentou a crise do Mönchengladbach (que só soma derrotas esta época). Partida que fica marcada pelas grandes penalidades, foram 3 (só por duas vezes tinha acontecido num jogo da Champions) e todas na 2.ª parte. Gameiro abriu o activo logo a abrir o 2.º tempo, passado 3 minutos novamente de penalti atirou à barra, mas aos 66 bisou da marca de grande penalidade. Já perto do fim o suplente Konoplyanka fez o resultado final.

Etiquetas: