Repetir a receita da temporada passada

Depois de uma temporada bastante positiva, onde o Moreirense regressava ao principal escalão do futebol português e tendo ficado apenas a cinco pontos dos lugares de acesso às competições europeias, Miguel Leal terá novamente a tarefa de conduzir o conjunto de Moreira de Cónegos ao sucesso. O objectivo passará novamente pela manutenção, sendo que, apesar de terem chegado alguns reforços com qualidade, onde se destacam Vítor Gomes, Iuri Medeiros e Rafael Martins, bem como outros que podem surpreender como Sagna e Palhinha, a verdade é que o plantel sofreu inúmeras alterações e isso poderá criar alguns problemas ao treinador para montar novamente um grupo coeso e competente nos vários momentos do jogo. Miguel Leal não é um treinador que aposte propriamente num modelo de jogo ofensivo, mas parece evidente que o sucesso da formação de Moreira de Cónegos passará por esconder as debilidades que existem no sector defensivo e pelo aproveitamento das armas que a equipa possui em terrenos mais adiantados. Deste modo, comparando o Moreirense com os rivais que lutam pela permanência parece claro que o plantel é muito superior, mas, por outro lado, é curto para ter ambições superiores e bater o pé aos candidatos assumidos à Europa.


Moreirense versão 2015-16:
Entradas: Igor Stefanovic (Chaves), Nilson (Persepolis), Victor Braga (U.Leiria), Sagna (Chaves), Evaldo (Gil Vicente), André Micael (Zawisza Bydgoszcz), Milan Marcic (V.Guimarães), Alan Schons (Juventude), Rafa Sousa (Nacional), André Fontes (Penafiel), João Palhinha (Sporting), Filipe Gonçalves (Estoril), Vítor Gomes (Balikesirspor), Ernest (Rio Ave), Boateng (Rio Ave), Iuri Medeiros (Sporting), Luis Carlos (Korona Kielce), João Vieira (Chaves), Rafael Martins (Levante)
Saídas: Marafona, André Moreira, Gideão, Anilton Júnior, Paulinho, João Pedro, Elízio, Stéphane Madeira, Filipe Melo, André Simões, Lucas Souza, Djibril, Diogo Cunha, João Pedro, Bolívia, Arsénio, Caleb Gomina, Gerso, Alex Gonçalves, Leandro Souza
Objectivo: Manutenção
11 base: Stefanovic, Sagna, Danielson, Marcelo Oliveira, Evaldo, João Palhinha, Battaglia, Vítor Gomes, Iuri Medeiros, Rafael Martins, Ramón Cardozo
Ponto forte: Ataque - A temporada não começou bem e Miguel Leal recebeu alguns presentes no fecho do mercado, entre as quais Iuri Medeiros, extremo emprestado no Sporting e que pode acrescentar outra técnica e virtuosismo, e Rafael Martins, o terceiro melhor marcador da Liga de há dois anos e que acrescentará certamente a sua qualidade, poder físico e capacidade de finalização ao ataque do Moreirense. Por outro lado, há ainda os jovens Ernest e Boateng provenientes do Rio Ave e que podem desequilibrar com a sua irreverência e velocidade, Luís Carlos e os avançados João Vieira, que marcou alguns golos no Chaves na época passada, e Ramón Cardozo, o "Tacuarita", um ponta de lança de grande envergadura física, que dá imenso trabalho aos opositores e que juntamente com Rafael Martins poderá criar muitos estragos nos adversários.
Ponto fraco: Eixo defensivo - Num plantel que sofreu tantas alterações, o eixo da defesa foi o sector que menos mudou, mas isso não significa que dê plenas garantias. Marcelo Oliveira e Danielson, ambos com 34 anos, já acusam o peso da idade, João Sousa ainda está pouco rodado a este nível e o reforço André Micael, antigo central do Olhanense, não dá grande confiança também. O modelo de jogo de Miguel Leal ajuda a proteger as lacunas dos centrais do Moreirense, nomeadamente a falta de velocidade e as insufiências técnicas, mas, ainda assim, certamente que existirão dificuldades em parar várias equipas do nosso campeonato.
Jogador chave: Rafael Martins - Quando parecia que o Moreirense não iria ter nenhum reforço sonante para este temporada surgiu a contratação "bomba" de Rafael Martins, um jogador com passado no futebol português pelo que fez no Vitória de Setúbal (marcou 15 golos) e que chegou a ser falado para os grandes. A sua capacidade física, mobilidade, potência e poder de finalização certamente que ajudarão bastante a formação de Moreira de Cónegos, sendo um avançado que a este nível deixará novamente a sua marca.
Jogador a seguir: João Palhinha - Apesar das chegadas de Schons e Rafa Sousa, o Moreirense recorreu ao empréstimo do médio do Sporting para garantir uma solução com mais qualidade para a posição 6. O internacional pelas camadas jovens da Selecção arrancou uma excelente exibição na Luz e será certamente um dos jogadores mais interessantes de seguir nesta equipa. Cativou Jorge Jesus na pré-época, mas uma lesão impediu-o de competir por um lugar no plantel dos leões, sendo que esta cedência à formação de Moreira de Cónegos poderá ajudá-lo a crescer e a ter minutos na 1ª divisão. Alto, forte, forte na recuperação e com uma saída de bola interessante, certamente que será uma mais-valia no 11º classificado do último campeonato.
Previsão: 14º lugar - O plantel sofreu muitas alterações e, apesar da chegada de alguns reforços com qualidade, não será fácil fazer uma temporada tão tranquila como na época passada, onde ficou a poucos pontos da qualificação para a Liga Europa. O meio-campo perdeu alguns jogadores nucleares, mas recebeu Vítor Gomes e também Palhinha e Battaglia no final da janela de transferências, enquanto que o ataque conta com várias soluções de qualidade, nomeadamente Iuri, Rafael Martins e Cardozo, pelo que Miguel Leal tem condições para voltar a garantir a manutenção sem grandes problemas. No entanto, os problemas poderão estar no sector defensivo, onde não há um guardião como Marafona, nem uma defesa suficientemente consistente. O eixo defensivo denota alguma veterania e falta de qualidade, enquanto que os laterais também são inferiores aos da época passada, mesmo tendo em conta que Sagna pode ser uma das surpresas deste campeonato.

Rodrigo Ferreira

Etiquetas: