Postes tramam o Belenenses (Ventura também disse presente); Paulo Sousa desilude em casa; Vítor Pereira envergonhado; Nápoles aplica chapa 5; Liverpool empata; Dortmund ganha ao cair do pano; Espanha de Gasol vai do inferno ao céu

Azuis do Restelo mereciam mais, dominaram quase sempre o adversário, tiveram as melhores oportunidades, mas a falta (ou a fartura, tal foi o acerto nos postes) de eficácia levou a melhor. Mesmo assim, acaba por ser um resultado positivo, basta lembrar que o Lech é o atual campeão polaco e não é fácil jogar no INEA Station, um estádio com lotação para mais de 40 mil lugares.

Lech Poznan e Belenenses dividiram pontos (0-0) na primeira jornada da fase de grupos da Liga Europa. Duelo equilibrado, com mais ação no segundo tempo e que viu o Belém acertar por duas vezes nos ferros. Primeiro foi Miguel Rosa, aos 36 minutos, a acertar na barra na sequência de um canto, para depois, no reatamento do segundo tempo, Carlos Martins, depois de uma combinação entre Luís Leal e André Geraldes, acertar no poste. Aos 65', o Lech teve a sua melhor oportunidade em todo o jogo, mas João Amorim (que correu o risco de fazer auto-golo) e Ventura impediram um golo que parecia certo. Ventura - o melhor em campo - continuou o seu festival logo a seguir, com uma espetacular defesa aos 73' a remate de Pawlowski, defendendo novo remate apenas 4 minutos depois. Com o avançar dos minutos, os portugueses voltaram a ter os lances mais perigosos do encontro, tendo Miguel Rosa (aos 91') de cabeça e Kuca (aos 92') num remate em arco, ficado perto de oferecer a vitória a Ricardo Sá Pinto.

Má noite para os técnicos portugueses - O Fenerbahçe de Vitória Pereira foi humilhado em casa pelo Molde ao ser derrotado por 3-1 (e Fabiano ainda evitou pior). Apesar do domínio da formação turca, a falta de objetividade e a permeabilidade de toda a equipa foi fatal para a formação do técnico luso. Hoiland, Elyounoussi (que acabou expulso) e Linnes fizeram os golos dos noruegueses, de nada valendo o tento de Nani, numa combinação com Raúl Meireles. Também a Fiorentina de Paulo Sousa foi derrotada em casa, e pela sua antiga formação... o Basileia. Kalinic adiantou os italianos no marcador logo aos 3 minutos, mas um tento de Bjarnason (cinco minutos depois de Gonzalo Rodríguez ter deixado o conjunto de Florença reduzido a 10) e um golaço de Elneny ofereceram um melhor começo de competição aos suíços. Já o Mónaco de Leonardo Jardim, não perdeu, mas também não foi além de uma igualdade a 1 no terreno do Anderlecht. Os belgas começaram melhor, com Gillet, logo aos 11' a fazer o primeiro, mas os monegascos equilibraram a contenda e Lacina Traoré, depois de uma jogada entre Bernardo e El Shaarawy, fez o empate. Nota para a presença de 4 portugueses no 11 (o regressado de lesão João Moutinho e o trio da frente, Bernardo, Coentrão - que esteve em destaque a jogar a extremo - e Ivan Cavaleiro que voltou a jogar como referência ofensiva). O Nápoles aplicou a maior goleada da jornada ao vergar o Club Brugge por esclarecedores 5-0. Callejón (bis e assistência), Mertens (também bisou), Hamsik (golo) e Jorginho (duas assistências) estiveram em destaque. Quem também goleou foi o Marselha (do grupo do Sp. Braga) que foi à Holanda vencer o Groningen por 3-0, com os três da frente (Alessandrini, N'Koudou e Ocampos) a marcarem cada um 1 golo... E o Schalke que, com dois golos de Huntelaar (Matip marcou o outro), duas assistências de Meyer e um jogo fantástico do menino Sané, foi ao Chipre vencer, também por 3-0, o APOEL, antigo clube de Domingos Paciência. Nos outros encontros, vitórias menos folgadas. O Dortmund venceu ao cair do pano o Krasnodar, depois de ter estado a perder (golo de Mamaev), com golos de Ginter e Park (lateral esquerdo que jogou no meio campo), curiosamente os dois jogadores fabricaram ambos os golos; O Besiktas (do grupo do Sporting) venceu em casa do Skenderbeu por 1-0, golo de José Sosa; O Tottenham, com bis do reforço Son Heung-Min e outro tento de Lamela derrotou o Karabakh por 3-1 (Richard Almeida marcou de grande penalidade); Mesmo resultado proporcionou o Athletic Bilbao (bis do inevitável Aduriz, com Susaeta a selar o resultado nos descontos), na receção ao Augsburgo (Altintop ainda tinha colocado os germânicos na frente), num fantástico jogo de futebol; O Rapid Viena derrotou, ainda que injustamente, o Villarreal por 2-1 (marcaram Schwab e Hoffman, de nada valendo o tento de Baptistão, que ainda colocou o submarino amarelo em vantagem); O Viktoria Plzen ganhou ao Dínamo de Minsk por duas bolas a 0 (golos de Horava e Prochazka); O Midtjylland venceu o Legia pela margem mínima num jogo endiabrado de Pione Sisto; O Partizan, com bis de Oumarou e mais um golo da jovem promessa Zivkovic, levou a melhor sobre o AZ Alkmaar (van der Linden e Henriksen, que tem estado em destaque) por 3-2; E o Sion venceu o Rubin Kazan por 2-1, graças a um bis de Konate (o português Carlitos esteve em destaque), que amortizou o tento de Kanunnikov pelo meio. Os outros encontros acabaram todos empatados. Liverpool e Bordéus dividiram pontos, numa igualdade a 1, de nada valendo aos ingleses o excelente trabalho de Lallana no primeiro golo, já que Jussiê reduziu a 10 minutos do fim; Ajax (Fischer numa excelente combinação ofensiva e Schöne de livre) e Celtic (Bitton e Lustig... Commons fez duas assistências) empataram a 2; Tal como Saint-Étienne (Beric e Roux, golo e assistência) e Rosenborg (Mikkelsen e Svensson); Já a Lazio (golo de Milinkovic-Savic) empatou a 1 frente ao Dnipro, depois de os ucranianos reduzirem aos 93' com um golo de Seleznyov; Assim como o Sparta de Praga (Lafata) no terreno do Asteras Tripolis (Mazza); Por fim, Qabala e PAOK (foram superiores) anularam-se no Azerbaijão e não saíram do 0-0.

Os espanhóis estiveram praticamente fora da competição durante a fase de grupos e agora tem caminho aberto para conquistar o Ouro - Numa grande partida de basquetebol, entre as duas melhores selecções europeias da actualidade, a Espanha derrotou a França por 80-75 (após prolongamento) e garantiu presença na final no Europeu. Duelo muito equilibrada, com as duas selecções a não conseguirem ganhar vantagem na 1.ª parte (os franceses foram a liderar 33-32 para o descanso). No 3.º período os gauleses entraram melhor e chegaram a uma vantagem de 8 pontos. No entanto, a formação espanhola conseguiu recuperar e esteve muito perto de vencer no tempo regulamentar, não fosse um triplo de Batum a 13 segundos do fim. No tempo extra, o equilíbrio manteve-se, mas Gasol decidiu a partida. O poste espanhol esteve intratável nas tabelas e não tremeu nos momentos decisivos, dando a vitória à sua equipa. O jogador dos Bulls foi mesmo a estrela do encontro, com uma fantástica exibição, amealhando 40 pontos e 11 ressaltos. A acompanhá-lo, Sergio Rodriguez juntou 15 pontos. Do lado dos franceses, Batum e De Colo marcaram 14, se bem que o primeiro, apesar de ter levado o jogo para prolongamento, vacilou nos últimos segundos ao falhar 3 lances livres (o último propositadamente) que poderiam ter dado o empate. Na final, a Espanha, que assim vingou as últimas duas derrotas frente à França (o contexto deste jogo até foi semelhante ao do último europeu), vai defrontar a Sérvia ou a Lituânia.

Etiquetas: , ,