O Senhor que se segue

Giacinto Fachetti, Roberto Carlos, Maicon, Javier Zanetti, quatro excecionais laterais, dos melhores e mais inovadores da história do futebol, com uma caraterística em comum: destacaram-se no Inter de Milão. De facto, o emblema de Milão tem servido de viveiro, não de defesas centrais ou líberos, como típico dos clubes transalpinos (nesse aspeto até tem falhado nas últimas décadas), mas sim de defesas alas, um aspeto que se vem acentuando nos derradeiros tempos.

Dos nomes acima referidos, todos evoluíram decididamente nos milaneses, transformando-se em grandes jogadores. Fachetti e Zanetti tornaram-se autênticas lendas vivas da equipa, Maicon no seu melhor ganhou a titularidade na seleção brasileira a Dani Alves e Roberto Carlos, apesar da curta estadia (somente uma temporada) demonstrou o seu valor na Europa na turma de Massimo Moratti.

Na senda destes soberbos jogadores encontra-se Alex Telles, o novo senhor da lateral esquerda do Giuseppe Meazza. Chegou no último dia do mercado de transferências deste verão, proveniente do Galatasaray por empréstimo (de modo a contornar o fair-play financeiro), mas já agarrou o lugar. Contando apenas com 22 anos, o ex-Grémio revela uma maturidade invulgar para a idade, conjugando boas qualidades técnicas e ofensivas, com assertividade a nível da segurança defensiva que, com o crescimento expectável, poderão nos próximos anos consolidá-lo como um dos melhores na sua posição.

Com elementos de tal valia como Kondogbia, Jovetic, Icardi e Alex Telles, Roberto Mancini tem tudo para ser feliz. Aproveitando este início menos fulgurante da Juventus, que há quatro anos para cá tem dominado o futebol italiano, quem sabe se no final da temporada não teremos o Inter de regresso às grandes vitórias, com este brasileiro a dar seguimento à longa dinastia de laterais que tiveram sucesso ribombante nos nerazzurri. Não lhe falta talento, nem tempo, para o alcançar, e até tem um treinador que parece estar disposto a dar-lhe as oportunidades necessárias, pelo que Telles tem tudo a seu favor para se consolidar como digno sucessor de Fachetti e Roberto Carlos.

Visão do Leitor (perceba melhor como pode colaborar com o VM aqui!): António Hess

Etiquetas: ,